domingo, julho 31, 2011

PORTO PRONTO.

 
          O resultado final do jogo foi desfavorável (1-2), mas o Futebol Clube do Porto deu sinais claros de se encontrar pronto para entrar nas provas oficiais que se avizinham.

           Durante os primeiros 75´ do jogo-treino realizado na Suíça contra o Olympic Lyonais (França), os campeões nacionais tiveram sempre a iniciativa do jogo, controlaram com naturalidade o seu adversário em todo o espaço do relvado conseguindo gizar algumas jogadas de bom recorte ofensivo, sem prejuízo de garantir boa coesão defensiva apesar da falha que resultou no primeiro golo do Lyon, obtido pelo "nosso" Lisandro iam decorridos apenas 8´de jogo e no primeiro remate dos franceses à baliza de Helton.

           Três minutos após o 1-0, o Futebol Clube do Porto obteve o empate por Rúben Micael na sequência de um excelente desempenho de Kléber no lado direito, seguido de cruzamento para a entrada da área onde o madeirense fez o remate que, tabelando num defesa adversário tirou da bola o guarda-redes francês.

           Numa toada não muito alta mas onde era evidente a movimentação de todos os jogadores, Moutinho, Micael, Varela, Kléber e, incontornavelmente, Hulk, não deixavam respirar os jogadores do Lyon que recorriam exageradamente à falta para travar o caudal ofensivo da nossa equipa. Souza, impunha-se no meio campo ora descendo para a posição de líbero ora juntando-se às jogas de ataque e, na esquerda Fucile jogava já em ritmo de competição, enquanto no lado direito, Sapunaru, (fala bem português, este romeno...) atacando menos que o colombiano não deixava de ir lá à frente, tendo desperdiçado até uma boa ocasião por ter tentado fazer o que só os pontas de lança sabem, isto é, marcar golos em golpe de bicicleta.

           Um número muito razoável de oportunidades de golo não foram concretizadas, a última das quais configurada num remate de Fucile ao terminar a primeira, num pontapé a concluir uma iniciativa individual batendo a bola na base do poste, sem hipóteses para o excelente guarda-redes do Lyon.

           Aos 62´, Vítor Pereira procedeu às primeiras substituições, saindo Rúben Micael e entrando Belluschi e Souza deu o lugar a Fernando. Tanto Rúben como Souza, estiveram em excelente plano. Aos 65' sai Kléber para entrar Djalma e aos 77' Sapunaru foi rendido por Sereno, Otamendi cedeu o lugar a Maicon, Castro foi fazer de Messinho e Christian fez descansar Varela. Embora Djalma tivesse entrado forte e dado algum trabalho à defesa adversária, a verdade é que a equipa cedeu bastante nestes minutos finais permitindo algum ascendente do Lyon, que acabou por obter o segundo golo a 10' do fim da partida, em resultado da dupla falha de Maicon (cortou para a frente a bola) e de Fernando ("assistiu" o marcador do golo), este ainda numa fase de déficite técnico, quiçá físico, fixando para a estatística um resultado que está muito longe de traduzir a realidade de um jogo que o Futebol Clube do Porto poderia ter vencido com toda a naturalidade, pois foi muito superior em tudo ao seu opositor.

           Como já deixei transparecer agradou-me o futebol praticado pela equipa, dando de barato um ou outro lance de descoordenação admissíveis em jogos desta natureza, nos quais os atletas estão longe de jogar nos limites do esforço e, diga-se,.do empenho.

           Helton, esteve seguro e não tem responsabilidades nos golos sofridos; os dois laterais (Fucile e Sapunaru) cumpriram sem reparos, aliás, como Otamendi e Rolando; no miolo a virtude está toda no João Messinho, a jogar como se estivesse já a meio da época, tendo eu ficado com a impressão de que não tem a cabeça ocupada com fantasias e sonhos irrealizáveis; Souza, continua a somar pontos para a titularidade e é visível a sua progressão na leitura do jogo e combatividade; Rúben não desiste de ser alternativa de peso ao lugar de Belluschi e Varela, brilhante até aos 30', desapareceu para voltar ao jogo num bom período antes de ser substituído.

            Tanto Kléber como Hulk, estiveram ao nível de Moutinho, sendo que o Incrível não é comparável a nenhum deles e é, só por si, o espectáculo. Nem tudo lhe sai como improvisa mas no que consegue não tem igual por essa Europa dos milhões e dos...balões!

            Jogar menos de 10´na parte final de uma partida com carácter de jogo de preparação não ajuda muito a quem tem vontade de brilhar. Sendo assim, nem será justo falar de Maicon (culpas no golo da derrota), Castro, Sereno ou Christian dadas as diminutas vezes que tiveram a bola na sua posse.

            Tudo dito, conclusão final: o Porto está Pronto, vamos lá jogar "a sério".

          


           

sábado, julho 30, 2011

A VERSÃO NOVA DA REVISTA "DRAGÕES".

        
          Uma das mais felizes iniciativas tomadas por Jorge Nuno Pinto da Costa desde que, em boa hora, assumiu a presidência do Futebol Clube do Porto foi a de associar o nome de DRAGÃO, figura mitológica que encima o emblema de incomparável beleza do Clube baluarte do Porto, do Norte e, cada vez mais de Portugal e ícone da "Cidade da Virgem".

           Uma das que mais contribuiu para a rápida popularização daquela referência simbólica foi a criação da revista "DRAGÕES", cujo primeiro número apareceu em 1985 e, rapidamente, se implantou no universo portista e nacional impondo com referência incontornável nos órgãos de informação em geral esta designação, em substituição das de "tripeiros" ou "andrades" até então mais utilizadas.

             Possuo todos os números encadernados com a capa original dos primeiros doze anos, que documentam momentos dourados da saga do Clube, a qual incluiu a primeira vitória na Taça dos Campeões Europeus de 1987, que mereceu uma edição especial que também adquiri, desistindo de continuar a fazê-lo
 por razões que tiveram a ver com a obtenção da respectiva capa e, quiçá, derivado à necessidade de dedicar toda a concentração nas minhas funções profissionais.

             Voltei a tomar conhecimento da sua existência graças a Armando Pinto através do seu blogue de referência LÔNGARA - ACTIVIDADE LITERÁRIA E  MEMÓRIA ALVI-AZUL ( http://longara.blogspot.com/2011/07/nova-imagem-de-marca-da-revista-dragoes.html), mesmo que antes a não tenha identificado quando reparei na capa onde estava Vítor Pereira mas escondia o nome da revista. Voltei lá, no dia seguinte, e comprei o exemplar: 3€.

             Sem me alargar no conteúdo não fiquei impressionado com a sua imagem geral. Sendo certo que este papel agora escolhido tenha vantagem para a leitura, a sua aparência é a do comum reciclado. As cores quase neutras são pouco apelativas aos olhos e o tipo da letra dos textos é mais adequado às vistas jovens dos que à dos que precisam de mais luz para ler.O grafismo é bastante aceitável mas ainda assim pode melhorar. O preço harmoniza-se ao lançamento e ao nível deste número.

