quinta-feira, agosto 30, 2012

NEM BOM NEM MAU, ANTES PELO CONTRÁRIO.

                                          SORTEIO DA LIGA DOS CAMPEÕES

Grupo A

FC Porto (Portugal)
Dínamo Kiev (Ucrânia)
Paris Saint-Germain (França)
Dínamo Zagreb (Croácia)

 





Grupo B
Arsenal (Inglaterra)
Schalke 04 (Alemanha)
Olympiacos (Grécia)
Montpellier (França)

Grupo C
AC Milan (Itália)
Zenit São Petersburgo (Rússia)
Anderlecht (Bélgica)
Málaga (Espanha)

Grupo D
Real Madrid (Espanha)
Manchester City (Inglaterra)
Ajax (Holanda)
Borussia Dortmund (Alemanha)

Grupo E
Chelsea (Inglaterra)
Shakhtar Donetsk (Ucrânia)
Juventus (Itália)
Nordsjaelland (Dinamarca)

Grupo F
Bayern Munique (Alemanha)
Valência (Espanha)
Lille (França)
BATE Borisov (Bielorrússia)

Grupo G
Barcelona (Espanha)
Benfica (Portugal)
Spartak Moscovo (Rússia)
Celtic (Escócia)

Grupo H
Manchester United (Inglaterra)
Sporting de Braga (Portugal)
Galatasaray (Turquia)
Cluj (Roménia)


       Aparentemente, o sorteio não é de dificuldade elevada para o Futebol Clube do Porto. Mas apenas em teoria, porque, em grande parte das vezes, a avaliação prematura das equipas nem sempre é confirmada no terreno, constituindo algumas delas verdadeiras surpresas.


       O Dínamo de Kiev é um velho conhecido nosso. Boas recordações dos jogos nas Antas e em Kiev, que puseram o FC Porto na rota da memorável vitória de Viena. Pode, no momento, não ter o poderio de outrora sendo aceitável obter, em Kiev, um ponto para juntar aos três que temos obrigação de alcançar no Dragão.



       Outro Dínamo, o de Zagreb, (não haverá excesso de electricidade?) não entra no número dos papões europeus. Todavia, a Croácia, no futebol (e no desporto em geral)tem a qualidade dos atletas da antiga Jugoslávia, continuando a dar ao mundo jogadores que brilham nos melhores clubes do Mundo.

Paris Saint-Germain Football Club

       O que valerá o Paris Saint Germain neste prova é, para mim, uma grande incógnita. Investimento "à grande e à...árabe" que "à francesa" já deu o que tinha a dar. Ancelotti, o italiano fleumático, é um treinador que não gosta de perder. Abramovicht e Thiago Motta, duas primas-donas já bastante "passadas" mas capazes de darem para "meias-solas", não podem deixar de ser, pelo menos, profissionais. O Parque dos Princípes pode ser a roleta onde o Dragão poderá ficar rico ou...liso.

       Nestas hesitações e natural imprevisibilidade quanto ao sucesso ou frustração dos futuros resultados, o melhor é lembrar, de novo, a frase prudentemente cautelosa do nosso ex-capitão João Pinto: "prognósticos só no fim" da eliminatória.





                   

                  O MELHOR DA EUROPA

       Foi INIESTA, o meu favorito. Justíssima escolha.Aplaudi, no momento em que o nome foi divulgado. Já no época finda talvez a tivesse merecido. FANTÁSTICO jogador!

       E fala espanhol! Tal como Messi! Espantoso!

       O madeirense CR7, exibiu um semblante de um miúdo que, ao receber um brinquedo, achou que o que foi dado ao outro menino era mais bonito do que o que lhe coube em sorte. Por isso, expressou-se em inglês. Os seus conterrâneos do Funchal só têm motivo para se orgulhar dele...

quarta-feira, agosto 29, 2012

REAL COENTRÃO DESAPONTA LUISÃO.

       

      Bem habituado (e treinado), Coentrão mostra que no banco pode render ainda mais do que a jogar. Incomodado por estar a polir o assento e não à cacetada aos adversários como está habituado e lhe ensinaram no Seixal os professores de artes marciais Luisão, Xavi Garcia, Max, Cardozo, sob a doutoral  sapiência do catedrático mestre Jorge J, o "papagaio louro de bico encarnado" "amanda" daquelas bocas seleccionadas retiradas do rico e mui testado reportório próprio e adquirido, ao árbitro que dirigia o encontro entre o Getafe e o clube de Mourinho, de tal qualidade que juiz espanhol o dispensou, de imediato, do resto do serviço que ali tinha ido fazer e ordenou-lhe recolhesse à cela, perdão, ao cacifo.

              Mas a recompensa do cachineiro não se ficou pelo banho retemperador antecipado, já que, em APENAS TRÊS dias  recebeu a simpática notificação de que foi recompensado com QUATRO jogos de suspensão que lhe irão proporcionar uma folga extra mal a época começou, deixando-o perante o dilema de perceber se é ou não apanágio dos espanhóis que os comboios "lhegan qando lhegan" (?), porque, neste caso, a velocidade é mesmo própria do TGV.

