sábado, setembro 24, 2011

OS TOUROS SÓ VÊEM VERMELHO.


     Esta noite, no Estádio Mais Belo da Europa

            FUTEBOL CLUBE DO PORTO, 2 - slb, 2
            (Kléber e Otamendi)                           (Cardozo e Gaitan)

            Vítor Pereira não entendeu o baixo rendimento da equipa do FC Porto, na segunda parte, e eu. obviamente, também não porque eu sou apenas um adepto, fervoroso sem dúvida, mas de bola só percebo o que vejo. E pela forma como os Dragões se exibiram após o regresso do intervalo eu não pude deixar de recordar o filme do jogo contra o Feirense, tendo visto apenas diferença nos golo que no Dragão aconteceram.

            Anotei a estatística dos primeiros quarenta e cinco minutos e os Dragões atacaram 22 vezes contra 14 dos encarnados, fizeram 12 remates e o adversário um, sendo a bola dos nossos jogadores em 56%; no final do jogo, os ataques portistas foram 36 contra 26, os remates 16 versus 6, cantos 8x2 e faltas 9 contra e 21 a favor; beneficiamos de 8 cantos e sofremos 2.

            Vejamos, então, onde poderá ter estado o colapso azul-e-branco depois do descanso. A apatia com que foi abordado o lance do golo do primeiro empate? A passividade evidenciada e na recuperação da bola e as insípidas tentativas de saída nas transições para o ataque? O apagão de Hulk? A anarquia das posições do meio campo e as oscilações de Fucile na defesa? Varela quase inconsequente no jogo? Ou terá sido por força da melhoria do opositor?

            Certo, foi o descontrolo, a frouxidão na busca do golo da tranquilidade a permissividade na concessão de espaços que facilitaram os contra ataques ensaiados por Jesus contra o "Naite" de Fergunson na Luz Lissabon.

             Vítor Pereira sabe bem mais do que entendeu poder esclarecer. Não revelou o que ninguém pode saber fora do grupo de trabalho. Mas vou insistir na interrogativa: Kléber e Hulk estão na posse das melhores condições físicas? Todos os jogadores executam a mesma missão dentro da equipa onde rendem, normalmente mais?

              Quando terminou a primeira parte, disse para mim: o Porto já está nos carris de velocidade TGV. Infelizmente o comboio não arrancou da estação do balneário.

               Lá temos que coabitar no poleiro com a Dona Victória e, tudo leva a crer, arranjar espaço para o outro elemento necessário para constituir a "Troika" que vai liderar a competição. Já não bastava o primo dos 5 mil milhões da "cratera" da Ilha.

               Eu não deixaria de revelar o que penso sobre a actuação deste "esquiço" de árbitro de Rio Tinto, se o que teria para dizer não fosse tomado por ter ficado ressabiado com a alegria dos lampiões pelo empate com sabor a vitória obtido no belíssimo Dragão. Eu dava tudo, seria capaz de subir o Everest, atravessar a nado o canal da Mancha, se pudesse estar ao lado deste Jorge a rever o filme do jogo e poder dizer-lhe no fim, cara a cara, olhos nos olhos, que só lhe faltam os chifres e o rabo para ser igual aos touros que tanto apreciam o vermelho.


          

10 comentários:

  1. Dava tudo era para ser benfiquista.. não podemos é ser todos perfeitos!!! temos pena...

    e diga lá ao seu fucile para deixar de ser mimado...

    ResponderEliminar
  2. Entregamos o ouro ao bandido

    Uma primeira-parte excelente, fomos superiores em todos os capítulos e mereciamos pelo menos, uma vantagem de dois golos.

    Depois, na etapa complementar, nem pareciamos a mesma equipa. Lentos, complicativos, sem frescura física e a dar abébias, fomos penalizados e o resultado, principalmente pelo que vimos até ao intervalo, deixa um sabor bem amargo.

    Vítor Pereira, tem agir e não de reagir. São os que agem e não nreagem que têm feito história no F.C.Porto.

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. ..."Infelizmente o comboio não arrancou da estação do balneário"...

    E lá se foram 2 pontos !


    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Bom dia,

    O resultado de ontem sabe a derrota.

    Depois de uma primeira parte bem conseguida, mas sem eficácia atacante, na segunda parte voltamos ao nível exibicional de Aveiro.

    Está bem que o Benfica teve sorte em obter o golo na entrada do segundo tempo, mas também é verdade que foi muito por inépcia nossa.

    Vítor Pereira deu a entender que só temos pernas para meio tempo ... bem isto é preocupante.
    Não temos capacidade para gerir o jogo depois de estarmos em vantagem, falta-nos qualquer coisa, e não é só o alegado fantasma Falcao.