             Como impressão inicial penso que a grandeza do Clube e o nível de exigência dos adeptos merece mais. Estou certo que o próximo número já sairá com direito a nota SATISFAZ BASTANTE.


              Mesmo em tempo de crise um portista crente não deixará de ter sempre à mão o exemplar que regista o percurso vitorioso do MELHOR CLUBE DE PORTUGAL.

             

           

quinta-feira, julho 28, 2011

O VIRA DOS GUARDA-REDES NO CLUBE DA DONA VICTÓRIA.

[Watermark_150.jpg]      

             Se Paulo Bento, seleccionador nacional, tem em mente entregar o lugar da equipa das quinas a um novo guarda-redes ganhou, a partir de agora, um argumento sólido para o fazer numa dádiva generosa do titubeante treinador dos encarnados, Jorge Jesus. As hesitações evidenciadas neste início de época quanto à escolha do titular da baliza do Benfica, levaram os seus dirigentes e treinador à tomada de decisões aparentemente confusas e quase impossíveis de explicar à opinião pública. Na verdade, prescindindo (sem glória e escasso proveito) dum activo de 8,5M€ (8 500 000), despedindo quase "à sucapa" um dedicado e desvalorizado Moreira após mais de uma dúzia de anos de canina servidão ao emblema da águia matricida, indo a Braga descobrir Artur, foi a Itália pedir "emprestado" um Eduardo que, na época finda, deixara os minhotos por uns "míseros" quatrocentos mil euros! E há, não esquecer, o brasileiro contratado há duas épocas ao vizinho Belenenses, César, sem nunca ter justificado, em presenças entre os postes, a razão da sua contratação.

             Mesmo um leigo (um leigo sabe, obviamente, nada em relação a um catedrático da bola como é Jesus), pode intuir que Artur, por ter muita mais "quolidade" do que os quatro (!!) outros juntos, será sem réstia de dúvida, salvo lesão, o titular escolhido pelo infalível profeta da Luz o que arruma, encosta, irremediavelmente, o até agora detentor da baliza da selecção.

             Desde que Rui Patrício chegou ao grupo dos eleitos do seleccionador, logo algumas vozes da claque jornalística da corte começaram a "dar" corda ao miúdo criado em Alvalade, apontando-o como principal candidato à baliza da selecção. É um excelente guarda-redes, sem dúvida, e adquiriu já a maturidade exigível para ser opção credível. Eduardo, nunca foi um "grande" keeper" e chegou à selecção por escassez de concorrência (o anterior titular, Ricardo, tinha caído no goto do seu protector Scolari) e, não jogando assiduamente, dá argumentos de peso a Paulo Bento para, se quiser ser coerente o tratar de forma idêntica à que concedeu a Beto (em grande forma na época finda e, por isso, seleccionado, mesmo a suplente de Helton, como ficou provado nos jogos que fez), que foi dispensado nos últimos jogos.

             De rir a bandeiras despregadas: Jesus, dispensou Quim para o Braga, na altura em que era titular na selecção. Entendia que não tinha altura bastante e descobriu em Saragoça o protótipo perfeito: Robertinho. Como não caía bem mandar embora o Júlio César, poupou na "massa" e foi  Moreira p'ra reforma antecipada. Veio o Artur do Brasil, para Braga, porque os "minino olheiro" andam mesmo ceguinhos por lá. O Nápoles (?) estava ansioso por se livrar do "barrete" e conseguiu enfiá-lo ao Ruizinho.

             Só falta o Vitorino de Almeida compor uma música para a Leonor Pinhão e o Ricardo Fedorento dançarem o "Vira" dos guarda-redes.

quarta-feira, julho 27, 2011

RASCORD "VENDE" HULK POR 80M€!

           Cada um come do que gosta e quanto a isso estamos conversados. Gostos não são para discutir, fazem parte da liberdade individual da pessoa humana e cada um fará o uso que lhe aprouver da sua até ao limite da fronteira onde esta possa colidir com a do seu semelhante.

            Numa população de cerca de 10 000 000 de habitantes, há em Portugal três diários desportivos e um grande número de generalistas que dedicam ao desporto com regularidade, com  maior enfoque no futebol, substancial espaço nas suas edições regulares.

            Há, pois, uma concorrência feroz na imprensa escrita, como existe na audio-visual, para cativar e fidelizar os consumidores, mas nem sempre esta disputa alinha pelas regras deontológicas que obrigam os profissionais do jornalismo, tornando-se cativa dos interesses económicos que a detêm.

            Facilmente se dá conta, mesmo dispensando uma leitura muito exaustiva do conteúdo de um jornal desportivo, das aldrabices, campanhas insidiosas contra pessoas e emblemas, proteccionismos clubísticos, retribuição de sinecuras, promoções de atletas, revanches insanáveis, enfim, uma panóplia completa de malfeitorias que são lançadas na opinião pública com o único fito de VENDER.

            O Rascord é o paradigma do anti-portismo que grassa em boa parte dos media lisboeta contra Pinto da Costa e o Futebol Clube do Porto e não há edição que não o demonstre quer pelas cachas ou fotografias de primeira página, quer através de crónicas de alguns dos seus colunistas. Tem sido sempre assim, pelo menos desde que o Clube do Norte deixou de tremer quando tinha que atravessar a ponte de D. Luís...

            Desta vez, escolheu HULK como alvo, difundindo ter sido o Incrível objecto de uma proposta de 80M€ para deixar o Futebol Clube do Porto. Obviamente que a notícia é FALSA. Não dá detalhes, não cita as fontes envolvidas, publica umas duvidosas declarações de uma personagem obscura, inscreve um valor abaixo da cláusula de rescisão, mas não muito distante dos 100M€ para lhe conferir alguma autenticidade.
      
            Eu tenho esperança de que não haja muitos adeptos do Futebol Clube do Porto que não tenham a respeito do pasquim alfacinha o mesmo conceito que há muito anos formulo. Quantos aos outros, nada tenho a ver como e em quê gerem os seus salários e pensões. Mas não compreendo, não consigo encontrar um único motivo que justifique que, alguém que é enganado sabendo que o é e não se incomoda com  isso, continue a alimentar quem  atraiçoa a sua confiança, dia após dia, meses e anos seguidos. É caso para ser tratado como um "desfeiteado" pela cônjuge e se sente feliz com os "enfeites" que dela recebe...

        

terça-feira, julho 26, 2011

DEFINIR O PLANTEL, JÁ!

http://4.bp.blogspot.com/-NxBs0_16wEA/Ti5pQgRpVpI/AAAAAAAAJeM/kCuT5e--WD0/s1600/20110726-oJogo.jpg
          Até ao dia 31 de Agosto mantém-se aberto o mercado para as transferências dos jogadores, o que significa que as incertezas quanto à definição final dos plantéis estão ainda muito longe do fim, quando algumas equipas estão já em competições oficiais e, outras, fá-lo-ão dentro de dias.

           A excepcional época que o Futebol Clube do Porto realizou conduziu a maior parte dos seus jogadores ao topo da visibilidade europeia, sendo natural que alguns deles sejam cobiçados por clubes de nomeada desejosos de reforçar as suas posições no ranking dos mais fortes e ambiciosos clubes mundiais.