 

              Por este exemplo se demonstra que em matéria de justiça nuestros hermanos têm muito a aprender cá com os portuguezitos que levam sobre eles mais de nove séculos a acumular sabedoria e manha, como se viu em Tordesilhas, depois de Zamora. Se eles não teimassem em ignorar a nossa existência a não ser quando chegam à Batalha e ficam a saber que ali aconteceu Aljubarrota (ah, ah, ah!), já teriam querido saber por que razão LUISÃO, "atirou" para cima de um árbitro alemão mais de cem quilos de peso por este ter a veleidade de exibir um justo cartão amarelo a um dos seus protegidos e discípulo, prostrando-o no relvado, ao comprido e de cartolina a fugir por entre os dedos, em risco de vida, e anda a pavonear-se como um elefante numa loja de porcelana no estádio do Bonfim, como se os Jorges Sousas da nossa arbitragem fossem lacaios do clube da Dona Victória.


             Mas, quem se vai admirar dumas coisas comesinhas como são estas da amostragem de cartões aos caceteiros à solta do clube alfacinha, dentro e fora de portas, quando o chefe do clã e líder da transparência do futebol no nosso país (em conluio com o castiço Santos, da brilhantina nos caracóis) é perdoado na sanção que lhe foi aplicada em processo disciplinar, que lhe foi instaurado por declarações insultuosas, e, o do seu treinador, por idênticas razões, parece ter levado o mesmo caminho do que respeita à compra dos submarinos à Dª Merkel?

             "Isto é tudo uma grande família", como dizia o Raul Solnado.

            

             

terça-feira, agosto 28, 2012

BRACARA AUGUSTA!

              LIGA DOS CAMPEÕES (Apuramento)


Sp. Braga na fase de grupos da Liga dos Campeões


 Em Udine (Itália)

                 Udinese, 1 - SPORTING DE BRAGA, 1 (4-5, nos penaltis)

              Brilhante apuramento para a fase de grupo da Liga dos Campeões do Sporting Clube de Braga, alcançado esta noite frente à Udinese, igualando o resultado da primeira volta (1-1), agora com prolongamento (0-0). Beto, ao defender um penalti e Rúben Micael concretizando o golo decisivo depois de ter obtido também o do empate após ter entrado no jogo já na segunda parte, antigos jogadores do FC Porto, foram determinantes na obtenção do justo apuramento dos bracarences, sempre claramente superiores aos italianos nesta partida.

              A passagem do Sporting de Braga à prova máxima do futebol europeu, que lhe vai render desde logo cerca de dez milhões de euros, deve ter dado a Salvador a folga necessária para romper com o namoro à volta do melhor avançado centro da Liga portuguesa, o brasileiro Lima, e, ao seu amigo Jorge Nuno, a necessidade de rever o catálogo dos seus favoritos...

            

domingo, agosto 26, 2012

PORTO DE HONRA NA RECEPÇÃO AOS...ADEPTOS.


             Liga Zon Sagres

             Estádio do Dragão

              2012.08.25

                      FUTEBOL CLUBE DO PORTO, 4 - Vitória de Guimarães, 0

              VENCER E CONVENCER.

               Não encheu totalmente o Mais-Belo-Estádio-da-Europa mas o salão de festas onde a equipa recebeu os trinta e cinco mil quinhentos e três espectadores que ontem se deslocaram ao Dragão para o primeiro jogo da época, proporcionou-lhes a oportunidade de assistirem a uma surpreendente exibição do bi-campeão nacional, que, deste modo, superou com brilhantismo os efeitos negativos causados pelo indigesto galo de Barcelos, há oito dias atrás.

              Antes de mais, e porque este post sobre o jogo só mais logo ficará concluído, devo dizer que a vitória do Futebol Clube do Porto sobre o Vitória de Guimarães não oferece qualquer controvérsia, tal foi a superioridade evidenciada sobre o seu adversário de ontem em todos os itens e em todo o tempo de jogo. Vitória, pois, clara e inequívoca em consequência do futebol praticado, da disponibilidade dos jogadores para encarar a partida com muita seriedade e responsabilidade, da categoria de algumas excelentes exibições individuais, dos golos marcados, do equilíbrio que a equipa demonstrou e do acerto do treinador nas decisões tomadas.

 http://2.bp.blogspot.com/-bV6MidM7pBs/UDogbla_UII/AAAAAAAANxY/fTcOaficsHM/s1600/20120826-oJogo.jpg

              A goleada, porém, que sempre atira para segundo plano e minimiza as insatisfações e dúvidas passadas, não deve contribuir para escamotear o que, para além dela e dos efeitos benéficos que produz na auto estima dos adeptos, poderá ainda vir a ser melhorado substancialmente.

             Quando Lucho bateu Douglas, pela primeira vez, aproveitando uma bola de ressaca à entrada do centro da área, já o golo vinha a ser adivinhado muito antes face à frequência com que a bola andava nas imediações da baliza vimaranence. Andava, mas nem sempre Sandro e Atsu, pelo lado esquerdo, e, Danilo e Hulk, do lado contrário, davam o melhor seguimento aos lances criados, ou por mérito dos defesas que se lhes opunham ou, outras vezes, por falharem a finta ou drible para escapar-lhes. Moutinho, sempre muito activo como nos seus melhores dias, nem sempre definia como conviria o passe para os avançados e, Jackson, quando não tinha apoio por perto, não criava oportunidades para atirar ao golo. Fê-lo uma vez, a despropósito, sem causar perigo.

