segunda-feira, outubro 28, 2013

DRAGÃO MADURO CAÇA LEÃO VERDE.



 Não são "olhos de coruja". provem-me que há outro estádio mais lindo do que o Dragão!

I Liga
Estádio do Dragão, o Mais Belo da Europa
Jornada 8
2013.10.27




                                           FC PORTO, 3 - Sporting CP, 1

               Experiente, astuta e inteligente, a equipa do Futebol Clube do Porto venceu com naturalidade um Sporting arrumadinho, audacioso, esperançoso,  mas ainda verde de mais para ser levado a sério como forte candidato ao título. 

               O FC Porto, com alguma surpresa minha, pareceu ter entrado no jogo sem intenção de assumir o controle da partida, tendo deixado passar a intenção de "dar linha" ao peixe para, no momento certo, accionar a manivela e prendê-lo ao anzol. Os leõezinhos tinham bola, divertiam-se com tabelinhas de futebol de salão e, o Dragão, atento, quando eles tentavam passar a linha que divide o relvado, caía-lhes em cima e levava a confusão para perto do Rui Patrício. Foi assim que, apanhada em contra pé, a defesa sportinguista viu Alex Sandro a chegar a uma bola no flanco esquerdo primeiro que Maurício que o estatelou, em falta inequívoca para penalti, prontamente assinalada por Soares Dias.

               Josué, fez o quarto golo da época de forma superior.

               A toada de jogo não se alterou muito após o golo aos 11'. A equipa de Lisboa quase não incomodava Helton, o FC Porto dividia a posse de bola com o adversário mas, quando a recuperava e a levava a Varela, o alvoroço instalava-se no território do leão imaturo.


Apoio não faltou à nossa equipa. Mais de 41 000!

              No primeiro período de jogo, como nota negativa difícil de entender, foi a percentagem anormal de passes falhados pela nossa equipa. Muitos contra-golpes se perderam por força de passes mal direccionados e interceptados.

             A segunda parte viria a salvar o jogo como espectáculo conforme à importância que lhe era atribuída. O FC Porto pareceu regressar ao relvado mais assertivo e o facto de o adversário ter alcançado o empate (15') num corte de Helton com os punhos para a entrada da área e o remate do Wilson Carvalho ter tabelado num jogador da casa (Otamendi?), nada alterou a situação, porquanto, na jogada seguinte, Danilo, concluiu em jogada individual brilhante o que foi um bom trabalho colectivo do ataque, onde Jackson participou cedendo-lhe a bola.

              Não demorou muito o golo de Lucho, de cabeça a passe de Varela, para fechar o resultado, já depois de Helton numa defesa magistral ter negado a Montero o empate a dois golos na única verdadeira oportunidade de golo do Sporting em toda a a partida.

              Não consigo concluir se o que me pareceu alguma falta de confiança inicial da nossa equipa tinha alguma relação com o desaire contra o Zénith ou porque Herrera, trabalhando muito, não acertava um passe.
Otamendi acusa déficit de estabilidade traumática e a defesa treme. Mangala não brilhou, porém, não teve deslizes. Dos laterais, Danilo esteve ao nível de Alex Sandro e iguais, também,  nos lances que protagonizaram: penalti e 2-1.

                              Perto do golo, na baliza da sorte.

              Josué afirma-se como titular em cada jogo que faz, a médio. Fernando, a coluna forte da equipa e Lucho a unir as partes do grupo, com boas prestações. O trabalho de  Jackson Martínez depende muito do que a equipa lhe prepara; mas as boas exibições e o brilho que elas possam ter, dependem apenas e só, dele. E, em jogos como este, é que os adeptos anseiam que ele apareça.

             O futebol da equipa melhorou quando DÉFOUR entrou no jogo. Licá, muito esforçado, terá ficado aquém  do que desejaria mostrar e é capaz. Ghilas quase nem aqueceu para o banho.

             VARELA, tal como Helton, alcançou o seu melhor nível. O melhor da noite.

                          Senhor guarda-rede Helton agradece carinho dos adeptos.

             Paulo Fonseca foi rápido a reagir nas substituições e nas opções das mudanças efectuadas que acrescentaram benefícios à equipa.



