sábado, fevereiro 26, 2011

JESUS, QUE JOGO!

 
    Esta noite, em Olhão:

         CAMPEONATO DA LIGA:
  
         S. C. Olhanense, 0 - FUTEBOL CLUBE DO PORTO, 3
                                         (Belluschi e Falcao 2)
 
          Uma delícia a exibição da equipa do Futebol Clube do Porto desta noite, em Olhão! Um regalo para os olhos e um bálsamo para o coração dos portistas!

          Grandes jogadas, grandes jogadores, grandes golos! E um ENORME André Villas Boas. Com uma excelente arbitragem, pois então!

           O "ouro" veio só depois do intervalo, que o "bandido" bateu-se até às últimas para não abrir o cofre guardado a sete chaves e tinha, à porta, um guarda do outro mundo. Só à bomba! A dinamite, impelido pela potência do pé direito do Bellucshi, determinado a por termo de uma vez por todas à teimosia. Pum! Toma, vai buscar e...embrulha!

            Falcao,  também não se ficou e...pum, pum!

            E vão três, as contas que Jesus...não fez.

            James Rodriguez, não deve ter gostado de ver o jogo a partir do banco e entrou na orquestra como se fosse o maestro da mesma. De batuta nos pés (é assim que a usa Messi e o Iturbe que está para vir) e acelerou o ritmo do baile. Ta ta ta, ta ta ta, aí vai Hulk, e p´ra ti Falcao, vai buscar Fernando. Ovação!

            Hulk, estava a precisar de descanso e ganhou direito a ele. Tanto assim, que o árbitro deu-lhe um amarelo para a sua colecção particular e ele não recusou. Trunfo que o Guimarães pensa ter ganho mas, veremos.

            E vão dezanove com o cabacinho ainda sem furo. Está tudo no sítio. Na ordem de serviço afixada no balneário do Dragão das XXXXX cruzes que Mestre André lá assinalou, uma já foi apagada. Uma a uma, vão ser todas apagadas.

            Acho que não vou cometer nenhuma heresia mas nesta Capela, Jesus não rezou..
                               Até de olhos fechados.
P.S. Ah, o Baldemar, como lhe deve ter custado ver este Porto a jogar assim! Tão comedido na distribuição de adjectivos e que tristeza deixava transparecer nos seus comentários. E lento, muitíssimo relapso em encontrar um termo que pudesse definir o extraordinário remate que deu o primeiro golo do encontro: levou cerca de meia hora, mas lá soltou um "fantástico" com a voz de quem estava ansioso por aliviar o nó que se lhe fizera na garganta.
          

Belluschi marcou o primeiro golo. À "bomba".   

         

   

7 comentários:

  1. Primeiro parabéns aos DRAGÕES de OLHÃO.
    Segundo grande vitória.
    VIVA O FC PORTO

    ResponderEliminar
  2. Grande jogo!
    Quando o Porto marcou já há muito que merecia estar a ganhar, com bolas nos postes, jogadas que não resultavam por uma nesga, mas estava a ser uma injustiça tremenda. Um jogo de enervar, em grande parte do tempo. Para cúmulo com um árbitro que deixava os do Olhanense darem porrada à vontade, e a fazerem o que queriam, incluindo um que agarrou o Fucile pela cabeça, camisola, e por tudo o que apanhou, sem qualquer punição... enquanto que o Hulk bastou-lhe entrar a um adversário mas sem nenhuma rispidez, de especial, para logo receber um cartão amarelo, porque estava à pega... ficando assim afastado do próximo jogo. Depois do 1º golo tudo mudou e foi um fartote, entraram mais dois como podiam ter sido marcados mais outros dois golos, pelo menos.
    Do resto já outros aqui se exprimiram bem, a mim o que me apraz dizer é que foi um grande jogo e uma grande vitória.


    http://longara.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. Boa noite

    Grande vitória, num terreno difícil!