            Aos 33' minutos o Miguel, dono do apito, deu o seu contributo para a confraria dos anti-dragões, e, tal como o seu confrade Gomes, em Barcelos, levou para oferecer aos seus amigos alfacinhas mais um roubo de um penalti, quando, bem à frente dos seus olhos, um defesa dos visitantes impediu com os braços uma remate de chegar à baliza. E vão dois, para memória futura, em igual número de jornadas. Mouros rascas, ladrões contumazes.




            O cariz de jogo não se alterou até ao intervalo, com o Porto dono e senhor do relvado, mas com os brancos de Guimarães ainda longe da capitulação e sempre à espera que a sorte lhes permitisse bater Helton. E quase o conseguiam, em duas vezes que estiveram perto de aproveitar deslizes nossos.

           O intervalo trouxe um Guimarães mais afoito e atrevido e, nos primeiro quinze minutos a nossa equipa pareceu surpreendida perpassando para a bancada a sensação de que o Vitória poderia estar a preparar uma surpresa inoportuna. Em duas ocasiões sucessivas, o empate poderia ter surgido se a bola rematada na sequência de um canto não tivesse ido dirigida à figura de Helton.

           Com o golo, "à Hulk", surgido na típica jogada do Incrível e no local onde nunca falha o remate fatal, o Futebol Clube do Porto, deu início ao festival de futebol que haveria de ser a imagem que marcou todos os que viram o jogo. Domínio total e absoluto da partida, criatividade dos criativos, remates à baliza, sucessão de faltas para travar o jogo, mais um golo de Lucho a aparecer na recarga a um remate de Atsu, um penalti à Panenka, show de bola e um Guimarães de rastos pedindo misericórdia aos deuses para aplacar o Dragão impiedoso.



           Lucho foi, sim, o homem do jogo, porque esteve em todo o campo recuperando e criando com a classe dos eleitos, e pelos dois golos (importantes) conseguidos. Hulk, logo a seguir, ou mesmo ao lado, como nos habituou; Moutinho, perto do Messinho que conhecemos nos melhores momentos. Maicon, cada vez mais senhor e, Otamendi, desta vez sem pecado. Fernando, o polvo do costume, quase comprometia num descuido reparado a seguir.


           A chamada de Danilo, Sandro e Atsu, teve o condão de estabilizar o porta-aviões azul e branco colocando-o na rota que o levará até ao Pacífico, caso escape a qualquer furacão que possa ainda surgir...lá da Rússia ou outras paragens perigosas. Os brasileiros, mais Danilo que Sandro, (tem que rapidamente aprender a soltar a bola a tempo) têm muita "quolidade" e em breve farão o nosso contentamento. ATSU, bem, Christian vai ser um caso (muito) sério. Que jóia!

            Ao Jámes fez (muito) bem passar pelo banco. Que raiva, rapaz! Calma, menino, não precisas provar nada. Não há já ninguém por essa Europa fora que não sonhe contigo. Chegará o teu momento.

            Varela, entrou bem no jogo e Défour, pelo tempo e momento que a equipa já vivia quando chegou ao jogo, passou despercebido.

            Atenção amigos portistas. O Porto jogou bem, marcou quatro golos e recuperou a auto-estima. Reparem: o jogo era no Dragão, a equipa precisava de justificar-se aos adeptos, e o adversário é, neste momento, uma formação ainda em construção, macia, com jogadores novos e inexperientes. Os vimaranences não foram excessivamente agressivos nem defensivos e deram deliberadamente muito campo ao FC Porto, o que facilitou a nossa predisposição ofensiva. Vítor Pereira escalonou a equipa  para jogar ao ataque e jogou desse modo. Como será em jogos em que for aconselhável defender? Será que Danilo e Alex Sandro podem desempenhar bem as funções de defesa e de atacantes contra equipas mais poderosas e perigosas? Como será já em Olhão, na próxima jornada?


                Depois de um longo período sem ir ao Dragão, foi um regalo ter presenciado ao vivo um jogo de futebol. Podem descobrir ecrãs gigantes, altas definições, colocar dezenas de câmaras, fazer replay, contratar comentadores "especializados", saborear um bom wisky: FUTEBOL É NO ESTÁDIO, NO CAMPO PELADO, NA RUA, visto, interpretado e vivido por quem gosta realmente de futebol autêntico.
                

Dragões goleiam, lideram e cumprem 46 meses sem perder



sábado, agosto 25, 2012

PARTIU, O PALITO! (Até que enfim...)

       


                Já andava por cá a fazer tanto como o Álvaro, da Economia. Já só se falava nele pelos piores motivos, quer dizer, entre os adeptos já ninguém escondia que era uma carta marcada inútil para servir o baralho. Não treinava, não jogava, nem sequer falava, e o vínculo que o mantinha ligado ao clube que o projectou para a fama e glória era já tão ténue que a rotura era inevitável. Partiu-se, agora, e foi embora. Até que enfim...!