                           Coreografia alusiva ao Museu FC Porto by BMG

             O Sporting de Leonardo Jardim foi aquilo que eu esperava. Está uma equipa "arrumadinda", possui "fio de jogo", mostra que faz (bem) os TPCs (trabalhos para casa) e tem jogadores com pedigree. Mas as suas capacidades como equipa "de peso", estão muito inflaccionadas pelo markting da "boa imprensa" do território alfacinha, pelo "espaço" que ela dá ao seu fogoso presidente, pelo "barulho" que fazem as claques e pela "onda" artificial  que se levantou em seu apoio e inibria os seus adeptos. Tudo isto, porém, não faz o Sporting muito maior em termos de equipa do que é presentemente o Estoril, nem é muito diferente do Guimarães, nem está sequer no patamar onde chegou o Braga em épocas anteriores. 

              SCP candidato ao primeiro lugar? Que tal um lugarzinho para chegar à Europa?

                          Mal comportados e chateados com a derrota.

              "Ao vivo", Artur Soares Dias não cometeu erros que adulterassem a justiça da vitória dos campeões nacionais.

             
                             No final, o fair-play dos protagonistas

             

                 


domingo, outubro 27, 2013

ITURBE NO INTER-VERONA (4-2)

              ITURBE, cedido pelo Futebol Clube do Porto ao Verona, foi ontem à noite um dos três jogadores em campo que já passaram pelo Futebol Clube do Porto. Além dele e pela formação nerazzurri, acturam Rolando e Guarín.

              Na primeira parte e a preencher o corredor direito do ataque,  Iturbe foi um jogador absolutamente inofensivo passando completamente ao lado do jogo. Não consigo lembra-me de um único lance em que ele tivesse participado que me tivesse impressionado. 

              Na segunda parte, a jogar nos espaços interiores e do meio campo para a frente, melhorou bastante a sua produção. Teve mais bola, tentou, embora sem sucesso, a jogada individual e procurou atirar à baliza mas sem ter causado perigo. Uma vez que desceu a tentar travar um avançado do Inter, levou cartão amarelo por entrada faltosa. A jogar sempre assim, é candidato ao título de jogador "bidon" do ano.

             Rolando foi muito sóbrio nas suas intervenções, não arriscou muito mas teve bom trabalho. Marcou o terceiro golo por estar junto ao poste na sequência de um canto e a bola, batendo-lhe nas caneleiras transpôs o risco para o 3-0. Parece estar a recuperar psicologicamente e a subir de forma.

            Quem está em alta é Guarín. Fez um jogo estupendo na primeira parte, rematou para o segundo do Inter e foi o motor do Inter. No segundo tempo esteve menos brilhante parecendo ter acusado o esforço do primeiro período. É, actualmente, uma das maiores figuras da equipa.


INTER CELEBRATING INTER-VERONA SERIE A
ROLANDO fez o 3-0 do Inter-Verona que terminou com a vitória dos nerazzuri por 4-2.

 

sábado, outubro 26, 2013

A MINHA LINHA.

   


    Ainda mal recomposto dos maus humores causados pela indelicadeza (foram bem recebidos) do Zénith na última quarta-feira, aí está novo desiderato para o Futebol Clube do Porto resolver amanhã, no Dragão, o Estádio Mais Belo da Europa, cuja beleza tem ainda mais sedução e encantamento quando nele se festejam triunfos que levam os adeptos à glória do céu azul.

        Se os russos confirmaram a categoria que se anunciava antes da visita (têm o Hulk, o "cachorro", o Arshavin, o Kerzhacov, Shirokov e outros "ov", o Neto das barbas e o avô Luciano Spalletti que as não tem mas é tão italiano como o Catavento que controlou o Porto, o campeão nacional vai ter que se haver com o que já foi o  temível "Leão da Estrela" e é, na actualidade, a equipa do Car...lho, o Bruno, disposto a chegar à "cadeira da frente" da classificação geral, que é o que se deve exigir a uma equipa que tem no banco três treinadores diplomados.

        E tem argumentos para ter direito a sonhar.

        É segundo à 9ª jornada, empatou à 2ª em casa com o seu querido inimigo de estimação lampião das papoilas saltitantes descoloridas, criou à imagem de Falcao um novo fenómeno colombiano que lidera a classificação do melhor marcador do campeonato, contabilizados os quatro golos duvidosos que as arbitragens lhe atribuíram simpaticamente, tem o guarda-redes da selecção beneditina com a arte rara de servir os avançados contrários para lhe marcarem golos, desconheço em que prova europeia está este ano a participar e o resultado do jogo em que esteve envolvido nesta semana, mais sei, isso sei que vi na TV, que infringiu ao fortíssimo Alba da 1ª divisão da AF de Aveiro, na sua apalaçada residência hipotecada de Alvalade (a obra mais feia do Taveira) uma cabazada de 8(!!!) a 1 para a Taça de Portugal que deixou o mundo de boca escancarada de admiração!