          Uma mão cheia dos nossos jogadores que mais se destacaram e, continuam a evidenciar-se nos torneios ultimamente realizados, têm sido insistentemente dados como certos fora do clube, porém, nenhum deles está confirmado como vendido transaccionado mas, tudo parece, poderão vir a sê-lo até ao fim do longo tempo que ainda decorre para isso. Entretanto, imperturbável aparentemente, Vítor Pereira e a equipa prosseguem empenhados na preparação para os próximos compromissos não obstante as ausências que ainda persistem.

´         Esta dilação que se verifica no fecho das entradas e saídas dos jogadores não é boa para o trabalho que tem que ser feito, porque, embora as saídas possam estar mais ou menos previstas e as soluções já encontradas para as colmatar, sempre surgirá perturbação seja pela diferença de valor das pedras a substituir ou pelo curto período de adaptação do escolhido para o lugar deixado vago.

          Restam muitas incertezas sobre quais (e quantos) vão ser os jogadores do Futebol Clube do Porto que vão deixar de representar o clube na próxima época, tomando como acto de gestão administrativa necessário e normal o contrabalanço entre as despesas e as receitas. Quem compra, se o faz de boa fé e pensa em pagar o bem que adquire, tem que prever donde poderá vir a receita para cumprir os compromissos assumidos. Só não procede desta maneira quem é irresponsável ou confia que a teta da vaca pública lhe continue a alimentar os vícios de uma fidalguia perdida...

         Beto, Sapunaru, Rolando, Fucile, Álvaro Pereira, Guarín, Belluschi, Fernando, para só nomear aqueles que mais vezes jogaram na época transacta, já foram vendidos "mil vezes" pelos media desde que começou o chamado defeso. Até Hulk, cuja cláusula de 100 milhões €, pareceu, a certa altura, ser pequena para tanta procura. É de crer que, os que os desejem ver "a milhas" dos Dragões, tenham de sofrer pelo menos mais a época que se inicia com as "desfeitas" do Incrível.

         Apesar do twiter andar actualmente menos frequentado, não estou muito certo de que Falcao esteja já satisfeito com a conversa de "pé de orelha" que travou com o laureado Presidente Pinto da Costa. Engrossou a tranca da porta mais uns míseros 15M€, mas não duvido que, quem pode e deseja, tanto assina um cheque de 30 como de 45M£. Trocos!

         Eu tenho muito receio de que a má notícia para os portistas venha do João Moutinho, formiguinha a que me habituei a apelidar de Messinho, não porque seja comparável ao MELHOR DO MUNDO (são jogadores com características próprias mas não muito díspares quanto ao que representam para a estrutura da equipa), pelo que a sua saída influenciaria a estrutura e solidez do meio campo da equipa azul-e-branca. O pequeno médio foi decisivo para o equilíbrio e estabilidade da equipa em muitos jogos da época finda e não tem, neste momento no plantel, quem o faça com igual competência. Estou na expectativa de confirmar se o balneário do Dragão foi desinfectado convenientemente da bactéria esterlina ou não morreu de todo a larva que torna podres as boas maçãs...

         Fernando, se tem vontade de sair, já não devia estar no Porto. Potenciou algumas das qualidades que justificaram a sua contratação mas não atingiu (será que lá vai chegar?) o patamar dos imprescindíveis, se é que alguém o possa ser. Álvaro Pereira (o Palito) cresceu claramente desde que chegou ao Porto e é, actualmente, um  dos melhores do mundo no seu lugar. Tem mercado e Pinto da Costa, sabe-o melhor que ninguém e pode estar disponível para fazer outro bom negócio. Cristian Rodriguez, está certamente no mercado. É um activo ainda com significativo valor e o FC Porto está bem servido quanto a substituto. Assim... Rolando? Belluschi? Guarín? O argentino estava a dar nas vistas quando teve que sair, por lesão, da situação de titular. A partir daí, foi Gaurín que arrancou para um final de época espectacular, tornando-se uma pedra fulcral, uma força pujante e influente no valor global. Não deve faltar quem o desejasse ver com outra camisola, porque lhe conhecesse as capacidades e a ambição. Rolando, já tem alternativa séria.


         Por tudo o que fica escrito, mesmo que aparentemente não seja o prato mais requisitado pelos meios de comunicação social, o tal Portugal com capital no Rossio tem tido muito com que se entreter com o que se passa lá para a segunda circular..., não afasta totalmente dos Olivais o cenário de alguma convulsão o que, venha ela a instalar-se, muito melhor será ocorrer agora do que estando já a decorrer os jogos "a doer".

         Seja o que for venha a ocorrer ninguém está por demais preocupado. Somos Porto e estamos seguros de que o Comandante do barco há-de regressar da campanha deste ano com fartura de peixe graúdo e saboroso.

          

        

segunda-feira, julho 25, 2011

DRAGÃO EM MARCHA.



40 mil aplaudiram ao ritmo da dança do dragão
  
           O Estádio-Mais-Belo-da-Europa recebeu em festa a equipa campeã nacional que, pela primeira vez esta época, se apresentou perante os sócios e simpatizantes. Como sempre lindas as imagens que nos chegam do Dragão quase lotado (mais de 40 000 espectadores), com muitas crianças (e adultos) vestindo as camisolas e bonés alusivos do FC Porto, com os rostos estampados de satisfação e alegria, demonstrativo da confiança que reina na nação portista.

           São escassas as épocas em que ao longo de muitos anos perdi a "rentrée"do meu clube do coração e, este ano, foi uma delas. Não podendo estar presente fisicamente no Dragão, consegui com algum empenho e não pequeno sacrifício, acompanhar a partida contra o Peñarol desde o seu começo até ao seu termo, mas não ganhei ânimo bastante para fazer este post logo a seguir. Hoje, já um pouco mais refeito do dia algo desgastante de ontem, vou tentar fazer uma pequena resenha do que penso sobre o jogo ainda sem estar influenciado pelas crónicas dos jornais ou de outros blogues, os quais ainda não tive oportunidade de ler.


           Não notei na equipa diferenças muito significativas em relação ao seu estilo de jogo comparado com o que foi o ano transacto. Estruturalmente, não há inovações cuja diferença se tornasse visível aos olhos do adepto comum, como me considero, ainda que não venham a faltar os especialistas que as detectem. Quatro defesas, três médios, três avançados, que se revezam e trocam de posições conforme as exigências do jogo que acontece, defesa solidária, meio campo muito operoso, uso das alas para atacar preferencialmente mas com incursões para dentro ou cruzamento para o centro da área e pressão alta em recuperação da posse da bola. E HULK. Em excesso, penso eu. Pareceu-me notar um uma tendência treinada da equipa em entregar sempre a Hulk a decisão de resolver a jogada de ataque, o que não me parece ser muito bom. A equipa tem, necessariamente, de jogar com o INCRÍVEL, mas não deverá jogar APENAS para ele, com o fito na sua capacidade excepcional.. O senhor "100 milhões" é tendencialmente individualista e, conhecendo as suas características, é um alvo especial dos adversários e objecto de guarda reforçada; se a equipa exagerar na procura do HULK, abdicando de variar as opções do último passe para jogadores que melhor finalizariam as jogadas de ataque, desperdiçar-se-à muito jogo.