               O Palito veio importado de um desconhecido clube da Europa Central, o Cluij, e, após uma época de adaptação e aprendizagem, as suas qualidades inatas para o futebol atingiram o ponto máximo no ano seguinte, tendo conseguido exibições brilhantes que o elevaram ao estatuto de um dos melhores  do mundo, na sua posição. Fazendo jus ao utensílio que lhe empresta a alcunha (Palito), o Álvaro, no campo, era como uma "pau de dois bicos": fino dos dois lados, tanto era útil e eficaz à frente como atrás; abaixo e acima, furava pelos interstícios abertos entre os defesas contrários e, com a mesma utilidade e eficácia dos simpáticos pauzinhos esterilizados nas dentaduras deterioradas, removia os incómodos obstáculos que encontrava pela frente restaurando o bem estar dos pacientes, leia-se, adeptos.

               Ainda mal lá chegou, mas, farto de andar calado, terá desabafado o sonho que o atormentava. Parece que está feliz e isso é bom para ele, e para nós, portistas, Só pelo facto de ter vestido a nossa camisola e de nos teres proporcionado bons momentos, já mereces os nossos votos de felicidade futura. Ganha muito, tudo, como aconteceu, aqui, onde te foram dadas condições para seres quem és, porque tens o dever de contribuir para a reparação da desvalorização que, a ti próprio e o clube, causaste.

               Cio, Cio, "Palito". Vai dando notícias. E do Guarin, também.

quinta-feira, agosto 23, 2012

TÃO SIMPLES QUANTO ISSO: COMPORTAMENTO À CAMPEÃO!


   

          Tão simples, quanto isso: comportamento "à campeão" é tudo o que se exige dos jogadores e equipa técnica, em todos os momentos e em todas as competições em que participem as honradas camisolas azuis e brancas do Futebol Clube do Porto,  o melhor e mais vitorioso clube de Portugal e um dos mais respeitados emblemas do futebol europeu.


               Só não entendo muito bem por que só agora, depois da frustração causada pela deficiente atitude no jogo disputado em Barcelos, aliás na linha de outras que aconteceram na época finda e que puseram em causa a conquista do bi-campeonto, esta postura que tem sido apanágio das nossas cores desde há muitos anos, e faz o nosso sucesso e a diferença em relação aos adversários, tenha sido motivo de apelo para incentivar os jogadores.

               Qualquer partida de futebol é imprevisível quanto ao resultado final e as vitórias nunca estarão garantidas se faltar a motivação e o empenho, mesmo que os protagonistas sejam dotados e ganhem sacos de notas. Não faltam exemplos de equipas modestas com jogadores limitados tecnicamente, de escassos proventos e, muitas vezes, com o pagamento em atraso, superarem com "suor, sangue e lágrimas" conjuntos constituídos por "craques" que só estão disponíveis para se exibir em determinados jogos e competições.

               O objectivo de cada jogo deverá ser alcançar a vitória que, se for obtida através de uma exibição de agrado ainda mais sabor terá. Mas, se o triunfo falhar, só a falta de luta, de ambição, o "não querer" ganhar dos protagonistas não poderá obter o perdão do adepto fiel.

quarta-feira, agosto 22, 2012

BOLAS PARA DENTRO.



              Há coisas que acontecem no futebol para as quais, mesmo que os jogadores e técnicos se afadiguem em encontrar os mais elaborados argumentos para as justificar, a maioria dos adeptos não compreende nem aceita. É o caso da letargia de que a  equipa do Futebol Clube do Porto pareceu possuída na partida contra o Gil Vicente, que lhe valeu a perda de dois preciosos pontos e a possibilidade de assumir desde já a liderança do campeonato, percalço de difícil entendimento por se tratar de um adversário modesto,que aconteceu perante uma assistência maioritariamente portista, a certeza de que uma vitória lhe daria um capital de avanço de dois pontos  relativamente  a dois dos três maiores candidatos ao título (o sporting seria o terceiro ao empatar mais tarde, em Guimarães) e que acabou por se tornar um desperdício de não mandar um  "aviso à navegação" de que o bi-campeão não vai para esta prova para "brincar em serviço".


 

           
            Estavam avisados, mas, ao que tudo leva a crer,  todos "fizeram ouvidos de mercador" e o resultado é que a "má cara" alastrou-se entre os seguidores menos tolerantes do FC Porto, o que, se não é irremediável porque está na mão da equipa dar uma resposta já no próximo jogo, faz recair desde já alguma pressão sobre a equipa que em nada a beneficia.

              Dos três jogos em que intervieram os principais candidatos ao primeiro lugar, só o do Futebol Clube do Porto vi por inteiro. Já falei dele. O de Lisboa, entre o clube da Dona Victória e o Sporting de Braga, resultou num empate injusto para os minhotos que me impressionaram muito bem, individual e colectivamente. Muito boa movimentação, excelente forma física, personalidade. Fez jus ao estatuto de grande. Foi claramente superior aos lampiões, que beneficiaram da sorte nos lances dos golos que fizeram (um deles ajudado com a mão de Cardozo) e viram um seu jogador expulso de forma muito duvidosa por um árbitro que não distingue entre preto e branco. Este Artur, tem dias que são só ares...Começa a ser caso.

