quarta-feira, março 31, 2010

A GRANDE ENTREVISTA DE PINTO DA COSTA, À RTP1


Entrevistado, ontem à noite, na RTP1, pela jornalista Judite de Sousa, no programa "Grande Entrevista" o presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa,  revelou que pretende pedir uma indemnização à Liga pelo castigo de Hulk que poderá ascender a 17, 5 milhões de euros, montante ganho na Champions esta época não se escusando em falar de todos os assuntos polémicos que visaram diminuir os êxitos alcançados pelos Dragões nas últimas décadas. 

Ganhar nos túneis.
"O Benfica foi melhor fora do campo, nos túneis foi sem dúvida melhor" 
Com Hulk seria diferente
"Com todos os nossos jogadores o nosso plantel não é inferior ao do Benfica. Com Hulk tudo seria diferente, não tenho a mínima dúvida que com ele o FC Porto estaria em primeiro ou muito perto disso".
Benfica bem lançado para ganhar a liga dos túneis
"Se Luis Filipe Vieira foi melhor, depende do prisma em que se quiser ver. Em termos de contas o FC porto está melhor, em termos desportivos o FC Porto ganhou a Supertaça, está bem lançado para ganhar a Taça de Portugal e o Benfica está bem lançado para ganhar a liga dos túneis e ganhou a Taça da Liga".
 Roubos de catedral
"No jogo Benfica-Nacional da Madeira, a vitória do Benfica foi unanimemente considerada um escândalo."

Sobre Luís Filipe Vieira
"Não tenho relações nem más nem boas com ele, Simplesmente não as tenho".
"Eu não acuso nem deixo de acusar porque o senhor Luis Filipe Vieira não me interessa para coisa nenhuma".
"Eu preocupo-me apenas em contratar os melhores jogadores e os melhores treinadores".
"Nunca traí a amizade com ele porque é difícil os amigos traírem-se. O que se confunde muitas vezes é o que é amizade. Há pessoas que se servem das supostas amizades para atingirem determinados fins. Eu estou de consciência tranquila."
Beneficiado com terrenos
"O Benfica é beneficiado pela Câmara Municipal de Lisboa. Não sei se a culpa é da câmara de Lisboa, se calhar a culpa é da câmara do Porto que procede mal em relação aos clubes".
Metam quem quiserem na Liga
"Não apoio nenhum candidato. Metam na Liga quem quiserem, nós vamos preocupar-nos apenas em ter melhor equipa que a deste ano".
Lesões de jogadores condicionaram
"Não foram contratações falhadas, houve um período em que tivemos muitas lesões e isso foi importante".

 Falar da crise
"Pode haver uma crise em qualquer clube quando os resultados são maus, mas para alguns, em sete anos o FC Porto só não ter sido campeão uma vez é uma crise, para os outros clubes, em sete anos ser campeão uma vez é uma festa".
Melhorias no Benfica
"O Benfica melhorou em duas coisas, uma foi nos túneis, outra foi na aquisição do técnico".
"A grande evolução de Luis Filipe Vieira é que antes, quando ia às casas do Benfica, mal se sabia expressar e agora já está melhor".
Decisão do CJ e a demissão de Loureiro
"Se há um Conselho de Justiça e sete elementos por unanimidade deram razão ao FC porto não posso ter dúvidas".
"Ao demitir-se, Hermínio Loureiro deu a ideia que estava indignado com o Conselho de Justiça".
"Foi-me dito que quando Hermínio Loureiro soube da notícia da decisão esteve quatro horas a tentar ligar para Ricardo Costa e quando este atendeu, sugeriu-lhe que se devia demitir, e como Ricardo Costa não se demitiu, demitiu-se ele".
"Foi pena que Hermínio Loureiro, ao sair, não tenha dito claramente porque é que saiu. Para não haver dúvidas".

Indemnização de milhões vai para a frente.
"O FC Porto tem direito a ir à Liga pedir uma indemnização.Se não formos à Liga dos Campeões, teremos de pedir aquilo que vamos deixar de receber. Por exemplo, ainda esta época arrecadámos nessa competição 17,5 milhões de euros"
Ganhar o dobro dos títulos dos adversários, em 20 anos.
"A minha imagem na opinião pública tem duas vertentes: uma é a da opinião pública, a outra é a da opinião publicada".
"Não acho que tenha problemas de imagem nem a considero desgastada, eu ganhei os meus processos duas vezes!"
"Em sete meses de escutas falam-me de um telefonema".
"O FC Porto em 20 anos tem mais do dobro de títulos europeus que todos os clubes portugueses".