    Primeira parte com pouca pressão. Varela e Sapunaru muito abaixo das suas reais capacidades, e Villas-Boas a ler bem o jogo, e sem perder tempo a colocar um endiabrado James e Fucile, que trouxeram um FC Porto mais agressivo na segunda parte, sempre em busca do golo.
    Grande jogo de Belluschi com um grande golo. Falcao fantástico depois da lesão bisou e fez excelente jogo. Hulk sempre a desiquilibrar, uma defesa segura, um tridente de meio campo trabalhador e com laivos de magia ... enfim temos tudo para sermos campeões.

    Abraço e bom domingo

    Paulo

    http://pronunciadodragao.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. joao abel calais disse...

    Caro Remígio
    Como é mesmo o título da canção do P.Abrunhosa?!"Vamos fazer o que ainda não foi feito?...".Referir-se-ia- premonitóriamente-à N/ vitória em Olhão,onde ninguém ousara(ainda) ganhar?!...
    Tenho p'ra mim, que os grandes derrotados da noite, até nem foram os ... al(l)garvios!Foram os comentadores da TVI!Ao ouvi-los "desabafar" durante 90 minutos,e só mesmo p'ró finzinho "conseguirem" vislumbrar,apreender,"realizar" (à la française),assumir que, afinal, -o -porto-não-é-leader-por-acaso,foi tarefa difícil e parto (ao KM 65 da Via do Infante ) muito-muito "complicado"...Dizer-se ,então! que o Falcão " está no limite do fora de jogo " no segundo golo é de MESTRE(s)! Outrossim -como uma tristeza nunca vem só - e no caso da TVI - é por demais evidente esta asserção,aparece-nos um puto reguilóide e imbecil a fazer o flash-interview...O "mocheco"(à la Algarve )se a malta não tem visto o jogo,até dava a coisa(a vitória do FCP,entenda-se) como uma escandaleira de todo o tamanho e à viva força "puxava" pelo Daúto p'ra saber porque-é-que-falhara-o-sistema-d e s g r a ç a d a m e n t e ! -a-partir-dos 65 minutos! Inconcebível p'rá criatura, que por ali(no José Arcanjo) se tivesse passeado a classe,determinação,raça e génio, daquela gajada do ... norte!
    Que bacocas figuras enfeitam aquela estação de tv... Fo...da... - se! que-é-demais!
    Grande vitória!Finalmente !grande intervenção do AVB ao intervalo,a mexer (e muito bem!)na equipa, que até mais parecia a (re)encarnação do (grande)ANTÓNIO OLIVEIRA,"mestre" nessa arte de bem substituir a todo o ... banco.
    O apoio do público foi fantástico.Afinal, o povo -FCP, também enche estádios e proporciona espectáculos a condizer,com bom futebol!(Claro,claro, que nos faltam os aimares,javis,salvios,angelitos e nicos - os supra-sumos da barbatana-mas lá vamos, na frente, com ONZE PONTINHOS à maior- pra já.).
    ............. ............. ...........
    O blá-blá-blá do "j'aime la mastique", acaba por nos calhar bem, a preceito e é bom - como aqui já o sugeri - que o AVB ,sabendo-o "iluminado" (e isso, já é coisa que o povo está farto de saber) o deixe (a)poisar e reflicta neste "pensamento"(cujo autor desconheço,li p'ráí,algures) :
    "O maior prazer de uma pessoa inteligente é fazer-se de idiota,diante de um idiota que julga ser inteligente " .
    E com esta me vou,feliz e p'rá deita que nem um ...(arc)anjo.Topa o..."alcance"?!...
    Abraço amigo
    Feliz Domingo
    João Carreira

    ResponderEliminar
  5. Primeira-parte, enrolada, ritmo baixo, pouca pressão, perigo apenas em lances de bola parada, cantos e livres e através de de um Hulk ansioso, precipitado, egoísta, a querer marcar quase à força e com isso a escolher quase sempre as piores soluções. Mas e é importante dizê-lo, foi o Incrível o único a causar algum desconforto à defesa algarvia, já que Falcao demasiado estático e Varela, mais uma vez incipiente, quase não existiram. O nulo ao intervalo castigava a pouca inspiração do conjunto de André Villas-Boas e premiava a boa organização do Olhanense, que sem fazer nada de especial, conseguiu levar a água ao seu moinho.