             Gostei da serenidade demonstrada pelos jogadores e da confiança que parece respirar. Apesar de no plantel ainda não estarem jogadores fulcrais, mesmo que alguns possam não vir a dele fazer parte, a ideia que sobra é que o Futebol Clube do Porto está forte e apetrechado para o combate nas frentes várias em que vai estar envolvido.

             O jogo de ontem não foi muito brilhante mas teve bastantes motivos de interesse. O futebol jogado esteve algo abaixo do bom, mas não merece nota negativa. Disputado num ritmo quase de treino, com os jogadores em esforço q.b., teve porém alguns momentos meritórios e mais teriam sido, penso eu, se os jogadores do Peñarol tivessem optado por correr mais um pouco e não recorressem à falta sistemática para evitar que os nossos jogadores o fizessem.

             Individualmente, estiveram bem os que de uma forma quase habitual, o estão sempre. Moutinho, foi um deles. Porém, SOUZA, agradou-me porque me pareceu bem melhor do que na época transacta, dando indicações de que poderá vir a fazer um grande campanha este ano. KLÉBER, já não é surpresa para ninguém: está ali um "senhor jogador" e...ponto final!

            Dos que lutam para se manter no clube não há muito a dizer porque foi curto o período em que actuaram e uma apreciação vista pela TV ainda reduz mais a análise que se pudesse fazer. CASTRO, faz tudo para ficar e é um "jogador à Porto" Sinceramente, gostaria lhe fosse dada essa oportunidade. CRISTIAN ADDU, fez tudo bem no pouco que se viu e KELVIN, deixou água na boca. (Olha lá, "cara", um jogador de bola não tem que parecer um músico pank, né?. Porque ossê, não rapa a cabecinha toda como o teu compatriota Maicon?) Pois, e VALTER, o Maciço; belo golo, nos pouco minutos para me dar razão de que tem futuro, no Porto. Obrigado, seu moço.

            E pronto, fiquei com apetite para o próximo banquete, ao qual penso fazer-me convidado, e vai ser contra o Lion. Nessa altura, ainda não estarão os campeões na Argentina, Álvaro Palito e Cristian Rodriguez, nem James, nem Iturbe, nem Sandro ou Danilo. FALCAO? Certeza certa, um ou dois não vão estar. Quem? Quais?


            Moutinho? Por favor, NÃO!


     

            

            O resultado foi de 3-0 a favor do FUTEBOL CLUBE DO PORTO e os golos foram apontados por KLÉBER, aos 9', por HULK, de penalti (muito bem apontado) cometido sobre si próprio aos 72' e, VALTER, servido por Kelvin numa bom lance de futebol, num remate rasteiro, à primeira.
   
            A equipa alinhou inicialmente com: Helton. Sapunaru, Rolando, Maicon e Fucile, Moutinho, Souza e Ruben Micael; Varela, Kléber e Hulk. As substituições começaram logo a seguir ao segundo golo, tendo entrado Bracalli, Beluschi, Otamendi, Castro e Djalma de uma assentada e, aos 72 Valter, Sereno e Addy, e, aos 84', entraram David, (também esteve muito bem) Cristian Addu e Kelvin.

            Sairam, Kléber, Helton, Sapunaru, Fucile, Moutino, Souza, Varela e Rúben Micael.

sexta-feira, julho 22, 2011

O BARCO ESTÁ PRONTO A FAZER-SE AO MAR.



            Está a tornar-se bastante complicado, para mim, dar a atenção que desejava a este início de época do Futebol Clube do Porto. Compromissos recentemente assumidos voluntariamente, e que terei de cumprir prioritária e necessariamente, a par das inevitáveis obrigações de avô presente nas acções próprias dos netos, concorrem para um calendário apertado que obrigam ao estabelecimento de prioridades. É o que, em termos de economia traduz, julgo eu, o que se considera como "custos de oportunidade"..

            Assim, não pude (e, ao contrário do que tencionava também não irei estar no Dragão, na apresentação) ver na TV o jogo de Vila do Conde. E o que conheço do que ali se passou é da leitura do post do Manuel Vila Pouca, no Dragão Até à Morte (aliás, também ele não viu o jogo por inteiro) e da leitura do JN enquanto tomava a primeira bica do dia. Tive, nessa altura, oportunidade de ver os golos que passaram na RTP1, nesse momento.

            Do que conclui, ninguém ficou decepcionado e a apresentação não defraudou a expectativa natural que se instala nos adeptos neste início de época. O Futebol Clube do Porto terá feito um jogo equilibrado, no rítmo próprio das partidas de apresentação e cumpriu, ganhando. Com golos, o que é sempre agradável.
           Kléber, sem surpresa, confirma o que dele se espera: golos. Ontem, foram mais dois e agora, o apetite, vira-se para quando, ele e Falcao, puderem alinhar juntos. Vai ser de morte!
           O João Messinho, até já é capitão! Merece sê-lo. Empolga, com a sua genica e entrega a que não falta classe, os colegas e os adeptos. Que não pensem em deixá-lo sair!
           Varela e Fucile, e a defesa em bloco, terão estado à altura das competências que todos lhe reconhecemos. Fernando, pode mão ter encontrado ainda a tranquilidade necessária para render ao nível do seu melhor e, por isso, terá contribuído para o golo do Rio Ave. É urgente que de defina a situação.

            Dos novos que ontem intervieram são escassos os elementos para emitir impressão justificada. Bracalli, é por demais conhecido. Djalma, também. Kelvin, não terá ainda estofo para este ano ser integrado no plantel principal, todavia parece ter qualidade para sê-lo, a prazo.

            Tacticamente a equipa mantém o modelo habitual. É bom que assim seja. Vítor Pereira não parece ter tendência para alterar o que não tem que ser mudado, o que revela bom senso e que a visibilidade que não tinha na época finda não significa que a sua influência no trabalho desenvolvido nessa altura não seja da sua responsabilidade, em grande parte.

           Tudo dito, por agora, não há razões para temores porque o barco está pronto para fazer-se ao mar.


           

quinta-feira, julho 21, 2011

ESTABILIDADE PRATICAMENTE ASSEGURADA.

             

              Até agora, ainda nenhum dos jogadores nucleares do Futebol Clube do Porto deixou o clube o que, a manter-se esta situação até final do próximo mês de Agosto a estabilidade do plantel será benéfica para a consolidação da equipa e para a potencialização das capacidades por ela demonstradas na época anterior. Sendo previsível, quiçá inevitável, que uma ou duas das suas pedras mais cobiçadas, segundo o que se lê e ouve, possam não resistir ao apelo das condições irrecusáveis que os tubarões europeus lhes oferecem, tal eventualidade não apanhará de surpresa os responsáveis dos dragões que, metódica e cirurgicamente, desde há muito se vêm precavendo 
Lisboa
24º C




              Falcao, um dos mais requisitados e dado quase como estando fora das contas de Vítor Pereira, parece andar agora mais sossegado e com menos tempo, apesar das férias, para escrever no facebook ou twitter. Sabe-se que Roman Abramovich, o dono do Chelsea, tem relação fácil com o euro e 45 milhões para ele não representam um valor excessivo para ter um gosto especial. Porém, uma hipotética saída não será um drama porque Kléber tem muita qualidade e espaço para evoluir.
              