Recandidatura à presidência do FC Porto
"Vou recandidatar-me. A minha motivação é responder a todos os ataques que através da intromissão na minha vida pessoal visam atacar o FC Porto".
"Vou voltar a candidatar-me para provar a todos que mesmo sem ninguém na Liga o FC Porto vai voltar a ganhar não só cá dentro como lá fora".

segunda-feira, março 29, 2010

HULK ESTRATOSFÉRICO.


Brasileiro rima com mineiro mas de túneis, Hulk, nada percebe. Ele sabe é jogar à bola, gosta de o fazer e fá-lo como ninguém. Dizer que é um fenómeno, é redutor: ele é estratosférico, de outro planeta. Tem poderes especiais, é o Harry Potter do futebol!
             A sua força é a de um reactor que levanta um boing 707, com 250 passageiros a bordo! A bola, nos seus pés, é um problema insolúvel para os adversários: deixam de a ver e batem, às cegas, em tudo quanto mexe. Com o turbo ligado e o míssel disparado, onde está a bola? A ferver, no fundo da baliza.
            Com que então "remate impetuoso", caro assalariado da RTP1? Apenas e só impetuoso? E, porque não, "uma bomba", "um estoiro", "um míssil" ? Não lhe ocorreram melhores adjectivos para qualificar aquele bólide, accionado pelo pé esquerdo de uma autêntica força da natureza, ou, guarda-os para os outros "meninos"  seus favoritos, mesmo quando eles fazem de poste onde a bola bate, vinda do céu, aos trambolhões?
             Cretinos facciosos que, para além de gastarem o nosso dinheiro, ainda temos de os suportar.
           

sábado, março 27, 2010

F.C. PORTO VENCE SLB

            Em primeira mão na Net:
            Terminou, há momentos no Dragão Caixa, o encontro da fase regular do campeonato nacional de basquetebol, com o seguinte resultado:

             PORTO, 78 - Benfica, 69

            Os lampiões, que foram derrotados pela primeira vez nesta fase, estão em risco de ser afastados do comando da prova.

ESTÁ NA HORA!

                O despertador mais antigo do mundo!
Resta tempo suficiente, mas é bom lembrar que, sendo uma hora da madrugada do próximo domingo, começa a HORA DE VERÃO, devendo o ponteiro "minorca" do relógio avançar do 1 para o 2. E, se a hora de iniciar o seu dia for a mesma de sempre, não lamente uma hora perdida de sono porque ganha 60 minutos a mais de luz.
             Aproveite já agora para conhecer, se não o sabe já, que nem sequer esta medida é da exclusiva competência do Governo português pois é a UE quem a autoriza! Oh, soberania nacional...

               Última advertência relacionada com esta   alteração horária: AMANHÃ, o União Desportiva de Lanheses, vai defrontar o PERRE, no nosso campo, às 
                                   4 horas da tarde,
mas nada o impede de ir à hora habitual e aproveitar para dar umas voltinhas ao campo. Vai fazer-lhe bem, vá por mim.
              OLHE ESTA GRACINHA DE RELÓGIO. UM POUCO PESADO, TALVEZ, PARA USAR NO PULSO.

PINTO DA COSTA EM "GRANDE ENTREVISTA" DA RTP

         

pinto da costa
              O presidente do Futebol Clube do Porto JORGE NUNO PINTO DA COSTA, vai estar na RTP1, no próximo dia 30, terça-feira, no programa "GRANDE ENTREVISTA", apresentado pela jornalista Judite de Sousa.
              Noite de lua cheia.

             IMPERDÍVEL!

sexta-feira, março 26, 2010

IMPARCIALIDADE GARANTIDA.