              Jogo grande é o que se espera logo à noite, no AXA. E uma vitória...salvadora. Como já tendes o Bom Jesus, agora só precisais de um árbitro competente.

              Surpreendentemente, ou talvez nem tanto, os encarnados demonstraram falta de competitividade, insegurança, alguma apatia e algum medo do adversário, o que na Catedral do Túnel não é muito bem aceite. Mas tudo bem, quando se tem Luisão, Garcia e...Jesus, em quem confiar.

              O sporting não ganhou em Guimarães contra o que eu previa. Penso que os viscondes partem para este campeonato com mais chances do que em anos anteriores, porque, tanto os jogadores como o treinador não estão, na minha opinião, muito pressionados e dão a entender isso mesmo pela forma como actuam. E no plantel tem uma meia dúzia de excelentes executantes, sem dúvida. Quem não poderá vir a aguentar com nova decepção é a direcção do senhor Godinho Lopes...


             Paralelamente ao jogo propriamente dito, continua a barafunda que não pronuncia nada de bom para o futuro do futebol. O monopólio do senhor Joaquim Oliveira limitou ainda mais o acesso do grande público ao desporto-rei adquirindo o exclusivo das transmissões dos jogos. Agora, é tudo a pagar que a vida vai boa.  É tal a sua solidez que o dono do futebol nacional  até oferece carros de alta gama para os dirigentes das estruturas federativa e de arbitragem. O jornal "O Jogo", em quem  os portistas depositavam confiança para relevar e garantir os sucessos e defender o prestígio do baluarte nortenho, em contraponto com a comunicação da corte alfacinha capturada aos interesses dos clubes do regime, põe em plano de igualdade o historial do Futebol Clube do Porto nos últimos trinta anos obtido em Portugal e no estrangeiro e o clube do bairro de benfica, colocando lado a lado nas suas capas a figura ímpar do vitorioso Jorge Nuno Pinto da Costa e do patrão do clube da Dona Victória e sucessor de Vale e Azevedo, como se fosse possível colocar em paralelo Bin Laden e o Papa, cedendo aos benefícios que espera colher da simpatia dos mirabolantes seis milhões.



            O  tráfico mercado só oficialmente termina em 31 de Agosto e é impossível os jogadores não serem afectados pela turbulência em que são envolvidos pelos empresários, reduzindo-lhes o poder de concentração necessário para  bem desempenhar as suas obrigações. Reparem na convicção com que juram amor ao clube que lhes dá acesso à fama e...ao dinheiro. Com a época já a decorrer, os jogadores continuam a ter que representar as selecções dos seus países de origem e, dentro de algum tempo, irão ser de novo chamados para o apuramento do campeonato europeu. Uma verdadeira ditadura dos amigos ricos contra o desespero dos mais fracos e indigentes.

            Definitivamente, este já não é o futebol de que eu aprendi a gostar.

             

             

             

domingo, agosto 19, 2012

PIOR, SÓ PERDENDO.

             Liga ZonSagres

             Estádio Municipal de Barcelos


 
Malapata de Barcelos continua por quebrar

                            Gil Vicente, 0 - FUTEBOL CLUBE DO PORTO, 0



            A jogar ao ritmo que se viu nos noventa e seis minutos desta partida e com os jogadores a tentarem resolver individualmente o que a equipa se mostrou incapaz de fazer colectivamente, só mesmo num lance providencial o Futebol Clube do Porto teria saído de Barcelos com dois pontos mais que ficaram no papo do galo.

           Ataque completamente ineficaz, não foi competente para criar UMA única verdadeira oportunidade de golo em toda a partida e Hulk, de quem sempre se espera esse milagre de resolver por si só o que o conjunto não consegue, nunca mais se convence que deve estar sempre mais preocupado com aquilo que não faz bem do que a andar atrás do árbitro a criticar as suas decisões.

           Mau prenúncio para o começo de um campeonato que se prevê venha a ser feroz na luta pelos primeiros lugares, com um Sporting a beneficiar da ausência de pressão dos seus jogadores e treinador a intrometer-se entre o Sporting de Braga, Benfica e Futebol Clube do Porto, a assumir-se como sério candidato à vitória final.

           Não caem bem a um treinador do Futebol Clube do Porto apresentar desculpas pela mau resultado obtido contra uma equipa modesta como é o Gil Vicente, reclamando da relva, dimensões do relvado e erros de arbitragem, quando a equipa não foi tão competente quanto devia esperava.

          Não vi que algum dos jogadores do FC Porto tivesse jogado ao seu melhor nível mas Helton, Otamendi, Moutinho, Miguel Lopes, (a espaços), Lucho (pode jogar melhor ou pior mas nunca mal) e Alex Sandro, esforçaram-se bastante. Hulk, foi dos que mais lutou mas nem sempre com o necessário discernimento. Jackson Martínez, foi...Jackson Martínez. Atsu, teve pouco tempo para acalmar e Kléber deve ter andado por lá...

terça-feira, agosto 14, 2012

A FORÇA FAZ A UNIÃO.