        Treme Porto, cuida-te Fonseca, acautela-te Presidente Jorge Nuno. Aqui vai o leão, sem medo do Dragão, com o tesão de uma embalagem de viagra, à espera de causar confusão para justificar uma mais que provável lição do anfitrião. Quantos são , quantos são, não temos medo de ninguém, brrrr, brrr, brrr (como nos filme de Hollyood da MGM).

        Feito o "aviso" até tremo ao escalar as "vítimas" que tenho de sacrificar às feras.

Lista de convocados:

Guarda-redes: Helton e Fabiano
Defesas: Danilo, Maicon, Mangala, Otamendi, Alex Sandro,
Médios: Fernando, Defour, Lucho, Herrera, Carlos Eduardo
Avançados: Josué, Varela, Ricardo, Licá, Jackson e Ghilas.


Não me parece que o treinador Paulo Fonseca opte por deixar de fora algum daqueles que defrontaram os russos gelados. Poderia ser tomado por "censura pública" dos excluídos o que nada favoreceria a imagem de cada um.

Vou manter a formação de quarta-feira, com uma única alteração:Varela na posição de Licá.

                                                                      HELTON

                             DANILO, OTAMENDI, MANGALA e ALEX SANDRO;


                                         LUCHO, FERNANDO e HERRERA;


                                 VARELA, JACKSON MARTÍNEZ e JOSUÉ 

 Noutro cenário, deslocaria Josué para o lugar de Herrera, Varela jogaria à esquerda e, à direita, trabalhava o Ricardo.

Mas isto são contas de "treinador merceeiro".

Até amanhã, campeões! 


                   

quinta-feira, outubro 24, 2013

SORTEIO DA TAÇA DE PORTUGAL - 4ª eliminatória.

                       

 O sorteio para a 4ª eliminatória da Taça de Portugal hoje efectuado determinou dois encontros de maior destaque:

                    Vitória de Guimarães - FUTEBOL CLUBE DO PORTO
                                                            
                                                 Benfica - Sporting

        O Vitória de Guimarães é o titular da Taça de Portugal ao ter derrotado o Sport Lisboa e Benfica na final da época transacta, na qual Jorge Jesus foi questionado em pleno relvado pelo jogador Cardozo.


4ª Eliminatória

DataHora
Marítimo vs  AD Oliveirense 2013-11-09 -
Benfica vs  Sporting 2013-11-09 -
Ribeirão vs  Penafiel 2013-11-09 -
Beira-Mar vs  Feirense 2013-11-09 -
Cova da Piedade vs  Gil Vicente 2013-11-09 -
V. Guimarães vs  FC Porto 2013-11-09 -
Sp. Covilhã vs  Leixões 2013-11-09 -
Camacha vs  Atlético CP 2013-11-09 -
Académica vs  Ac. Viseu 2013-11-09 -
Olhanense vs  SC Braga 2013-11-09 -
Arouca vs  Chaves 2013-11-09 -
Rio Ave vs  Sertanense 2013-11-09 -
Tondela vs  P. Ferreira 2013-11-09 -
Famalicão vs  Estoril Praia 2013-11-09 -
Fafe vs  Desp. Aves 2013-11-09 -
V. Setúbal vs  Santa Maria 2013-11-09 -

quarta-feira, outubro 23, 2013

DESENGANO!

O Jogo

O Jogo


Liga dos Campeões
3ª Jornada (Fase de Grupos)
Estádio do Dragão, O Mais Belo da Europa.
2013.10.22

                          FC PORTO, 0 - Zénit, S. Petersburgo (Rússia), 1
                                           (Golo de Kerzhakov, aos 86')


                 Acreditei que venceríamos o Zénit para ficarmos às portas da qualificação para a fase seguinte da Liga dos Campeões. Confiei no valor da equipa, no factor Dragão, na motivação dos jogadores e na estrelinha que é uma forma de dizer optimismo e fé clubista.

                 O meu FC Porto perdeu e estou desiludido.

                 A equipa bateu-se como alma guerreira, foi valente, abnegada e superlativamente digna. Foi tudo o que basta para vencer. A justiça nem sempre está onde a sorte falta.

                 O adversário, frio e implacável, competente,  não se impressionou desferindo no momento certo o golpe cruel, profundo, a justificar um prognóstico reservado quanto à possibilidade de poder dele recuperar o nosso Dragão corajoso e conquistador.

                 Só há uma alternativa ao meu desengano: VENCER em S. Petersburgo.

                 É um enigma difícil de esclarecer (para mim, adepto desinformado) a formação inicial da nossa equipa. Surpresas destas sempre foram mal sucedidas nas provas europeias. Como ontem à noite.