O apito vermelho
            Com a nomeação do árbitro Pedro Gel (ou será Baptista?) Proença para o próximo encontro a disputar no Túnel das Trevas (perdão, estádio da Luz), o Sporting de Braga não precisa  preocupar-se com o trabalho da arbitragem. Isto, porque, o "juiz" designado tem uma folha de serviços a todos os títulos merecedora dos maiores encómios, e que, valha a verdade se diga, não lhe têm sido regateados pelos seus muito agradados patrões aos quais ele, Pedro Gel (ou será Baptista) Proença, sempre muito reconhecido pela confiança, canseirosamente porfia em acrescentar-lhe mais uns pontinhos sempre que tem oportunidades para isso.
             Mas há mais, muito mais atributos que fazem de Pedro Gel (ou será Baptista?) Proença, um árbitro acima de qualquer suspeita. Realço os que relevam para a função que desempenha e o distingue dos demais da sua classe no que à honorabilidade concerne:
      
             NASCEU EM LISBOA.
             É SÓCIO ANTIGO DO BENFICA.
            
             Chega?
       

quinta-feira, março 25, 2010

TAÇA DE PORTUGAL.

            Rio Ave, 1 - Porto,  3
 
http://4.bp.blogspot.com/_MO2twrI0iuQ/S6qcgZMqIpI/AAAAAAAAA04/F4O0wp_7ths/s1600/RioAve-Porto04.jpg            A primeira mão da meia-final da Taça de Portugal que ontem se realizou em Vila do Conde, decorreu de forma positiva para os Dragões, não apenas pela expressão final do marcador que nos confere grandes possibilidades de chegar à final de Oeiras, mas, principalmente pela reacção demonstrada pelos atletas aos menos felizes resultados dos últimos tempos.
           A equipa produziu bom futebol, foi muito combativa e pressionou  excelentemente a equipa do Rio Ave, impedindo-a de impor o seu processo habitual de jogo.
        

RUA, INCOMPETENTE!

          Não há saída. É o fim da linha.
          Quem é incompetente, age de forma objectivamente parcial e revela duvidosa seriedade intelectual, não tem condições para desempenhar funções num órgão de poder judicial.
           Por isso, uma de duas: ou sai da cadeira ou cai dela abaixo!.
           Agora, vamos às responsabilidades porque há dano e há prevaricadores. Há lesados e prejuízos, patrimoniais e morais, que têm se ser ressarcidos. A culpa não há-de morrer sempre solteira.
           Hulk e Sapunaru, foram vítimas duma distorcida e excessiva aplicação da lei. Foi-lhes recusado o benefício do princípio universal "in dubio pro reo", cujo significado é facilmente entendivel, até por um qualquer magarefe.
           O Futebol Clube do Porto, viu diminuídos legítimos recursos com que contava para discutir de igual para igual as competições em que participava. Viu o seu nome, de novo, envolvido em situações extra-futebol que ferem a honra e dignidade da instituição, quer interna quer externamente, mesmo que a posteriori acabe ilibado de culpa.
            Os seus activos sofreram desvalorização e perda de visibilidade, agravadas no caso de Hulk se envolver o seu afastamento da selecção do seu país, dada quase como certa.
            A responsabilização não pode ficar apenas pela demissão dos intervenientes decisores. Tem que ter consequências a nível desportivo mesmo que isso possa implicar a impugnação de todas as provas em que participou e não pôde contar com a colaboração dos referidos atletas. E levar, ainda assim, junto das hierarquias desportivas internacionais o conhecimento das repetidas maquiavélicas cowboyadas do futebol nacional sempre dirigidas ao mesmo alvo: o Futebol Clube do Porto.

http://2.bp.blogspot.com/_GP5C0yOzGSM/S6ot7-L-GgI/AAAAAAAAI6A/vs2LsL4uKd0/s1600/r+icardo+costa.jpg           
          
            
           
            
          
      