              O Álvaro (Palito) faz (muito bem, diga-se) pela vida brilhando na Copa América contribuindo positivamente para estar na final com o seu Uruguai. Esta excelente exposição mundial das suas capacidades podem ter sido favoráveis a negociações que estejam abertas há algum tempo com ofertas tentadoras, para empregado e patrão.Se o clube investiu tanto para ter uma alternativa.
 

João Moutinho no onze do F. C. Porto em Villarreal

              A grande "bomba" que poderia fazer tremer o Dragão e levar os adversários internos aos píncaros da alegria e do alívio de o verem pelas costas, seria a saída do João Moutinho, a ex-maçã podre ou João Messinho, como lhe tenho vindo a chamar desde que as suas exibições ao serviço do FC Porto se tornaram essenciais para o êxito alcançado pela equipa. O João não deve (não pode) sair por mais libras boas que sobrem dos barris de petróleo do russo desolhado e gastador. É evidente que haveria sempre uma solução, mas sem o algarvio tudo seria diferente. Olho vivo e pé ligeiro, Presidente. 

              Vila do Conde será palco, logo à noite, da primeira exibição pública do Futebol Clube do Porto versão 2011/2012, se bem que não integram a equipa os internacionais que estão, estiveram, ou ainda vão jogar pelas equipas dos seus países. Outros serão chamados em seu lugar e, assim, num jogo já com mais exigências e contra um adversário credenciado, terão oportunidade, quem sabe decisiva, para a sentença do treinador, tendo os adeptos oportunidade para tirar conclusões sobre o valor que lhes pareçam possuir.

                Força, Campeões!


             

terça-feira, julho 19, 2011

DANILO "FECHOU" PELO FCP.


             DANILO Luiz da Silva, já assinou pelo Futebol Clube do Porto.

             O jogador de 20 anos (5.07.91), Bicas, Minas Gerais, que jogava no Santos (São Paulo) no lugar de lateral esquerdo acaba de assinar pelo Futebol Clube do Porto pela quantia de 13 milhões de euros, como consta do comunicado enviado à CMVM (Comissão do Mercado de Valores Mobiliários).

             Conforme vinha sendo divulgado na comunicação social o jogador estava a ser assediado por outros clubes que, no entanto, acabaram superados pela proposta dos campeões nacionais.

         
            Esta contratação poderá contribuir para que volte à ribalta a dúvida sobre a continuidade de Álvaro Pereira nos Dragões, uma vez que o Palito tem vários pretendentes no mercado europeu.


           

segunda-feira, julho 18, 2011

FIM DE PAPO! COMECE O FUTEBOL!

http://1.bp.blogspot.com/-YLMurdmbFB0/TaSS_TKdkRI/AAAAAAAAADo/JdDXAtJHIPw/s1600/294980785_small.jpg

            Bem sei que o panorama está prestes a mudar, que a bola verdadeira vai em breve saltar na relva dos estádios, que os jogadores vão ter que demonstrar no palco real que valem bem mais no trato da bola do que a falar, que os treinadores vão (finalmente!) fazer as suas opções, que os charters vão aterrar na Portela às dezenas mas já não com os "craques" arrematados nos leilões dos novos negreiros mas de turistas que hão-de salvar da ruína os hotéis e restaurantes às moscas, que a RTP1 vai acabar com os noticiários e comentários sobre a crise da Nação para dar mais tempo de antena ao Real Madrid podendo, assim, falar do Ronaldo e do Coentrão como se fossem do Benfica, que venha, célere, a hora da verdade e voltasse o FUTEBOL A SÉRIO, onde só contam os pontos e com eles os campeonatos.

            Campeonatos na América do Sul, a decorrer a desoras, jogos-treino para as equipas exibirem novos equipamentos, torneios entre equipas a fazer turismo de borla, a falta que o Roberto faz para animar a malta, o Vieira a assinar, o Jesus a sonhar, o Rui a gastar, O Godinho a saldar, o Domingos a trabalhar, o Miguel Sousa Tavares a desancar, e o raio que os parta que já não os posso AGUENTAR.

            VENHA A BOLA! QUERO VER A "MENINA" A SALTAR, O MEU PORTO A JOGAR E A GANHAR! 
           
           MAIS NADA!




        

sexta-feira, julho 15, 2011

TRABZ...QUÊ?

       
  
           Difícil, muito difícil de pronunciar este Trabzzzzzonpor, que mora lá para o país que tem um pé na Ásia e outro na Europa, a Turquia, que da mesma forma balança entre o Islamismo e o Catolicismo, aparecendo agora cheio de "cagança" na 3ª eliminatória que dá acesso à Liga dos Campeões pelo mérito de ter ficado em segundo lugar do campeonato onde participam os emigrantes de luxo Hugo Almeida, Quaresma, Simão e mais uns quantos brasileiros à cata do pilim.

            Bem sei que a importância que se dá em Portugal ao que desportivamente se passa na Turquia não deve ser muito diferente da que o nosso país goza no Sudão do Sul, mas este Trabzzzzzzzzzzonpor, (até se me prende a língua, caraças), teve cá uma sorte que nem o vencedor inglês do último sorteio do euromilhões! Porra, bolas, não havia logo de lhes sair o clube da Dona Victória? Então, eles, tão aflitos que andam à procura de substitutos para os jogadores que abalaram do clube no final da última época, não vão defrontar um adversário com uma defesa sem asas, com um treinador que não dorme porque ainda não está certo de quem irá ocupar o lugar de Luisão,  não se decidiu até agora qual o frangueiro que merece estar na baliza e "ABorla" não lhe compra os jogadores que gostaria de ter? Puxa, trabzzzzzzzzzzonpores, se não deres meia dúzia a este esboço de equipa que até o Dijon (quem, é assim que se escreve?) derrotou, então meus caros vou escrever ao Durão Barroso para vetar para sempre a entrada desse impreparado país na UE.

            Para aprenderdes!

FALCAO ASSINOU PELO FC PORTO!!!

          
            O Futebol Clube do Porto CP (Campeão Nacional) revelou ontem ter celebrado contrato com o colombiano Radamel Falcao, o melhor marcador da Liga Europa e o segundo da última Liga Portuguesa logo a seguir a Hulk, ganhando ao Chelsea, Real Madrid, Man United, o Atlético de Madrid (quem?) e a mais duas ou três dezenas de outros  pretendentes, como foi largamente noticiado em "ABorla e "Rascord" durante várias semanas a fio.