                 A inexperiência de Herrera em jogos onde quem erra paga na hora, custou caro à equipa. O sexto minuto foi o hara-kiri do FC Porto. A hora cruel do DESENGANO.

                 Helton, muitíssimo compenetrado, impecável. FERNANDO, excepcional.
Josué, Varela, excelentes. Mangala, Lucho, Jakson, bom+, bom e bom. Licá, bom- . Défour, bom-.Alex Sandro, Danilo, suficiente e suficiente-. Ghilás, sem registo, além do remate de cabeça no último pontapé de canto. Otamendi, e Herrera, zero. O argentino tem que pagar  a "vergonha" do lance com Hulk, embora emendado pela defesa incrível de Helton ao remate do "amigo" Hulk!.

                 Spaletti, treinador do Zénit e o árbitro Catavento Rigoroso Perfeccionista de uma só vista, são italianos. 

                 À mulher de César não basta ser séria... 


                                        HULK É GRANDE EM TUDO!

                 

                



segunda-feira, outubro 21, 2013

A MINHA (GRANDE) LINHA.

                   Não vou alargar muito as minhas considerações sobre o jogo de amanhã no Estádio Mais Belo da Europa, no qual o campeão português líder da I Liga da época que decorre, defrontará o Zénit do magnífico Hulk e do Sparguetti Spalletti a contar para a 3ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões.

                  O jogo é muito difícil, os russos estão muito fortes, lideram o campeonato do Pútin, têm o Hulk, o Hulk, o Hulk, bla, bla, bla.

O Futebol Clube do Porto vai ganhar, ponto final, parágrafo!


Lucho: «Hulk, Danny e Arshavin podem desequilibrar»

 

 Paulo Fonseca listou os seguintes dragões donde escolherá o onze inicial  que irá "derreter" o iceberg de S. Petersburgo:


Guarda-redes: Fabiano e Helton;

Defesas: Danilo, Maicon, Otamendi, Mangala, Alex Sandro;

Médios: Lucho, Josué, Fernando, Steven Defour, Herrera e Quintero;

Avançados: Jackson, Ghilas, Varela, Ricardo e Licá. 


Destes, eu escolho o time de olhos fechados:

                                                         HELTON

                     DANILO, OTAMENDI, MANGALA e ALEX SANDRO;

                                    LUCHO, FERNANDO e DÉFOUR;

                             VARELA, JACKSON MARTÍNEZ e JOSUÉ 

 
Se é igual à de M. Vila Pouca no seu (excelente) post no Dragão Até à Morte, de hoje, não tenho nada com isso, não houve conversações prévias! E, se estamos de acordo em muitas coisas que respeitam ao Futebol Clube do Porto, porque bulas não escolheríamos os mesmos jogadores para "vingar" a mijadela do rafeiro venezuelano no jogo realizado na antiga Leninegrado? Ah, estou-lhe cá com umas "ganas"...

                                       

SUECOS, MALANDRECOS, LOUROS MAS ESPERTOS!


"Paulo Bento: «Vão ser dois jogos bastante complicados»

Selecionador nacional avisa que a Suécia é mais do que «apenas» Ibrahimovic"

Paulo Bento: «Vão ser dois jogos bastante complicados»


Para quem dava por adquirido que só a França estaria à altura de  impedir Portugal de jogar o Mundial do Brasil no próximo ano a "fazer miséria", aí têm as louras, perdão, os louros suecos das camisolas da cor do ouro para lhes facilitar a vidinha aos bentinhos. Rapazes, não digam que a sorte foi madrasta porque, perder por perder, com a França, nunca! Já temos "levado" de sobra e só para não ter que ver a cara de palerma da Platini e o seu sorrisozinho de boneca de plástico é já um bónus extra de agradecer aos deuses. Com suecas, a pândega vai ser de arromba e não haverá Ibrahimovicha  Ibrahimovich capaz de impedir a festa. Haverá?



PORTUGAL-SUÉCIA (primeira mão na Luz, a 15 novembro)
UCRÂNIA-FRANÇA
GRÉCIA-ROMÉNIA
ISLÂNDIA-CROÁCIA

Os jogos serão disputados a 15 e 19 de novembro.



O último onze da Suécia

sábado, outubro 19, 2013

COM GHILAS, DAVA PARA ENCHER O CABAZ.