O EMBLEMA QUE SE TORNOU LENDA

O emblema

O actual emblema do FC Porto é bem representativo da simbiose entre o clube e a cidade. Sobre a antiga bola de futebol azul estão as armas que D. Maria II atribuiu ao Porto em Janeiro de 1837. Estas são compostas por um escudo esquartejado que possui as armas reais (sete castelos e cinco quinas) no primeiro e quarto quartéis e as antigas armas da cidade do Porto (a Virgem segurando o Menino, ladeados por duas torres) no segundo e terceiro quartéis, tendo no centro, sobre o ponto onde se unem os quatro quartéis, um coração, que representa o precioso legado que D. Pedro IV (pai de D. Maria II) deixou à cidade. A orlar o escudo encontra-se o Colar e Grã-Cruz da Antiga e Muito Nobre Ordem da Torre e Espada de Valor Lealdade e Mérito, do qual pende a respectiva medalha (na qual estão escritas essas mesmas palavras: valor, lealdade e mérito). Sobre o escudo está a Coroa Ducal e o dragão negro do poder, pertencente às antigas armas dos Senhores Reis destes Reinos, em cujo pescoço está uma fita com a palavra Invicta, título que D. Maria II atribuiu ao Porto, acrescentando-o aos que a cidade já possuía - Antiga, Mui Nobre e Sempre Leal.
(Paixão Pelo Porto.blogsopt.com)

quarta-feira, março 24, 2010

O PRESIDENTE!

          JORGE NUNO LIMA PINTO DA COSTA, é o dirigente desportivo mais carismático de sempre da história de futebol português.
          Nascido no seio de conceituada família portuense, recebeu na infância uma educação esmerada, condizente com o elevado extracto social  a que a sua mãe pertencia.
          Iniciou ainda muito novo a sua ímpar carreira como dirigente do clube, tendo principiado como responsável pela secção de boxe.
         A sua visibilidade ganhou maior relevância quando assumiu a responsabilidade da secção de futebol do clube, onde viria a explodir toda a sua extraordinária capacidade de liderança e espírito guerreiro, a par de uma audácia e coragem raras que evidenciava na defesa da instituição FCP, mas, não menos convictamente, da Região Norte.
         Com o imortal "Mestre", JOSÉ MARIA DE CARVALHO PEDROTO, também ele um tripeiro convicto, viria a formar uma dupla temível onde a perfeita
simbiose entre o conhecimento do jogo e a perspicácia felina muito contribuiu para a formação de uma empatia entre ambos que se tornou uma verdadeira lenda do desporto nacional.
         O seu estrondoso sucesso, o sucesso do Futebol Clube do Porto, ao longo destas últimas décadas abalou o poder centralista lisboeta de anos e anos, designadamente na vigência do regime salazarista,
relegando para segundo plano a sacrossanta equipa do regime, reduzindo-a à condição da nobra arruinada e
subsídio-dependente.Tal sacrilégio viria a concitar sobre si uma onda de ódio sem paralelo entre os despeitados sucessivos dirigentes e prosélitos do clube da segunda circular alfacinha, alimentada por uma  comunicação social hostil e parcial, persecutória , órfã do seu filão de réditos de tantos anos, tudo fazendo para obstaculizar a crescente implantação nacional e mundial do Futebol Clube do Porto.
          Nunca, alguém, neste país terá sido sujeito a tantas e tão persistentes investigações judiciais: equipas especializados foram constituídas para investigar a sua actividade de dirigente desportivo, os seus negócios, os seus contactos, a sua vida privada.; descobriram-se novos talentos para escrever livros para satisfazer exigentes leitores de sanita de romances fabulosos de "faca e alguidar", rodaram-se filmes para plateias fáceis, consumidoras de comédias de sarjeta, inventaram-se  reportagens e notícias bombásticas, levantaram-se calúnias, fizeram-se acusações a organismos internacionais. NADA! ZERO, à esquerda de zero!
          JORGE NUNO, vai continuar para gáudio dos milhões de admiradores que granjeou em Portugal e no Mundo a dar continuidade ao lema "A vencer desde 1893".

    É, verdadeiramente, um HOMEM DO NORTE!   

SAPUNARULK

Hulk e Sapunaru (foto ASF)
Conselho de Justiça altera castigos de Hulk e Sapunaru
(há pouco divulgado on-line)

#######################################################
 "Sapunarulk", elegia pela justiça e proporcionalidade perdidas
Por Manuel da Costa Andrade