            O ariete internacional colombiano que, neste momento, se encontra a disputar o campeonato sul-americano ao serviço da selecção do seu país, obteve até agora dois golos confirmando a sua tendência para continuar a ser o terror dos guarda-redes e a causar muitas noites de insónia a treinadores e dirigentes que, aqui em Portugal, continuam a não o querer ver nem que seja o último que falta para completar a colecção de cromos dos jogadores de futebol para oferecer ao neto.

            Falcao jogava com um contrato cuja cláusula de rescisão era APENAS de trinta milhões de euros, quantia de somenos relevância para clubes habituados a comprar contentores de jogadores de igual gabarito, ou ainda melhor, assinou um contrato que o vincula ao Futebol Clube do Porto CP (Campeão Nacional) por CINCO anos com a ressalva de desvinculação obrigatória fixada em QUARENTA E CINCO milhões de euros!

           A consumação desta transferência vem confirmar o excelente entendimento que existe desde há quase três décadas, entre o Futebol Clube do Porto SAD, presidido por Jorge Nuno Pinto da Costa, onde o atleta jogou na época finda e se valorizou, e o Futebol Clube do Porto CN (Campeão Nacional), liderado ainda (e por muitos mais anos) pelo mesmo Jorge Nuno onde Radamel Falcao sempre quis jogar.

          

quinta-feira, julho 14, 2011

FRANCEZINHA À MODA DO PORTO.

           Assim à laia de "rapidinha" que apazigua e acalma as sensações que nos impelem à consumação dos actos da nossa vida quotidiana, dei uma vista de olhos pelas pelas letras "gordas" das edições em papel aos dois diários que melhor satisfazem as minhas necessidades básicas de informação diária: o generalista Jornal de Notícias (JN) e o "O Jogo", para a actualidade desportiva.

           Ouve-se, muitas vezes, dizer que é desbaratar tempo a leitura dos jornais, porque as notícias só mudam de protagonistas mas pouco se diferenciam de outras que já antes nos foram divulgadas, dizem uns, que são pouco ou nada credíveis, garantem outros ou, "é sempre a mesma coisa", garantem os cépticos. É óbvio que não é nada daquilo que eu penso e se ainda persisto, por enquanto, em manter-me atento ao que  vai acontecendo em Portugal e no mundo e me entra em casa pela "janela" das TV pela via dos noticiários, continuo fiel ao antigo (posso dizer velho, sem complexo) costume de "sentir" as notícias que leio através da sensibilidade dos dedos que seguram o jornal.

           Como o político-social e económico, tanto quanto o crime generalizado, cada dia mais e de maior  violência, o drama do desemprego, os cortes nos rendimentos da dita classe média, o estado do ensino, a incerteza e o caos que esfarelam o sistema público de saúde, as inconcebíveis decisões judiciais, a corrupção galopante e incontrolada, a hediondez da pedofilia e tanto mais, que vão tornando este, cada vez menos, "paraíso à beira mar plantado" um depósito gigantesco de gás propano sujeito à atracção de um raio onde os pára-raios foram destruídos, não cabem na natureza deste blogue, vejamos o estado de hoje (ontem) do fenómeno do desporto, focado no que ao Futebol Clube do Porto diz respeito.
http://s.glbimg.com/es/ge/f/620x470/2010/12/15/alexsandro_sub20_gcom_95.jpg
            Ao que parece (ver para crer, como S. Tomé), DANILO, um lateral direito/médio, de apenas 19 anos, já internacional pela canarinha e ALEX SANDRO, defesa esquerdo, também ele um jovem de 20 anos de idade e internacional sub-20, ambos brasileiros do Santos de Pelé, acabam de ser "resgatados" e salvos de um  futuro muito duvidoso, ao clube da Dona Victória, aprestando-se para aterrar num dos melhores aeroportos da Europa e do Mundo, que por acaso se situa no norte ali para os lados da Maia, mais exactamente em Pedras Rubras, para vestirem a camisola mais conhecida no universo futebolístico, as azuis-e-brancas do Futebol Clube do Porto.

DANILO COMEMORA GOL
            As referências que enformam as notícias (e os vídeos, entretanto já divulgados) deixam os seguidores dos Dragões a sonhar com as exibições que as suas aptidões poderão prodigalizar no futuro, mas, o que certamente, agora, lhes provoca mais gozo é que, ambos, não se deixaram seduzir pelos "rebuçados" que os  olheiros encarnados lhes andavam a oferecer e acabaram por optar pela aposta certa que o mesmo será dizer, puseram as respectivas assinaturas num contrato de cinco anos e vão mudar-se de S. Paulo, a laboriosa cidade brasileira para a sua homóloga Porto português. Ah, ah, ah!

            Estas coisas não são para quem sonha mas para quem quer e pode!

                                               Para ver e esperar.


             A gente até lhe parece ser o Real Madrid de Lisboa, tantas são as notícias e o espaço que lhe é dedicado nas capturadas estações TV, enquanto os portistas, se por acaso têm um momento de distracção, nem se dão conta de que os campeões nacionais ainda andam lá pelos germânicos domínios da usurária Ângela Merkel. O que nos vai valendo, a nós, portugueses de primeira escolha, é que Jesus e os seus rapazes nos têm brindado com "nacos" de arrebatador tango sul-americano, mostrando-se insuperáveis na simpatia que manifestam para com os credenciados adversários que defrontaram, a ponto de perderem os jogos de propósito com o intuito de os fazer felizes. Que ternura!




           Enquanto Pinto da Costa anda a encher casinos para lhe conhecerem os projectos nas entrevistas que ali lhe fazem e, que ele é tudo menos ingrato, para agradecer e elogiar publicamente os competentes "olheiros" do benfica, o BMN (Banco Minas Gerais) conseguiu contratualizar um acordo com o MELHOR CLUBE português comprometendo-se a dotar o Dragão com um MUSEU à altura da grandeza do Estádio-Mais-Belo-da-Europa e do seu Presidente. Como sempre o líder mais vitorioso do mundo, quase a fazer três décadas de gestão modelar à frente do clube "A vencer desde 1893", cumprirá uma das suas promessas: a criação do MUSEU.

           E no hóquei em patins acontece a sublimação do produto, a busca da excelência só ao alcance dos eleitos, dos dotados. Vejam : Tó Neves, regressa e vai treinar os decacampeões ininterruptos, Franquelim Pais, o "mestre" guardador da poção mágica do sucesso vai visionar a aplicação da dose adequada, Ilídio Pinto é o Alquimista que a conserva inalterada e, lá está, Pinto da Costa, nós todos, a desejar-lhes outros dez seguidos, um de cada vez.

           A concluir (os meus agradecimentos a quem teve a pachorra de me seguir até aqui) não podia de deixar de lhes perguntar se assistiram à última conferência de imprensa do Jorge Jesus. Não? Que pena, foi brilhante. Então aquela descrição das características do Denthre, a "modéstia" com que lembrou ter sido o "fazedor" de Coentrão, a sentida melancolia pela falta que lhe fazem na defesa o Luisão e as asas perdidas do Max e do caxineiro villas-peseteiro, os planos que reserva para Javi, o pseudo ar de indiferença pelos resultados verificados nesta pré-época, outrora tão celebrados, e a ansiedade incontida perante a eliminatória a jogar dentro de quinze dias para a Liga dos Campeões, dão uma fotografia a preto-e-branco do treinador que do Braga chegou ao slb para ser campeão europeu. Homem, não te deixes ir abaixo! Confia no Professor...