Taça de Portugal
3ª Eliminatória
Estádio do Dragão, o Mais Belo da Europa
 
2013.10.19


Dragões de "serviços mínimos" continuam sem empolgar
Fotografia © Ivan del Val/Global Imagens



                                FC PORTO, 1 - Trofense, 0
                                      (ao intervalo: 1-0)
      Golo de Varela, aos 25', com um remate de pé esquerdo à entrada da área.

                   Apesar das previsíveis alterações introduzidas na composição da habitual equipa do FC Porto e o Trofense andar presentemente nos últimos lugares da II Liga, assistiu-se esta noite no Dragão a uma interessante partida de futebol. Tanto a formação da casa como a visitante actuaram dentro do que seria legítimo exigir-lhes em função do estatuto conferido a cada uma delas.

                  Paulo Fonseca terá ido além do que se esperaria ao chamar ao jogo da Taça de Portugal, Fabiano, Vítor Garcia, Diego Reyes, Carlos Eduardo, Ricardo Pereira, Kélvin e Ghilas, iniciando o jogo ainda com Maicon e Quintero, mas só Fernando, Danilo e Varela são titulares de raiz. Acabou por dar-se bem, porque, ultrapassadas as dificuldades dos primeiros 25', até ao golo, os estreantes deram boa conta do recado.

                  O Trofense esteve bem melhor do que quando veio perder com a equipa FC Porto B no Estádio Jorge Sampaio para o campeonato da II Liga. O seu técnico adoptou um previsível sistema de bloco recuado, mas sempre a pensar em partir rapidamente no contra ataque à baliza de Fabiano. Nunca construiu verdadeiras situações de golo, todavia, se em um de dois ou três contra-ataques que somou em toda a partida poderia, com sorte, concluí-lo de modo feliz. 

                  O equipa do FC Porto trabalhou bastante e não dei conta de que algum dos jogadores pretendessem esconder-se. Ressalvados alguns lances mal definidos ou passes fora de tempo dos novatos, a equipa esteve sempre virada para a frente, perto da linha de grande área contrária, circulou bem a bola,  rematou, fez cantos e não faltaram excelentes oportunidades para fazer golo, estivesse lá o Ghilas que, francamente, me pareceu "a milhas" do que lhe vimos fazer em Moreira de Cónegos na época finda. Só jogando, meu caro, só jogando, porque o valor não se evapora na caverna do Dragão.

                  Não é jogo de falar de Danilo, Alex Sandro, Fernando, Défour, Varela, mesmo que nada haja a dizer quanto à qualidade das suas exibições, principalmente os três últimos. Quem estava sob observação eram os que não são (ainda) titulares habituais.

                   Carlos Eduardo esteve muito bem e reafirmo a minha convicção que está à porta da titularidade na A. Vítor Garcia é, sem dúvida, um dos melhores dos BB, como tenho vindo a salientar. Não tira o lugar a Danilo (ou a Fucile) mas está ali um lateral de grande futuro. Diego Reyes não teve grandes problemas a resolver mas no que fez esteve seguro. O Ricardo Pereira entusiasma pela luta que trava para dar nas vistas. Trabalha como um emigrante lá fora, disputa a bola com a gana de um usurário da troika, joga limpo com agressividade permitida e, ou Fonseca o convoca mais vezes ou o rapaz vai a pé a Fátima para o ajudar.
Não mudo a opinião favorável que tenho sobre o Ghilas. Porém, esta noite, o franco-argelino nem merecia o golo que marcaria no último suspiro do jogo se Fernando (egoísta duma figa), com ele a seu lado, lhe tivesse cedido o esférico para o remate de sucesso.

                    Faltam Quintero e Kélvin. Fez mais o brasileiro da crista de galo pela equipa em 30' que o colombiano em 70'. Um jogador não vale apenas por ter bons pormenores de quando em vez, ou tendência para fazer livres em arco e marcar golos espectaculares: precisa ser constante, saber ceder a bola ao colega nos momentos certos e, enfim, jogar em equipa. Quintero há-de fazê-lo.

                    Reprovável o desagrado dos espectadores assobiando a equipa já no período de compensação de tempo. É sinal de que, nem toda a gente que está nas bancadas, percebe alguma coisa de futebol...

                  

                  

sexta-feira, outubro 18, 2013

A MINHA LINHA.


        .


  

Bom, resolvi pôr fim às minhas deambulações de alguns dias pelos títulos de jornais e por pontuais transmissões de jogos de futebol das TVs, para voltar a alimentar este já periclitante, por falta de sustento,  Dragão, Sempre! pelo menos enquanto restar no quintal um pé de couve que o Coelho não venha roubar-lhe. É verdade que poucos terão dado pela minha ausência daí que não me custe concluir que faço mais falta ao Governo que tem mais um a quem possa f.... uma parte da sua pensão de aposentação do que andar para aí a dar palpites sobre linhas. Ainda se elas fossem de pesca...