1. Positivamente, Hamlet tinha razão: há mesmo mais coisas, muito mais coisas, no céu e na terra do que nós podemos sonhar na nossa filosofia. Quem poderia ter antecipado nas suas locubrações filosóficas a possibilidade de ver um dia o que, entre o espanto e a galhofa, a generosa prodigalidade da Comissão Disciplinar (CD) da Liga Portuguesa de Futebol acaba de nos oferecer? O espectáculo de um Julgador que vem anunciar a sentença, proclamando que a profere e subscreve, embora consciente da sua injustiça e desproporcionalidade. E, por causa disso, inconstitucional, certo como é que o princípio de proporcionalidade configura, por imperativo constitucional, um axioma irredutível de toda a lei, ergo de toda a sentença. Dito noutros termos, a proporcionalidade configura uma dimensão ou categoria transcendental de todo o direito, maxime do direito sancionatório, punitivo e repressivo, que, de forma mais drástica, se projecta em compressão dos direitos fundamentais.
Manifestamente, não é fácil descortinar o que mais admirar nesta CD: se a monstruosidade - por injustiça e desproporcionalidade - da decisão; se o quadro cénico com que foi servida. Com o seu criador a desdobrar-se num arremedo de Jano. Com um rosto banhado de narcisismo e inebriado pela felicidade de mais um momentoso momento de "justiça desportiva"; e, com outro rosto, vestido de amofinada carpideira a riscar o ar com os gritos de quem sente na alma os golpes da injustiça e desproporcionalidade.

Numa primeira observação, importa sublinhar que a injustiça e a desproporcionalidade não decorrem da lei - concretamente do Regulamento Disciplinar da Liga -, devendo levar-se exclusivamente à conta do seu intérprete. Não estão na
law in book, resultam da law in action, isto é, são obra do arbítrio de quem lê, treslê e aplica a lei. Em boa verdade, a lei não impõe, sequer sugere, que seguranças privados sejam "intervenientes no jogo": nem faria sentido que o dissesse, já que eles não intervêm no jogo, na diversidade de planos, funções e papéis em que este se desdobra. Os seguranças privados não integram o universo daqueles que contribuem para a densidade agónica própria da competição desportiva no contexto da sociedade moderna, em relação à qual cumpre insupríveis e relevantes funções e serviços: desde uma função de catarse e evasão, até uma função de identidade, coesão e memória comuns. O "interveniente no jogo" mantém uma relação dinâmica de interacção, física ou simbólica, de cumplicidade ou de conflitualidade, com os "outros significantes" do jogo: companheiros de equipa, adversários, árbitro, treinador, banco, etc. No mais generoso dos limites, pode falar-se de interacção simbólica com o público e, sobretudo, com as "claques".

O catálogo poderia alongar-se. Mas será forçoso parar. E parar a partir do momento em que, à margem de toda a dúvida, deixa de subsistir aquela teia de relação e interacção. Como sucede com os seguranças privados de um clube. Que, no contexto do jogo, não interagem nem física nem simbolicamente com os outros "intervenientes". Em definitivo, eles não pertencem - nem como protagonistas, nem como actores secundários, nem sequer como figurantes anónimos - ao drama do jogo, a que são inteiramente alheios. Pela mesma razão que os seguranças do hospital não são "intervenientes no acto médico"; como os seguranças da CD (se os há) não são - sorte a deles! - "intervenientes nos seus desvarios justiceiros".

Sendo claro que a lei não impõe a classificação dos seguranças como "intervenientes no jogo",
quid inde se, apesar de tudo, a mesma lei deixasse subsistir alguma sombra de dúvida? Ela só poderia ser superada a favor da interpretação mais restritiva, a única consonante com a justiça e a proporcionalidade. Isto, em consonância com os desígnios de fundo da própria Constituição em matéria de processos sancionatórios. Mesmo que para tanto fosse indispensável lançar mão de mecanismos de interpretação e aplicação restritivas da lei. Para lograr uma interpretação consonante com as exigências de proporcionalidade.

Não é no quadro normativo, global e sistematicamente considerado, ao dispor da CD, que radicam as razões da injustiça e da desproporcionalidade. Também não podem buscar-se em limitações ou deficiências de cariz intelectual da mesma CD, certo como é que ela não deixa de representar, anunciar e denunciar a injustiça e a desproporcionalidade. Só podem imputar-se a deficiências ou vícios da vontade. A CD decidiu assim porque quis. Sabia que proferia uma decisão injusta e desproporcionada, e foi isso que dolosamente fez.