                 Mais chocante que o impacto brutal de Luisão contra o árbitro alemão que arbitrava um jogo PARTICULAR entre o Fortuna de Dusseldorf e os alfacinhas do Benfica e que o prostrou no relvado inconsciente, é a afirmação do principal responsável da equipa de que o escandaloso comportamento do seu atleta e capitão (?) de que a agressão terá sido um estímulo que contribuiu para "unir a equipa"!

              Sim, senhor, não poderia ter sido melhor escolhido o edificante episódio a que o mundo teve oportunidade de assistir, para confirmar o que em Portugal há muito é prática instituída naquele clube que conta com  branqueamento que lhe é dado pela imprensa alfacinha para minimizar, internamente, os graves episódios em que é frequente e impune protagonista.

              Vamos aguardar com alguma dose de curiosidade o que as instâncias superiores do futebol decidem sobre este uso despropositado da força bruta contra o agente desportivo interveniente no jogo. É que se o crime passar sem pena exemplar, então é bom tratar de inverter o slogam de que a "união faz a força". Et pluribus unum, é para levar a sério...

              Quem deve estar "destroçado" pela "boca" do seu pupilo é o Doutor Manuel Sérgio...

             

             

segunda-feira, agosto 13, 2012

AGORA, NAS ESPLANADAS, É "O JOGO" QUE FALA DE BOLA.

        

    Mudaram os tempos e as opções de leitura desportiva em Portugal, também. Agora, é "O JOGO", que é cada vez mais visto a ser lido nas esplanadas por emigrantes em férias, que romperam com hábitos antigos por opções de cariz institucional e escolhem a informação pluralista e isenta. 

    Lá de fora, vê-se mais e melhor cá dentro...

    

domingo, agosto 12, 2012

JACKPOT MARTÍNEZ.

      


       Super Taça Cândido de Oliveira

              Estádio Municipal de Aveiro

    FUTEBOL CLUBE DO PORTO, 1 - Académica de Coimbra, 0

                       Golo da vitória: JACKSON MARTÍNEZ, AOS 89'

              A conquista da 19ª Taça Cândido de Oliveira pelo Futebol Clube do Porto, podia ter sido decidida mais cedo, mas foi aos 89´que JACKSON MARTÍNEZ, correspondendo da melhor maneira a um centro preciso de Miguel Lopes marcou, de cabeça, o golo da quarta vitória consecutiva dos Dragões e a segunda de Vítor Pereira.

               Não tendo conseguido uma exibição deslumbrante, o colombiano mostrou possuir bons atributos para ser útil à equipa, é muito combativo, solidário e trabalhador, merecendo ter sido compensado pela obtenção do golo da vitória, quando já se esperava a inevitabilidade do prolongamento.

               Sem fazer um jogo surpreendente, a vitória difícil do FC Porto contra uma Académica muito bem organizada e disposta a discutir até ao fim o resultado que é inteiramente justo, premeia a melhor equipa em campo e aquela que mais abertamente actuou com o propósito de decidir o jogo a seu favor.

               A nossa defesa continua sólida e garantiu uma boa parte do êxito. Na linha intermediária foi Fernando quem mandou. Está em grande forma. Lucho não pareceu tão influente como noutros jogos e foi Moutinho, na segunda parte, quem mais e melhor fez pela subida da equipa. Na transição do jogo para o ataque, os passes transviados e interceptados são ainda em número inadmissível,e, ontem, nem sempre as recepções correram bem aos jogadores. Há, sem dúvida, que melhorar, neste aspecto.

              O homem do jogo acabou por ser JACKSON, pelas consequências do golo que marcou. Foi bom para a equipa, mas, também para ele, que, deste modo, retirou aos seus críticos argumentos que não deixariam de invocados para por em causa as suas capacidades.

               

            

sábado, agosto 11, 2012

Luisão agride arbitro Alemão | Dusseldorf x Benfica


Peter Frymuth

"Benfica é uma equipa sem vergonha e com falta de respeito"

 
O presidente do Fortuna Dusseldorf reagiu assim ao alegado empurrão de Luisão ao árbitro do amigável que acabou cancelado. Benfica diz que se tratou de "uma lamentável cena de teatro".
11-08-2012 17:20 
 
 

Confusão com árbitro dita fim precoce do jogo do Benfica

Por João Paulo Godinho

Luisão foi falar com o árbitro e acabou por dar-lhe um encosto, que deitou Christian Fischer por terra. Um lance caricato e invulgar que sentenciou o último jogo particular dos encarnados.

Confusão com árbitro dita fim precoce do jogo do Benfica

O jogo de apresentação do Fortuna Dusseldorf com o Benfica terminou surpreendentemente de forma precoce na Alemanha, quando estavam decorridos 39 minutos.
Com 0-0 no marcador, o árbitro tinha acabado de expulsar Javi García quando se dá um choque com Luisão. O juiz germânico Christian Fischer, de divisões secundárias do futebol alemão, cai estatelado no relvado, aparentando até perda de consciência.
No entanto, não passou de um susto e Fischer levantou-se e deixou o relvado na companhia dos seus auxiliares, para surpresa dos jogadores do Benfica e do Fortuna de Dusseldorf, que regressa este ano à Bundesliga e se apresentava aos sócios no seu estádio.
As duas equipas permaneceram ainda algum tempo no campo, mas acabaram então por recolher aos balneários quando a organização anunciou que o jogo já não seria retomado, devido ao incidente com o árbitro. 
O embate com o Fortuna Dusseldorf foi o último jogo particular dos encarnados nesta pré-temporada antes do embate com o Braga, para a primeira jornada do campeonato, dentro de uma semana.
 