Mas foi giro ver como a selecção portuguesa ganhou brilhantemente o direito a aceder ao play-off de apuramento à fase final do campeonato do Mundo, no Brasiu, depois de um esforço titânico da equipa numa partida épica em Coimbra, ter atirado por terra um colosso do tamanho do Luxemburgo! Fantástico, meu!  Que lixo luxo de exibição, que deleite azedo o comportamento do Hugo, do Coentrão, do Veloso, do A. Almeida e do "melhor do mundo" CR7! Inesquecível aquele lance em que ganhou um cartão amarelo! Genial!

Infelizmente, o grande Patrício não conseguiu repetir aquela assistência deslumbrante que deu à fortíssima formação israelita um justo empate a 1-1.

Peço desculpa pelo desvio do caminho que me propus fazer, mas fui obrigado a isso não fosse dar de caras com o Josué, do qual, pelo que diz o nosso Fonseca não anda por aí a escarrar na cara das moças, o que não só lhe vai muito bem como se livra de um f.... da p...qualquer puxar do telemóvel e mandar a cena para o facebook. Em vez de um jogo de suspensão, levava irradiação pela certa!

Olhem lá, chega de subterfugios: eu estive a escrever este paleio todo, porque não sei muito bem por onde hei-de começar a fazer a linha para o jogo no Dragão, contra o Trofense a contar para a eliminatória da Taça de Portugal. O Fonseca escalou tanta gente diferente que eu olho para a lista e é como se estivesse a ler a factura da electricidade.

Ora, reparem lá:


Lista de convocados:

Guarda-redes: Fabiano e Sinan Bolat;

Defesas: Danilo, Maicon, Diego Reyes, Mangala, Alex Sandro e Victor Garcia;

Médios: Lucho, Carlos Eduardo, Fernando, Steven Defour e Quintero;

Avançados: Jackson, Ghilas, Varela, Ricardo e Kelvin.


Com a breca, a escolha é tão fácil com os números da chave para acertar no euromilhões. Mesmo assim,

Fabiano, Danilo, Maicon, Mangala e Alex Sandro; Lucho, Fernando e Defour; Varela, Jackson e Ricardo.

Ah, ah, ah.! Estava a gozar. Vai ser assim,

Fabiano. Danilo, Maicon, Diego Reyes e Alex Sandro. Defour, Fernando e Carlos Eduardo; Varela, Ghilas e Quintero. 

Bem me parecia que iam gostar.

Nota final: faz parte do Trofense um puto cá da terrinha: Dani. Quando jogava aqui no UDL,venceu o prémio doLethes por ter sido o jogador preferido pelos adeptos. Penso que ainda não conseguiu a titularidade, depois de o ter saído do SC Vianense onde actuou na última época. É bastante habilidoso, mas tem um "defeito" insanável; é "vermelho"  como a pele da cara do pai...




 


segunda-feira, outubro 07, 2013

BOLADAS (15)

   
    


A EXPIAÇÃO DE JESUS, no inferno da Luz.



           Eu valorizo e considero muito as pessoas que se levantaram na vida à custa de muito trabalho, que foram capazes de vencer num mundo extraordinariamente feroz e injusto superando com extrema coragem e força interior as limitações decorrentes de incapacidades exteriores às suas virtudes inatas.

             Aquele conceito aplica-se a Jorge Jesus, o actual treinador do Benfica, que construiu uma carreira de mérito no difícil mister de treinador de futebol, partindo de uma posição de praticante de futebol de nível modesto até à liderança como treinador de uma equipa com o historial do clube alfacinha.

             À frente do seu actual clube há já quatro temporadas o seu palmarés fica muito aquém dos investimentos e da grandeza que a si próprios se atribuem os dirigentes e seguidores do clube do Eusébio e Vale e Azevedo da capital e primitiva al Ushbuna árabe. Não obstante, a sua fama de grande treinador é, em Portugal, em forte medida produto do incensamento que lhe faz a comunicação social da corte lisboeta.

            Desde o afrontamento que o jogador paraguaio Cardozo lhe infringiu publicamente no Jamor, depois de ter capitulado, de joelhos, no Dragão, Jorge Jesus, é um homem abalado psicologicamente, desgastado, confuso, sem ânimo, "estourado" pelos incidentes de quem tem sido actor imprevisto, sem discurso e sem argumentos em que acredite para retrocar, com algum nexo e coerência, às perguntas que lhe são dirigidas nas conferências de imprensa, como foi possível constatar nas "declarações" e nas imagens que ontem, no Estoril, passaram nos ecrãs da TV. Depois de ver e ouvir Jorge Jesus, num palavreado desconexo, descontextualizado, básico, fiquei a pensar em que clube com pretensões na elite do futebol  e em que país honesto e justo ele poderia ser treinador senão em Portugal e no Sport Lisboa e Benfica.
             .