    Kléber é a segunda partida consecutiva que sai ao intervalo, por problemas físicos. Walter não tem ritmo competitivo, Iturbe não é convocado, e ontem Hulk não devia estar a 100% fisicamente, pois Hulk de cansaço não padece ... tem pulmão para 90 minutos ou mais.

    Assim na segunda parte o Porto eclipsou-se. Varela e Hulk deixaram de desequilibrar, e a partir do momento que VP retira Guarin, e o Benfica coloca Bruno César, perdemos o controlo do miolo, e o golo do empate encarnado advinhava-se...e aconteceu.

    Destaques individuais para Otamendi e Guarin os melhores em campo. Fernando e Moutinho também cumpriram e trabalharam imenso.

    Espero que a equipa técnica consiga recuperar fisicamente a equipa, e que estabilize na escolha do motor de qualquer conjunto, que é o seu meio-campo. Defour de titular e opção regular, passa a não utilizado.

    Os adeptos que se deslocaram ao Dragão e que apoiaram a equipa não mereciam este resultado. A equipa tem de puxar pelo público também.

    Abraço e bom fim de semana

    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Não se pode considerar um mau resultado empatar com o maior rival, mas no Dragão pedia-se uma vitória, ainda para mais depois de toda a primeira parte realizada.

    Não dá para explicar o que aconteceu, mas a verdade é que na segunda parte a nossa equipa adormeceu e isso permitiu aos visitantes chegar ao 2-2 final, que podia muito bem ter sido evitado.

    São já dois empates seguidos a contar para o campeonato e não podemos voltar a escorregar se queremos manter a liderança.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Boas!

    Devo dizer que gosto imenso deste blogue!

    Podem adicionar os meus aos vossos links? Eu prometo que retribuo :p

    http://davidjosepereira.blogspot.com/

    Saudosos cumprimentos!

    ResponderEliminar
  7. Mais uma exibição de duas faces, o que começa a ser preocupante. A equipa demonstra não ter pernas para manter o ritmo e a intensidade do jogo durante os noventa minutos.

    Primeira parte de muito bom nível onde só faltou eficácia no remate. Aquela perdida de Fucile é, no mínimo, exasperante. Dominamos, controlamos e merecíamos sair para o intervalo com um resultado mais confortável.

    Depois, voltamos às exibições cinzentas, sem chama, com muitas bolas perdidas, alguma desconcentração e deitamos tudo a perder.

    Apesar da influência negativa da arbitragem, que amarelou os nossos jogadores sem qualquer critério e ainda perdoou a expulsão ao Cagozo, considero que devemos a perda de dois pontos a nós próprios.

    A equipa necessita sobretudo e uma preparação física adequada para ser capaz de aguentar todo o jogo em bom nível.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Hoje e por enquanto nem me apetece comentar... Passo aqui só para dizer que li e acompanho, como sempre.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  9. O meu palpite como treinador de bancada, é que os nossos jogadores na segunda parte perderam a pedalada, ou como dizem os Brasileiros “já tavam pisando na língua”.

    ResponderEliminar
  10. Caro Remígio
    Que dizer?...
    A sua crónica explica tudo...A generalidade dos comentários na blogesfera portista,reflecte o que nos vai na alma :um empate com os mouros, traz um travo de horrores,que, perdura mais que o ...shelltox , afectando todos os sentidos.
    Tenho p'ra mim que -
    O N/ FCP, está sem ...gás ! Lembro-me da história que já aqui contei, dos "gases" do Dionísio Castro. O gajo não evacuou e deu o... mestre...Desistiu! Tal como nós !
    O VP é -para mim- (já !) uma profunda desilusão ! Com o Feirense,ainda que vá-lá...Com "a instituição" ?! Por- amor- de- Cristo!
    Tal como o meu amigo, eu sou "apenas um adepto,ferveroso sem dúvida,mas de bola só percebo o que vejo" (sic) ...òbviamente,nessa linha,quem percebe a saída de Guarin?! O homem (quando saíu) abanava a cabeça em desacordo...
    Pudera!
    Preocupante -para mim,pelo menos- é que seja o próprio V.P. a vir dizer que NÃO SABE explicar o colapso da equipa (se psicológico,se de outra índole ) no segundo tempo ???!!!
    PORRA ! PORRA ! que mais ele não nos saberá explicar no futuro próximo ?
    ..................................
    Aguardemos que da mãe Rússia,nos cheguem acordes da "1812" ou do "Lago dos Cisnes",que um adoptado "sampetersburghiano" deu ao mundo.Assim, Hulk, Kléber e Cia. saibam reger a orquestra...
    Abraço amigo
    João Carreira

    ResponderEliminar