ACABOU O RECREIO!

      http://2.bp.blogspot.com/-ObS4e1IwBx4/UCZFw2K6HpI/AAAAAAAANXg/Tjf0F6dkMjM/s1600/20120811-oJogo.jpg

          Meninos, vamos para dentro. Acabou a "borga". Vamos lá mostrar do que são capazes.

             E é que acabou mesmo, o recreio, isto é, esta paródia dos joguinhos "a fazer de conta" com que as equipas vão enrolando o tempo que falta até ao primeiro pontapé "a doer". Pelo menos, para já, para o Futebol Clube do Porto e para a Académica de Coimbra que, logo ao início da noite, vão lutar pela conquista do primeiro troféu oficial da época de 2012/2013.

             É uma competição de um único jogo que nós gostámos de ganhar, assim a título de aperitivo para o que mais tarde esperámos conquistar. Sozinhos, contabilizamos desta taça mais triunfos que todos os outros clubes juntos que a disputaram e intentaram vencer, até agora. Este ano, se voltarmos a conquistá-la, como se espera, será a quarta consecutiva. Mas, ganhar é o nosso destino e os portistas nunca se fartam de vencer...

            Os jogadores do Futebol Clube do Porto, a equipa técnica de Vítor Pereira, os próprios adeptos, estão avisados. A Académica também quer (muito) ganhar, o Pedro Emanuel é viciado irrecuperável em querer vencer e nós, portistas, conhecemo-lo como ninguém. Estimamo-lo muito, foi (é) um dos nossos, queremos que tenha uma carreira feliz, mas, não estamos dispostos a facilitar e ele sabe-o.

            Não podemos contar com o Hulk, Alex Sandro e Danilo, estarão em Londres à descoberta de ouro, mas não vamos entrar em campo com oito jogadores. Serão onze contra outros onze, e  os que trabalharem mais, forem mais fortes e competentes estarão mais perto de levantar a taça. 

             Que sejamos nós para manter os bons costumes.

            

segunda-feira, agosto 06, 2012

RES...CALDOS.

     


     Se o que me foi dado ver no jogo de apresentação da equipa do Futebol Clube do Porto, que se realizou no Dragão no último sábado contra o Lyon, tivesse sido a evidência da realidade do que vai ser o comportamento da nossa equipa esta época, a tranquilidade não seria o meu actual estado de espírito. Com efeito, mesmo tratando-se de uma simples partida de mera apresentação do plantel aos sócios e simpatizantes, e, ainda mais simbolicamente, uma atenção especial para os muitos adeptos que estão a passar férias em Portugal e têm poucas oportunidades de ver a equipa ao vivo nos países onde exercem a sua actividade profissional, o nível da exibição da nossa equipa foi bastante modesto.

              Copiando o modelo de apreciação do braguista de Cabeceiras de Basto na TV, a classificação de 0 a 20 não chegaria aos dois digitos...

              Todavia não há quaisquer razões para mandar tocar o sino a rebate. Seria, até, surpreendente e, quiçá, desaconselhável ter a equipa mostrado um nível de jogo agora que é mais desejável venha a conseguir lá para Março ou Abril, que é quando normalmente acontecem as grandes decisões e se exige a pujança física e técnica do conjunto.

             Por outro lado não é despiciendo lembrar que nem todos os jogadores estiveram disponíveis para esta partida (Hulk, Sandro e Danilo), e, alguns outros como Moutinho, Varela, Rolando e Djalma, têm a sua iniciação desta época atrasada.

             A minha maior atenção estava concentrada em Jackson Martínez (Jack, tou court). Sem desiludir, mas também sem deslumbrar, deu para lhe reconhecer atributos que podem vir a justificar a titularidade futura: tem estatura, técnica, ideia de sistema do ataque e de equipa, joga limpo e simples, é veloz no passe e na desmarcação, trabalha e luta. Sublimando todas (ou algumas, pelo menos) destas características terá justificado o valor da contratação.

             Christian Atsu, já passou no exame. Confirmou o que prometeu na última época. Agora, é só trabalhar para que os holofotes andem atrás dele.

              Sábado é a sério. Não vamos falhar. Aí, o Porto estará mais perto do Porto que todos conhecem: o MELHOR CLUBE PORTUGUÊS.



              PS. Fiquei muito agradado com o que vi fazer no domingo à tarde ao FC PORTO B(om), no Estádio Luís Filipe Menezes, no particular contra o Celta de Vigo. Bom futebol, gosto de jogar à bola (ou pelo Clube?), magníficos executantes! Dá gosto, ter uma "fábrica" assim! 

              Nem na Auto-Europa se fabricam "máquinas" como estas...