          


        

domingo, julho 10, 2011

PAGO, MAS BUFO!

          Todos os meses a Rádio Televisão Portuguesa (RTP) entra no meu bolso para me sacar uns quantos euros (não menciono exactamente quantos porque aderi à factura anual e, neste momento, não tenho nenhuma que me forneça dados exactos), supostamente porque me presta um serviço público extraordinário cujos encargos o Estado só em parte entende dever assumir.

           Sendo público,  deveria entender-se que todos os cidadãos protegidos pela Constituição da República têm o direito a ser tratados em pé de igualdade, quaisquer que sejam as suas opções políticas, religiosas, cor, raça e, também, julgo eu, a sua paixão clubista.

           Penso que a RTP1, sabe isso mas não cumpre.

           O facto que hoje constatei é um dos muitos que acontecem naquela estação e não se verificam apenas em relação ao favorecimento do Sport Lisboa e Benfica, como agremiação desportiva sediada na capital, mas também a outros sectores da vida nacional, designadamente na economia e nas despesas públicas, onde a região de Lisboa e Vale do Tejo é largamente favorecida em relação ao "resto" do país.

           O  noticiário de hoje das 13 horas da estação pública abriu com o sr. Carlos Daniel, adepto confesso do clube encarnado, iniciando o bloco informativo com referência ao congresso das câmaras municipais o qual teve a duração de cerca de 5 minutos. Ainda o relógio do canto esquerdo não tinha chegado aos seis minutos, já entrava no ar a peça sobre o grande acontecimento desportivo do dia de ontem, ocorrido na Suíça, onde o segundo classificado do campeonato português da época transacta e vencedor da taça Calsberg, "esmagou" o mítico, fabuloso e histórico grupo dos "amigos das casas do clube da Dona Victória na Suíça", pela marca de 1-9!!!. Foram passados os golos, entrevistados os seus autores, sublinhado o feito do Tacuara ter alcançado um poker e, (notável!), até descobriram um jogador  português (!), Miguel Víctor, autor do nono golo, para garantir que ainda há no plantel alguém que fala na nossa língua. Mas não é tudo: o "treinador" do "clube" helvético teve oportunidade de elogiar o comportamento dos seus "jogadores" e a "cidade e o mundo" ficaram a saber que o "luvas pretas" ainda continua ligado ao futebol. Foi lindo o brinde do Paulo César, à Robertinho...

             Quase sete minutos decorridos, um tal Futebol Clube do Porto, apenas campeão nacional invicto, vencedor da Liga Europa e Taça de Portugal em 2011,  em estágio lá para a recôndita Marienfeld, (na Alemanha, é?), esteve no ar, generosamente, menos de dois minutos com passagem de umas imagens requentadas e a informação de que, hoje, iria defrontar uma equipa de amadores da 6ª divisão germânica.

              Claro, os portistas, os portugueses, têm o complexo da discriminação relativamente ao poder da capital.

sábado, julho 09, 2011

À VOLTA DO ESTÁGIO EM MARIENFELD (ALEMANHA)



        Os rapazes andam lá pelas germânicas terras da senhora dona Merkel, em Marienfeld mais precisamente, um local pelos vistos muito aprazível e benquisto para as cores azuis-e-brancas que de lá têm trazido, nas últimas épocas, o elixir da felicidade e da fortuna, qualidades que normalmente só possui quem trabalha e o faz com muito suor e maior competência, é justo dizê-lo. Estão, por certo, empenhados em dar o seu melhor, equipa técnica e atletas, aproveitando a excelência das condições que o clube lhes proporciona em nada comparáveis àquelas que muitos dos nossos compatriotas emigrantes que ali trabalham usufruem por muito menos benefício material, para ajudar a que a grande Alemanha a reciclar o "lixo" em que as agências do rating nos obrigam a ser.

          As notícias que chegam até nós em quase nada ajudam a formar uma ideia sobre o que vai ser a definição final do plantel, subsistindo ainda muitas dúvidas sobre quem sai e quem fica, se as aquisições confirmam ou defraudam as expectativas que se vêm alimentando sobre eles, muito embora seja de crer que que a maior parte dos campeões nacionais vai continuar. Falcao, é o que mais tem estado nas bocas do mundo e, ora é dada como adquirida a sua saída como a sua continuidade. Até já os trinta milhões da cláusula cresceu mais que a taxa de juros da dívida soberana portuguesa... Fernando, como a invasão da Líbia, deixou de ser assunto dos mídea e, a tida como certa desvinculação ainda no decorrer do campeonato, já não concorre com as notícias das chegadas à Portela de charters com fenómenos mundiais para o SL Babel e SC ex-Academia de Portugal.

          Conhecemos alguma coisa do Djalma e outro tanto de Kléber, quase nada do Kelvin. Yturbe vai estar à prova  no campeonato do mundo da categoria e nós mal podemos esperar para ver o dito "novo Messi" (detesto as comparações óbvias, mas que se há-de fazer). O angolano vai ser muito útil, tem qualidade e bons atributos mesmo que não seja sempre titular. Ao contrário do que vou lendo por aí, Kléber é capaz de preencher a vaga de Falcao, se esta ocorrer. No momento actual, parece ousadia fazer tal afirmação mas não é: o ex-marítimo é dotado para o lugar e o colombiano El Tigre, quando chegou ao clube também não revelou logo todos os atributos que agora lhe são reconhecidos. Wait to see.

          Há um ditado que diz que "quem se ri do vizinho o mal lhe vem pelo caminho". Por isso vou esquecer que o clube da Dona Victória, que nos idos da ditadura foi o orgulho da Pátria de Salazar por ser, orgulhosamente, inteiramente constituída por portugueses mesmo que Eusébio e Coluna, entre outros, não tivessem nascido em Portugal, vai apresentar-se nesta época apenas com estrangeiros oriundos de vários países o que converterá o balneário encarnado num ambiente da bíblica Torre de Babel. Deve ser por essa razão que Jorge Jesus chamou para com ele colaborar o experiente e conhecedor psicólogo desportivo doutor Manuel Sérgio... ai, Professor...!. Deus permita que no balneário do Dragão não deixe de continuar a falar-se na língua de Camões e de Fernando Pessoa, rezo para que Castro, Sérgio Oliveira e outros miúdos dotados se juntem aos resistentes do plantel actual para manter o sotaque do norte inconfundível.

           A Sport TV assegurará a transmissão de quatro partidas da pré-época, a saber: em 16/7 - Borússia Moenchergladbch; a 21 deste mês, o Rio Ave, em Vila do Conde; segue-se o Peñarol, no Dragão, no dia 24 (onde eu também penso estrear-me a ver ao vivo); e, a fechar, no dia 31/7, o Lion.