    Depois do intervalo tudo foi diferente. Villas-Boas também não gostou e tirou o desinspirado Varela e o pior Sapunaru dos últimos jogos, lançando no jogo Fucile e o puto James Rodríguez. Tudo mudou. Apareceu um Porto mais rápido, mais pressionante, mais esclarecido, mais detreminado, com muita mais qualidade e que começou a encostar o adversário lá atrás e a criar o perigo que nunca criou nos primeiros 45 minutos. Ora pela direita com Fucile e o vagabundo colombiano que estava em todo o lado; ora pelo meio com um excelente Belluschi - golo de craque, mas que vai ser pouco badalado -, ajudado por um Fernando a pegar mais à frente e um Moutinho mais em jogo; ora pela esquerda, onde Hulk e Álvaro davam conta do recado, o conjunto azul e branco cresceu, passou a estar mais próximo da sua referência atacante, Falcao e começou a ameaçar com muito perigo a baliza contrária. É verdade que corremos riscos, mas corremos os que tinhamos a correr e também é verdade que ficamos mais sujeitos aos contra-ataques, mas passamos a dominar claramente, a ser mais contundentes, a desmontar a boa organização da equipa algarvia e tantas vezes o cântaro foi à fonte que partiu uma, duas, três vezes, numa vitória justíssima, clara e cristalina, sem frangos do guarda-redes, nem uma contratação de última hora.

    Era um jogo muito importante pelas razões que apontei no post de antevisão. Passamos com distinção e conseguimos a primeira das cinco vitórias que deseja o nosso jovem, mas muito competente treinador.
    Completamos um ano sem derrotas, no campeonato - Liga Zon Sagres -, o que é um feito assinalável, mas tal como o golo de Fernando Belluschi, vai passar despercebido.

    Não vou fazer grandes análises individuais, quando se conquistam estas vitórias a equipa é que tem de merecer o destaque. Mas para mim, James, foi o homem do jogo. Pelo que jogou, pelo que assistiu, pelo que desestabilizou, pelo que mudou.
    Destaque também para o nosso goleador que despertou para uma grande segunda-parte, para o golo de bandeira de Belluschi e para o... ia dizer "Informático", mas acho que já ninguém pensa assim, que mexeu à treinador batido. Estamos a voltar ao nosso melhor, numa altura importante, na altura que tudo se decide.


    Notas finais: Hulk vai ficar de fora na próxima jornada, levou um cartão amarelo que me pareceu justo, numa arbitragem muito boa de João Capela - fossem todas assim! Como nesta ou noutra altura tinha de acontecer, é melhor que seja agora e por duas razões: uma porque a paragem vai fazê-lo descansar, assentar ideias, descomprimir, para regressar mais forte. A outra razão é que agora, se isto se pode dizer, faz menos falta que faria antes do regresso de Falcao e Álvaro.
    Depois de um jogo que obrigou a dar tudo, frente ao Sevilha e num espaço de apenas 72 horas, ficou demonstrado, pela nossa segunda-parte, que o mister tem toda a razão quando diz que a equipa fisicamente está muito bem.
    Na próxima jornada defrontamos os abutres de Guimarães, uma espécie de filial nortenha do clube do regime. É mais um jogo importante e um jogo que precisa de muita gente no Dragão... a apoiar!
    Ah, já me esquecia, uma palavra de elogio para os milhares de portistas que desceram ao Algarve para ajudar o F.C.Porto: graças a vocês o Dragão nunca caminha sozinho.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Jogo agradável com duas faces. Primeira parte complicada, sem espaços e com os jogadores portistas a sentir muito essa postura do Olhanense.

    Segunda parte bem diferente, com a entrada de James que foi a figura do encontro. Com ele as jogadas de ruptura sucederam-se e num ápice o marcador funcionou por duas vezes com duas assistências suas.

    Demonstração de querer e ambição, de boas condições física e mental.

    Se continuarmos assim, poderemos bem festejar mais cedo.

    Um abraço

    ResponderEliminar