              

           

      

sábado, agosto 04, 2012

ESPECTÁCULO FUTEBOL.

          http://3.bp.blogspot.com/-nKGkNXQYMI0/UB0EH0vo1OI/AAAAAAAANL8/dFmSK5ZrG-U/s1600/20120804-oJogo.jpg

                   Para mim começa hoje. É a bola a rolar dentro das quatro linhas, o público nas bancadas a reagir, o golo a entrar, o árbitro a errar, o treinador a olhar, o presidente a mandar. Pára tudo! Acendam os holofotes porque, agora, o palco é do FUTEBOL.

              Bem sei que é, ainda, um jogo de mera apresentação da equipa aos seus simpatizantes. Uma partida quase que informal, sem troféu a disputar e com algumas ausências de vulto da nossa equipa. Mas, apesar disso, não deixa de ser como que uma espécie de ritual que predispõe o espírito do adepto fiel para a grande festa que se aproxima.

             Há também o interesse em ver como se comportam os que este ano chegam à equipa, avaliar as capacidades técnicas de cada um segundo os nossos próprios conceitos e capacidade de observação e procurar antecipar o grau de importância que poderão atingir se vieram a ser titulares.

             Castro, Atsu, Iturbe e Jack  vão ter os seus gestos vigiados especialmente, pontuada cada uma das suas intervenções e a qualidade dos seus movimentos e entrega ao jogo. Ninguém duvida que eles sabem que têm que dar o seu melhor.

             No banco vamos ter esta época um treinador muito mais tranquilo, muito mais solto e, porventura, ainda mais lúcido. Já tem currículo de campeão. Só tem que se superar a si próprio...

             Vamos ver. Bem sei que até 31 deste mês muita coisa pode ainda ser alterada. Porém, com a bola a rolar e a equipa a mexer, é a altura dos adeptos começarem a intervir no espectáculo FUTEBOL.

             

sexta-feira, agosto 03, 2012

ITALIANOS GOSTAM DE POLVO?


            

             Que os italianos adoram comer spaghetti já todo o mundo sabe, mas polvo, aquele bichinho de longos multi-braços semeados de ventosas, já não tenho eu a certeza de que seja verdade. Apesar disso, são os jornais que anunciam um dia a seguir ao outro, que os italianos do Inter de Milão, quiçá a abarrotar dos novelos salpicados com katchup e cheios da massa calórica, andam caídinhos a salivar danados por se "atirar" a um  bom prato de polvo.

              Andando nisto há meses, os "despassarados" dos milaneses ainda não se deram conta que o Dragão -o Estádio Mais Belo da Europa- não é o Zé do Pipo, ou a Bagoeira, ou então, porque bem o conheço, o Restaurante Teresa, aqui ao pé da porta onde o polvo assado na brasa com batatas e regado com bom azeite só rivaliza com  o cabrito assado "acolitado" com um tinto carrascão que até se mastiga. Mas, não, eles acham que o Fernando é que é o verdadeiro polvo, o "monstro" pai de todos os moluscos de "oito pés" que existem na costa portuguesa e vá de passar dias e dias a espreitar para debaixo dos penedos na esperança de o ver fisgado.


               Pois, sim. Contentai-vos lá com o Guarin e, outrossim, se pretendeis degustar tão valioso pitéu o melhor é começar a poupar no spaghetti porque para um prato de bom polvo é preciso pilim. Bué de pilim, porque, por aqui a vida está a ficar ruim. E não é só para mim.

quinta-feira, agosto 02, 2012

JACKPRONTO.

              http://4.bp.blogspot.com/-jIZ6JLO1YNI/UBpY3nh53bI/AAAAAAAANH4/pCONkFbBxeY/s1600/20120802-oJogo.jpg

                      Lendo as declarações prestadas ao jornal "O JOGO" de JACKSON MARTÍNEZ, pode afirmar-se que o colombiano que chegou este ano ao Futebol Clube do Porto via México, está preparado para disputar um lugar na equipa e, deste modo, poder provar as qualidades que possui e justificaram a sua contratação. Muito sensatamente e usando um tom de uma única nota, sem alardes de grande vedeta e comedido nas afirmações, denota já uma clara adaptação à filosofia do clube interiorizando aquilo que é apanágio de quem tem a honra de vestir a prestigiada camisola azul-e-branca: lutar, lutar sempre para GANHAR!

                       Não possuo dados mínimos que me permitam formular uma opinião pessoal sobre JACKSON MARTÍNEZ, para além de alguns apontamentos num dos jogos de preparação. Pareceu-me ser mais jogador com tendência para jogar com a equipa do que capaz de brilhar individualmente, tem mobilidade que não se limita ao perímetro a área, é  forte fisicamente e possui bom trato de bola. Não lhe vi características idênticas a qualquer outro avançado que tenha estado no FC Porto, recentemente ou nos últimos anos, que de algum modo se lhe assemelhe. Aliás, nada me parece pior para o sucesso de um jogador que chega a um clube com ambições de triunfar que o comparem, ou, pior ainda, lhe exijam, que ele seja igual a outro que antes tivesse sido bem sucedido.

                      JACKSON é, pois, JACKPRONTO!