           Nestes jogos, dou prioridade à observação individual dos jogadores que chegaram ao clube. Gosto de ter a minha própria opinião sobre as capacidades que revelam, mesmo que aceite sem dificuldade que não as poderão revelar todas nestas partidas. Estou atento ao modo como "pisam a relva", à sua movimentação dentro das quatro linhas, se recorrem ou não ao uso da falta, à velocidade de execução, à genica com que actuam. Para isso não há como observar "ao vivo", no estádio e, mais tarde, poder aferir as minhas pelas impressões alheias. Bem sei que não contam apenas as aptidões técnicas para ser grande no futebol porque são necessárias outras de ordem pessoal, quiçá bem mais importantes do que a habilidade nata de jogar à bola. Mas essas, estão fora do nosso alcance conhecer directamente e, quando chega até nós algum rumor têm, normalmente, a veracidade que atribuímos a um vulgar boato.

            


       

quarta-feira, julho 06, 2011

BELO, É O DISTINTIVO.

       
     (Do blogue: Sou Portista com Muito Orgulho)

                 O hábito não faz o monge, o que quer dizer que por muito bonita que se considere a camisola que um atleta veste nunca fará dele melhor que aquilo que, na realidade, é. O "peso" que ela pode representar, e influenciar, o rendimento de quem a veste poderá ser condicionado por aquilo que ela representa como símbolo de um clube e não pela maior ou menor criatividade do desenho e cores que o markting entendeu mais sugestivos.

            Como vai sendo usual no início de cada época foram apresentados os cinco equipamentos que os campeões nacionais vão exibir em Portugal e na Europa, aqui a participar na Liga com  repercussão de importância mundial, o que significa que o azul-e-branco, as cores da camisola do Futebol Clube do Porto, chamarão a atenção de muitos milhões de espectadores. Importa, pois, manter o padrão histórico das duas  listas verticais azuis sempre que possível, recorrendo-se ao alternativo apenas nas situações determinadas pelas normas da FIFA.

            Nas camisolas desta época voltou-se à opção de uma lista azul ao centro e duas brancas, passando o azul para os lados. Não vejo nenhuma vantagem nesta opção e, por mim, com a ressalva de alterações de pormenor, NUNCA modificaria o modelo tradicional: duas listas azuis verticais. Quanto ao alternativo principal, espero por vê-lo no estádio e na TV para formar um juízo mais fundamentado, esperando que a impressão que me suscita na fotografia aqui inserta possa ser mais favorável da que tenho agora. Ao que já li, julgo que tem um fundo de púrpura o que, se pode ser agradável quando expostas para venda na loja azul, serão sempre tomadas por pretas vista de noite, à distância das bancadas ou nos ecrãs das televisões.

             O símbolo que não pode ser alterado é o do nosso incomparável distintivo e, esse, independentemente dos gostos dos criativos designers e exigências de markting, há-de sobressair sempre como o mais importante dos elementos do equipamento escolhido.

             Que os adeptos possam orgulhar-se daqueles que terão a honra de envergar tão sublimes e vitoriosas cores.

          

sábado, julho 02, 2011

FUTEBOL E CRISE: O ANTÍDOTO E A DOENÇA.

Apresentação de Vítor Pereira no Dragão (foto 1, com Pinto da Costa)
           

            Se lá para o Castelo do Queijo o Rio se entretém a ver as corridas como se fosse o príncipe Alberto do Mónaco na Fórmula 1 do seu Principado (em Maio, porque nesta altura andará bem mais "ocupado" com  as voltas que lhe dá à cabeça a campeã sul-africana da natação...), no Olival está dada a partida para o começo do TRABALHO da EQUIPA do FUTEBOL CLUBE DO PORTO, CAMPEÃO PORTUGUÊS, DA LIGA EUROPA e da TAÇA DE PORTUGAL, e da sempre motivadora CÂNDIDO DE OLIVEIRA, o aperitivo do início de época.

            Portanto, enquanto uns se divertem, outros deixaram para trás os festejos bem merecidos pelos feitos alcançados e retomaram o caminho mais seguro para, de novo, os merecerem.

            Com todas as equipas a bordo o transatlântico levantou ferro e fez-se ao mar, que o mesmo é dizer, ao arranque da época de 2011/2012: o timoneiro, Jorge Nuno Pinto da Costa e TODO o seu staff, o treinador Vítor Pereira e a sua equipa talhada ao seu gosto, o plantel disponível, o material necessário e, por último, mas não menos necessários e relevantes, os funcionários do complexo.

             ACÇÃO!

             Ainda a época não tinha terminado e, se fosse verdade o que se propalava e ainda se noticia não restariam, nesta altura, jogadores suficientes para o treinador poder alinhar uma equipa de onze jogadores. Porém, ainda que possam haver contactos (e há...) sobre a transferência de alguns dos nossos melhores artistas, todos se mantêm vinculados, ainda agora. Se sete faltaram à chamada é porque quatro deles estão em competição pelos países a que pertencem e três gozam as férias a que têm direito. Entretanto, alguns que poderão ser reforços já tiveram contactos com a realidade do mundo azul-e-branco, pela primeira vez, Braccali, Kelvin, Djalma, outros, como Castro e Addy aguardam revisão de provas que prestaram noutras escolas, a alguns júniores é concedido o privilégio de sonhar e, como há muito aqui se previa, Kléber perfaz o trio de pontas de lança de causar inveja a muitos grandes da Europa.

              Curioso que também a nível do governo, como no comando técnico do Futebol Clube do Porto,  se verificaram alterações de rotura com o passado se bem que sejam completamente antagónicas as razões que as justificaram. E se, no que ao FC Porto respeita não há que ficar surpreendido, por Jorge Nuno sempre se ter batido pela criação de uma região e um PARTIDO DO NORTE gerido por pessoas idóneas, foi para mim extraordinário ter ouvido, hoje, na rádio o ÁLVARO, ministro de Passos Coelho, dizer que NÃO É BENFIQUISTA  (blasfémia!, por onde andaste "mártir" para assim desafiares seis milhões de fundamentalistas impiedosos! estás feito, podes crer!) quando deixou implícita a tese de que não pode o trabalho produzido por  uma equipa ser esbanjado por um guarda-redes milionário, mas algo bisonho, mesmo pascácio, que oferece gordos capões de presente aos adversários.

              A concluir, não quero deixar de louvar e aplaudir aqueles que tudo estão a fazer para não deixar cair em "saco roto" o fremente apelo do Chefe de Estado para que os portugueses consumam preferencialmente produtos de origem portuguesa. Pelo que se tem verificado até agora fico com dúvidas sobre que parte de Portugal ele pretendeu incentivar, pois não se passa um único dia sem que se anuncie, em parangonas dos periódicos e abertura de telejornais, como sempre a partir da "capital do império", a chegada à Portela de um boing ou a Alcântara um contentor a abarrotar de "craques" para os clubes alfacinhas, bem pertinho das barbas (salvo seja) do reconciliado do slogam "o que é português é bom".

              E não digam mal da vida: nem todos têm a sorte de receber menos 50% do subsídio de natal.

Pinto da Costa defende partido do Norte - JN