segunda-feira, maio 09, 2011

PIZZI, COM CHAMPANHE AO PREÇO DA CRISE.



         
   No Estádio Mais Belo da Europa,  

                  CAMPEÕES NACIONAIS, 3 - Paços de Ferreira, 3

                   O DRAGÃO reuniu a família para celebrar os CAMPEÕES.

            O Paços de Ferreira não foi ao Dragão na qualidade de convidado pelo que não estava obrigado a ser simpático para os anfitriões entrando numa festa a que era alheio. Por isso encarou o jogo com extrema motivação, como se dele dependesse a conquista de um troféu valioso e lutou, do princípio ao fim, como deveriam fazer todas as equipas independentemente das circunstâncias em que se realizam. Fez um jogo sério, empenhado, e mostrou ser um conjunto sólido, muito bem orientado e capaz de atingir níveis acima da média. Fez uma excelente partida e obteve o justo prémio da sua seriedade e competência.
                                                      CAMPEÕES, SOMOS TODOS.

            Não vou alongar-me nas considerações sobre o Futebol Clube do Porto, dado que se tratava de um jogo atípico, disputado num clima de festa, quase familiar, com  os jogadores a resguardarem-se para outras missões bem mais exigentes e, quiçá, frementes de alegria e ansiedade em se juntarem aos filhos e esposas que, nos bastidores do palco, os aguardavam para com eles celebrarem.

            Duas palavras, apenas, para falar dos aspectos negativos que mais me chocaram e que, do meu ponto de vista, mancharam a justa homenagem aos inquestionáveis CAMPEÕES de 2010/2011. A primeira, relaciona-se com os três indivíduos a quem foi cometida a função de aplicar (bem) as regras estabelecidas, há mais de um século, a este maravilhoso desporto que a que os ingleses chamaram  foot-ball, a que me recuso chamar "equipa de arbitragem", já que, da mesma forma que nunca reconheceria três espantalhos colocados num campo de milho como guardas florestais. Se, o que deveria ser o chefe, não fez melhor papel do que teria feito um personagem que, no lugar da cabeça, lhe fosse colocada uma abóbora, das grandes, já os dois comparsas colocadas nas linhas pareciam ver menos do que duas vulgares toupeiras. Este pseudo-árbitro não passa de mero intruso numa função para a qual não revela o mínimo de jeito e, se intentássemos estabelecer níveis de comparação entre ele e Xistras, Paixões, e Benquerenças, não tiraria o último lugar a qualquer deles.

                                                                   ELES E NÓS.

             A segunda referência vai para um tal Filipe Oliveira, que serve também para muitos outros caceteiros que, infelizmente,  pululam por aí no mundo da bola beneficiando da complacência de árbitros do jaez do Cosme, ainda que, helás! no lance em que o, actualmente, pacense intentou "acabar" com João Moutinho para o futebol, tivesse agido como devia.

                                                     HULK, A FACTURAR.

             A terminar, deixo uma nota para os que não seguiram a transmissão pelo canal 1 da SportTV. É que o Estádio do Dragão, para o locutor de serviço, (?) não estava ESGOTADO mas PREENCHIDO, o que, parecendo o contrário, quer dizer alguma coisa...
             Ando a pensar se não devo começar a minha contribuição para pagar a dívida nacional, poupando na taxa deste canal.

                                                     A FESTA E OS HERÓIS










            

7 comentários:

  1. Bom dia,

    Ontem foi uma grande festa, com um estádio quase lotado, com alguns adeptos do Paços, na sua maior parte com cachecol do Paços e do FC Porto a festejarem também.

    Entramos bem na primeira parte, e construímos um resultado que aparentemente nos permitiria fazer uma segunda parte descansada.

    Todavia com o escorregão infeliz de Rolando (o relvado havia sido intensamente regado no intervalo, o Paços aproveita, e Pizzi marca logo no início da 2ª. parte relançando a partida.

    O Porto reage e faz o 3 a 1.

    Mas como não há festa sem palhaços, aparece o primeiro ... o Cómico Machado, que não assinala grande penalidade sobre Hulk, e o Paços em golo irregular reduz para 3 a 2. Depois surge o segundo palhaço do encontro, de seu nome Nelson Oliveira que com uma entrada violenta põe fora de campo Moutinho lesionado. A partir desse momento o FC Porto não mais se encontrou no miolo, perdendo os equilíbrios defensivos.

    Souza fez uma péssima partida, e Maicon e Rolando estiveram muito desconcentrados.

    Aproveitou Pizzi (atenção a este miúdo - grande jogador)que com uma grande remate fez o empate.

    E eis que surge o terceiro e último palhaço do jogo de seu nome Ozéia que nos festejos do golo fez o manguito para a bancada norte, insultando os adeptos portistas sem motivo algum para tal. Lamentável. Não sei se existem imagens. Este urso devia ser punido pela comissão disciplinar.

    Quanto ao resto foi uma bonita festa no final e a equipa bem o mereceu.

    Continuamos invictos e espero que na última jornada, mantenhamos a mesma situação.

    Abraço e boa semana

    Paulo

    http://pronunciadodragao.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Gostei especialmente das suas referências ao senhor do apito e respectivos agitadores de bandeirolas. Por mim o do apito iria soprar numa bexiga de boi até ela estourar, quanto aos outros dois, bem estava com vontade de os mandar segurar em outra coisa, mas receio ser inconveniente.