Podia ao menos poupar a cena lastimável daquele espectáculo de derramar lágrimas de proporcionalidade sobre a desproporcionalidade da sua criatura. Depois de tripudiar sobre a lei e as virtualidades de justiça e de proporcionalidade que a mesma lei alberga na sua letra, no seu espírito, no seu sistema e no seu horizonte constitucional, restava o gesto digno de ser autêntica e crescidinha. E querer o que verdadeiramente queria. Silenciando os indecorosos clamores de carpideira menor.

Um silêncio que teria uma vantagem inestimável. Não acordaria o panglóssico presidente da Liga do seu sonho de acreditar que deixa atrás de si um futebol credibilizado. Um dia esse sonho há-de converter-se em pesadelo. Será no dia em que as intempéries vindas dos tribunais desabarem sobre as primícias acrisoladas da credibilização devidas à sua CD. Até lá, há direito ao sonho. De mais a mais, quando o pesadelo chegar, já lá estarão outros a enfrentá-lo.
Professor da Fac. de Direito de Coimbra, sócio da Académica e simpatizante do FC Porto
in Público de 2010.03.04 
####################################################
    Impossível deixar de publicar, na íntegra, o douto entendimento do Professor Manuel Costa Andrade, relativo aos castigos aplicados aos atletas do Futebol Clube do Porto Hulk e Sapunaru, na sequência do embuste do "túnel das trevas" ocorrido após o encontro disputado entre o SLB e os Dragões, na capital do Império.
     Fosse eu juiz neste processo e o autoproclamado infalível justiceiro que o show off da divulgação da sentença confeccionada na Liga Profissional de Futebol Profissional produziu em directo na tv, confrontado mais uma vez com a rejeição dos meus tão sapientíssimos e elaboradíssimos veredictos, enquadradíssimos na letra dos articulados da lei, lida, relida e trelida, de trás para a frente, da frente para trás, de esguelha e de pernas para o ar e acabasse por ter que enfrentar o opróbrio de mais uma humilhante desautorização, PORQUE TERIA VERGONHA NA CARA, IRIA PEDIR TRABALHO NAS OBRAS!

ÚLTIMA HORA:

Reduzidos os castigos a Hulk e Sapunaru

15h39m

Vítor Santos *
O Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol decidiu hoje, quarta-feira, alterar os castigos aos jogadores do F.C. Porto Hulk e Sapunaru, para três e quatro jogos, respectivamente, na sequência dos incidentes no túnel do estádio da Luz.

Surpreendidos? Eu, não!





terça-feira, março 23, 2010

A PROPÓSITO DA CRIAÇÃO DO "DRAGÃO, SEMPRE!"

        

  Entrei no mundo da blogosfera há cerca de cinco meses com o lançamento da página DOLETHES, tendo uma ideia muito incipiente sobre aquilo que poderia concretizar num mundo que, até àquele momento, me era quase totalmente desconhecido. À semelhança de alguém que se aventura sem guia numa floresta virgem e densa, e se tem consciência de que as surpresas podem ser mais que muitas e nem sempre agradáveis fui tacteando, quase às cegas, por entre o emaranhado dos difusos trilhos desbravados pela seta mágica do rato até que alguma luz se fizesse e me ajudasse a encontrar o caminho certo.    
               Tendo-me apercebido de que a conjugação da minha faceta desportiva e o arreigado fervor que nutro, desde a infância (não nasci dragão, fiz-me dragão...), pelo "meu" Futebol Clube do Porto, com a natureza mais generalista de outros assuntos tratados, como são os relacionados com a vida social da comunidade lanhesense e aos quais pretendo continuar a dar prioridade, poderiam causar algum incómodo e, quiçá, tornarem-se fastidiosos para os seguidores do "dolethes", decidi criar um espaço próprio onde pudesse dar largas ao que penso e sinto na defesa do meu idolatrado FCP. e do espectáculo do futebol em geral.
               Deste modo, continuarei a seguir a matriz do primeiro blog e a sua regularidade mantendo, inclusivamente, a secção a que venho a dar o título de "O FUTEBOL DA NOSSA TERRA", com a divulgação de todos os resultados e notícias relacionadas com o União Desportiva de Lanheses, passando a usar este espaço exclusivamente para temas comuns do futebol em geral, mas, muito principalmente, os que entender aqui publicar relacionados com a vida do "antigo, mui nobre, sempre leal e invicto" clube da cidade onde "houve nome Portugal".