            

TAL COMO DANTES, QUARTEL GENERAL EM ABRANTES!



Dragões recuperam liderança graças ao "duo" colombiano


I LIGA.
7ª Jornada
Em Arouca, Estádio Municipal
Espectadores: 5 000 (aprx.)
2013.10.06
                      
                                   
                                      Arouca, 1 - F. C. PORTO, 3



              Não estava à espera de um jogo fácil para o FC Porto contra o Arouca, mas confiava num jogo muito mais conseguido da equipa de Paulo Fonseca. E, no fim da partida, fiquei a pensar se a desenxabida exibição do  primeiro classificado de I Liga teria sido causada pela excelente réplica do seu adversário situado nos últimos lugares dela, ou, pela incapacidade em os azuis fazerem melhor do que se viu.

              E, a história do "bom começo" dos jogos por parte da nossa equipa, está já a ser uma notada característica nesta época, com a particularidade de os encontros onde isso tem acontecido nunca o FC Porto, fosse qual fosse a exigência do momento, demonstrou ser capaz de os replicar de forma visível durante longos períodos.

             Ganhar, será sempre, para o FC Porto, um objectivo óbvio. Chegará em primeiro ao fim das trinta jornadas quem mais vencer. Os adeptos gostam das vitórias, mas só ficam inteiramente felizes quando sentem que a equipa está capaz de as garantir em qualquer jogo e contra quem for. Não é este, neste momento, o sentimento de grande parte dos simpatizantes do FC Porto.

            A vitória em Arouca não merece contestação. Foi justa e pode afirmar-se que, considerando a forma como decorreu, pouco aconteceu para se poder dizer que esteve algum momento em causa. Mas a ganhar (apenas) pela diferença mínima até aos 74' é como ir à caça com um único cartuxo na arma.

            Era previsível que Paulo Fonseca fizesse alguma coisa para acertar o mecanismo do relógio para principiar a dar horas certas. Não terá arriscado quanto o necessário, mas mexeu. Deixou de fora Défour, mais rotinado nas necessidades defensivas e chamou Herrera, mais jogador de construção e de tendência ofensiva. Preferiu Varela a Licá e manteve Josué. Não pude deixar de recordar as boas exibição de Carlos Eduardo, nos BB...

            Herrera não brilhou mas não desiludiu. A equipa não jogou melhor por causa sua e, por aquilo que se tem visto ele fazer na B, foi igual a si próprio. Varela, talvez resguardando-se para a selecção, não cumpriu. Josué, não parece talhado para jogos em que o FC Porto joga no meio campo do adversário.

            Se me permitisse Paulo Fonseca eu diria que Ricardo, à direita e à frente, poderia ter sido mais eficaz que o Silvestre, ontem; na esquerda, daria mais liberdade a Alex Sandro para fazer incursões à frente idênticas à do primeiro golo. Curiosamente, jogaram todos os que eu tinha incluído na "MINHA LINHA", não estou à espera de ser convidado para integrar a equipa técnica do Clube.

           Não gostei do estado do relvado que não é propício à execução técnica dos jogadores. Mas foi igual para as duas equipas.

           Nas apreciações individuais, há pouco de positivo para dizer. Helton, decididamente, precisa de parar para repensar o seu modo de estar na baliza. Já começa a ser "gozação", pá. Quanto mais velho menos juízo?Na jogada em que saiu ao encontro no avançado do Araouca, não há qualquer falta: chega primeiro, joga a bola, e o avançado incapaz de trava a marcha, choca com ele. Mangala continua instável nas faltas e, agora, não há árbitro que vá para o campo já com o cartão amarelo na mão. O lance dentro da área onde a bola lhe vai ao braço, é um critério do árbitro e, neste, parece-me bem ajuizado.

           Dos restantes jogadores só Alex Sandro, Otamendi, Fernando (em grande destaque) e Jackson Martínez justificaram uma boa nota.

          Alinharam; Helton, Alex Sandro, Otamendi, Mangala, Alex Sandro, Lucho, Fernando, Herrera,Josué Jackson Martínez e Varela. Licá, substituiu Varela, aos 53', aos 69' Lucho cedeu o lugar a Ricardo e, QUINTERO, entrou aos 90+1' para o lugar de Josué e fazer, num livre de excelente modelo, o terceiro golo da tarde.