    ResponderEliminar
  3. Concordo com tudo. O Paços fez o que lhe competia e o F.C.Porto, mesmo com todas as condicionantes, que os homens não são máquinas, também esteve muito bem e merecia ter ganho. Só não ganhou, porque foi infeliz nalguns lances, foi displicente na defesa, Rolando, mais até que Maicon e teve um trio de arbitragem muito fraquinho, que sem ser convidado, quis ser o protagonista de um afesta que não lhe dizia respeito.

    Quanto ao rapazinho que entrou a matar sobre o Moutinho, foi por pouco que não virou herói de 6 + 4 milhões, que é uma forma curiosa e exagerada de dizer benfiquistas e sportinguistas.

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Caro Remígio
    No bem "preenchido" Estádio do Dragão e que prós lados do c.c. Colombo, daria uma casa de arromba e lotação mais-qu'esgotada,convém rectificar e memorizar o nome do CACETEIRO que quase ia "amandando" o n/J.MESSINHO p'ró caneco :- NELSON OLIVEIRA - que é do slb-pormenor a reter-,emprestado ao ... Paços! Lembrou-me,quase instantâneamente, a célebre entrada do katsouranis ao Anderson... na luz,aqui há uns anos e que a C.S. abordou como lance fortuito e "perfeitamente" (pudera!) sem responsabilidade pª o agressor grego... Como este, afinal, há por aí mais "bynia"(s).A "escola- da- instituição",que como todos sabemos,se péla, pela verdade desportiva, vai valendo por cenas destas...
    Hoje,consultando a imprensa, vou ficando mais descansado,é que o Messinho vale ouro e é, qto a mim, nuclear no n/FCP e viu-se que sem ele e mais tarde, RMicael,ficámos à mercê do contra golpe fatal que aquele Pizzi activou...
    Eu tive pena e até fiquei, como que ... meio enxofrado,o que motivou no m/ amigo sportinguista(com quem vi o jogo )um desabafo porra,pá!-olha -p'ra-mim-e-vê-lá-como-é-q'eu-'tou-com-a-merda-do-meu-clube-nem- um-empate-pá-p'ró-terceiro-lugar,pá-e-tu-'inda-te-queixas?!..porra,pá!-só-ganhas-só-ganhas-pá!
    Perante isto, tão vivido e sentido na pele,não tive coragem para continuar murcho e ... alinhei na festa.Assim sendo,gostei muito da Lorelei do Falcao -os grandes jogadores têm que ter sempre uma bela rectaguarda - dos míudos dos jogadores,da banhada de champagne ao dr.Puga,e até gostei da taça engalanada com aqueles tons de azul-lindos de morrer...
    Final Feliz , que bem precisamos p'ra pagar os IRS's/IVA's e outras m...... com outro "gosto" (?) e sorrisinho nos lábios.
    Boa semana,meu caro Remígio
    Abraço tamanho -di- mar (Cabo Verde...)
    João Carreira

    ResponderEliminar
  5. Caro Joao:

    Há anos que ando com esta "encravada" na memória e, sempre que assisto a lances como o que foi protagonizado pelo Oliveira contra o João, não posso deixar de recordar o que foi cometido no antigo estádio do clube da dona Victória, contra um jogador brasileiro que militava no FCPorto, de nome MARCO AURÉLIO, aí pela década de 80, que viu uma perna fracturada em dois sítios e que pôs fim à sua carreira. O agressor é bem conhecido ainda hoje, já foi campeão como treinador do slb e, à falta de quem o queira em Portugal, tem andado lá para os países do petróleo a mostrar o bigode farfalhudo e a penca nutrida do típico apreciador do néctar da uva.
    Está, pois, certo quando alude à competência na matéria daquela escola e a dos Bynia, katsoranis e, até, humberto, a quem também vi "arrumar" o Walsh no mesmo estádio, com uma entrada ao calcanhar que o mandou para a enfermaria por alguns jogos.

    Enfim, é passado e devemos perdoar mas jamais esquecer.

    Estamos (outra vez) em consonância quanto ao bom gosto da tal "retaguarda" feminina que ontem se mostrou no Estádio Mais Belo da Europa.
    Tanto "eles" como "elas", cada qual nas suas especialidades, fazem bela equipa...

    Então que o abraço di-mar que lhe envio vá por ele, de Viana a Sagres. Boa noite.

    ResponderEliminar
  6. Caro Remígio
    ...que bela memória a sua ! Tb me lembro,tb me lembro e se perdoo, NÃO esqueço , embora a propaganda-vermelhusca vá sempre falando é no n/ Paulinho - menino de coro,se "comparado"com aqueles "artistas" cujo nome fomos recordando.Esse, cujo nome não é mencionado (e muito bem ) é aquele de que se conta que estando no banco do slb com o presidente vilªinho,e numa jogada dentro da área do adversário do clube de Dona Victória gritou : -PENALTY ! e retruca logo o maioral-presidente : -OUTRO!
    Continuação!
    Abraço amigo
    João Carreira

    ResponderEliminar
  7. Para quem quiser voos a um preço mais acessível para Dublin - www.plubee.com/porto.

    Anda por aí pessoal em vários fóruns a vender também, quem puder aproveite

    ResponderEliminar