            


O Jogo

domingo, outubro 06, 2013

VEJAM SÓ! AINDA MORREM A RIR ANTES DE CHEGAR AO DRAGÃO...

A MINHA LINHA.



        As dores de cabeça de PAULO FONSECA (se as tem) nada devem ter a ver com a escolha de jogadores para formar a equipa de hoje . Na convocatória para a deslocação a Arouca aparecem os nomes de Herrera e Ricardo Machado, um cheirinho a novidade que pode sugerir vontade de corrigir, melhorando, o que não está a decorrer conforme os seus desejos e estratégia.



               Estão convocados:

Guarda-redes: Helton e Fabiano;
Defesas: Danilo, Maicon, Mangala, Otamendi e Alex Sandro;
Médios: Lucho, Josué, Quintero, Herrera, Fernando, e Defour;
Avançados: Jackson Martínez, Ghilas, Varela, Licá, Ricardo Machado

             
          







           A baliza, por enquanto, é de Helton. Maicon, esteve ausente por lesão e não deverá ser primeira opção, apesar das hesitações de Mangala. Este, não será jogo para defender  mas para atacar, e, Herrera vai ter a sua oportunidade ficando Défour de fora. Jogou ontem na B quem eu colocaria no lugar: Carlos Eduardo.  Na frente, Varela não deve ceder a sua posição, a não ser que Paulo Fonseca esteja a pensar numa alternativa mais ousada e chame à liça Ricardo Machado, deixando o Silvestre a pensar na selecção do Bento.

           Daí que eu escolhesse para ganhar (e jogar, amigos, jogar...), em Arouca, esta formação:

                     Helton, Danilo, Otamendi, Mangala, Alex Sandro, Lucho, Fernando, Herrera, Licá, Jackson Martínez e...ai, Ricar...Silvestre Varela.

           Ainda uma vez hei-de acertar. Acreditem em mim.
 

sábado, outubro 05, 2013

A SÍNDROME DOS DESCONTOS INFECTOU A B DO FCP.





II LIGA
10ª Jornada
Estádio Jorge Sampaio, Pedroso, V. N. Gaia
2013.10.05

                                      FC PORTO B, 1 - SC Covilhã, 2
                                               (ao intervalo: 1-1)

                   O FC Porto B perdeu pela primeira vez em casa por 1-2, tendo o SC da Covilhã marcado os seus golos no tempo de compensação concedido pelo árbitro Hugo Miguel: o empate a um golo aconteceu aos 30'' para além do minuto de compensação da 1ª parte e, o tento da vitória foi apontado aos 92',30''  do fim do encontro.

                   O Sp. da Covilhã foi a equipa que melhor actuou no presente campeonato em Pedroso, porém beneficiou de uma arbitragem favorável sendo o mais grave o ter deixado de marcar uma grande penalidade a favor do FC Porto B, aos 87', por mão na bola evidente de um defensor dos visitantes dentro da área.

                   Hugo Miguel chegou a sancionar um golo ilegal à equipa de Francisco Chaló, que seria 1-2, não vendo que a bola foi tirada das mãos de Kadú quando este se preparava para a enviar para a frente para a repor em jogo, com o covilhanense a usar o cotovelo. Já com o bola no centro do terreno foi o 4º árbitro que obrigou Hugo Miguel a fazer marcha-atrás na decisão para anular a asneira que fizera. O lance, contudo, pareceu afectar psicologicamente a equipa da casa o qual perdeu, durante alguns minutos, o domínio da situação.

                   O FC Porto B não merecia ter perdido este jogo, já que não foi inferior ao seu antagonista. Foi, essencialmente, uma partida equilibrada apesar de excelente oposição da equipa forasteira, muito experiente e combativa, com uma pressão individual em todo o campo quando não tinha a bola, principalmente na linha intermediária, conseguindo atacar sempre com muitos jogadores perto da área portista.

                    Do plantel principal jogaram Reyes, Carlos Eduardo e Kléber. O central mexicano dá indicações de se estar a ambientar, Carlos Eduardo está às portas de entrar na primeira equipa e Kléber, mau grado o excesso de peso que ainda se nota começa a dar indícios de estar a subir de rendimento. Hoje, não terá sido ainda uma boa exibição pois jogou lá na frente muito sozinho, com pouca bola e nem sempre servido como seria bom para as suas características.

                   Dos BB, gostei de ver V. Garcia, Mikel, To Zé e Ivo. Leandro, entrou muito bem.