sábado, agosto 07, 2010

ESTE É O MEU PORTO, CARAGO!

             É, ASSIM, QUE EU GOSTO DE OS VER...

      Churrasco ou arroz de cabidela?   
    
Em Aveiro, hoje:
 TAÇA CÂNDIDO DE OLIVEIRA.
FUTEBOL CLUBE DO PORTO, 2 - SPORT LISBOA E BENFICA, 0
    (Treinador: André Villas Boas,
      o informático)                          (Treinador: Jorge Jesus, o    inventor da táctica do losango
                                                            em pressão alta)
GOLOS: 1-0, 3 m, Rolando
              2.0, 68 m, Falcao
17ª Vitória do FCP (9 ganhas contra Benfica)
Com esta vitória, o Futebol Clube do Porto, ultrapassa pela
1ª vez na história do futebol português, o slBenfica em vitórias
em jogos oficiais. 
PINTO DA COSTA: 50º TÍTULO COMO PRESIDENTE!

Comentário breve: a primeira aula do mestre André ( Villas Boas ).







9 comentários:

  1. As contas às que já temos vamos fazendo bem, são já 17.
    Quanto a adversários derrotados já lhes vamos perdendo a conta, mas estes da última já colaboraram connosco 10 vezes, 10!!!
    São uns porreiros pá!

    ResponderEliminar
  2. Caro Sr.SilvadaCosta
    Fiquei tão feliz que tive de ir "festejar"...ir p'rá rua-apanhar o sereno da noite.Este calor algarvio "ferra" que só visto e o levante(aquece a bela água) provoca tensões (quase) tão inusitadas como o futebol.
    Que JOGATANA,meu caro!
    Assim até parece que não temos falta de ...ninguém! O joão-pode-ser-o-joão,portou-se à altura da ..."patente" ,não acha?Por muito menos, na luz e até no dragão já temos acabado com 10! Já viu o que seria se a coisa fosse ao contrário? O Varela,coitado,qualquer dia precisa de mais duas pernas...
    São três da matina...há que fazer uma soneca.
    PARABÉNS!
    Abraço amigo e PORTISTA
    João Carreira

    ResponderEliminar
  3. Caro João Carreira:
    Tive uma reacção muito idêntica à que descreve. Também por cá era a noite cálida e saí a celebrar com alguns amigos esta bela surpresa.
    Temos o nosso Porto de volta!
    Apesar da vitória inequívoca, não podemos deixar passar sem comentário a miserável "arbitragem" do "lateiro" servil e bajulador. Tivessem tido os nossos atletas o procedimento dos encarnados e o jogo não teria chegado ao fim por falta de jogadores.
    Baptista, o setubalense, deixou substituto à altura dos seus pergaminhos.

    Um abraço. Esteja tão feliz como eu.

    ResponderEliminar
  4. Pelo adversário, de qualidade e em forma, porque agora era a sério e não havia mais lugar a experiências, este era - pelo menos para mim. Disse-o antes do jogo... - o verdadeiro teste ao novo F.C.Porto de André Villas-Boas. Não como um teste decisivo, nada disso, apenas de primeira avaliação, para ver como como estão as coisas, como está a evoluir a equipa, principalmente, como ela se comporta em jogos desta importância, como reage a jogos com esta pressão. E o resultado do teste foi: aprovado com distinção. Uma exibição notável e notável em todas as variantes do jogo, em tudo o que se pede a uma equipa de qualidade. Pressão, concentração, controlo do jogo, ousadia, qualidade, numa equipa tacticamente irrepreensível.

    Acrescento o seguinte: não devemos, nem podemos, embandeirar em arco. Há arestas a limar, no lado direito da defesa, na coordenação entre os centrais, nas coberturas - falta delas - de Hulk. Ainda estamos no início, temos muito a trabalhar e muito a evoluir, mas aquilo que eu achava que ia fazer a diferença, foi notório: refiro-me à forma como a equipa do Benfica foi "trabalhada" e como foi preparada mentalmente a equipa portista.
    O rei da táctica levou uma banhada e se André Villas-Boas é o Informático, só podemos concluir que o Software é de qualidade.


    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Caro Dragão Vila Pouca.
    Mesmo que corra o risco de me repetir, o seu comentário contêm tudo o que eu próprio poderia dizer.
    Nunca me aventurei a tecer considerações sem dados concretos em que pudesse fundamentá-las. Ontem, sim, foi um manancial de informação que pude colher, quer em relação aos jogadores quer ao nosso treinador. E a conclusão só pode ser uma: o "meu" Porto, está de volta!"

    Vale a pena falar apesar da vitória: a execrável "arbitragem" bem ao nível do conterrâneo Lucílio Baptista! A brilhante carreira deste insígne oficial do exército na arbitragem não poderá deixar de pesar na sua imediata promoção a coronel...e a uma condecoração no próximo 10 de Junho.

    Termino realçando um aspecto que reputo do mais importante que o jogo de ontem nos mostrou e, como é habitual, não mereceu por parte do canal que transmitiu o jogo, a referência devida: a extraordinária solidariedade que o povo portista que se deslocou a Aveiro prestou à equipa, o seu incitamento do princípio ao fim do jogo, o ter superado em número a claque dos vermelhos, provando, se isso fosse preciso, que ir a Aveiro não é o mesmo que ir a Faro, e a certeza transmitida para dentro do grupo que podem contar com a confiança dos adeptos.

    Um abraço. FCP, sempre!

    ResponderEliminar
  6. Isto sim, é o Porto que eu conheço. Começo dominador, arrasámos por completo o adversário. Uns óptimos primeiros 25 minutos, e os restantes minutos também eles muito bons por parte da equipa azul e branca.
    Rolando e Falcao fizeram o gosto ao pé (no caso do primeiro, bem.. foi mais à cabeça) e deram assim a muitos portistas uma grande alegria.
    Há que continuar a trabalhar, este ano o campeonato e a Taça (e continuo a dizer que a Liga Europa também[!]) são nossos!!

    Super Porto!
    Um abraço

    http://odragaozinho.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. Gaspar Lança:

    Era importante obter uma vitória. Conseguido o objectivo há que tirar ilações.
    Entrega total dos jogadores, rigor táctico, ousadia e crença na vitória, à mistura com classe individual dos jogadores.

    Também a confirmação da aposta no jovem treinador.

    E a claque. Sempre a acreditar e a apoiar. De princípio ao fim.

    Temos tudo para recuperar o que é nosso e nos tiraram.

    Não somos uns quaisquer.

    Somos Porto, carago!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  8. Um belo desempenho de uma equipa fustigada por algumas críticas e desconfianças, em função das fracas prestações da pré-época,que efectivamente provocaram algum desconforto em sectores de adeptos portistas e não só.

    O FC Porto, com a atitude, a raça, a solidariedade e a ambição apresentada no relvado do Municipal de Aveiro, banalizou a publicitada força benfiquista, transformando-a numa equipa de papoilas saltitantes.

    Sem necessitar de ser arrasador a equipa azul e branca dominou, controlou e marcou, perante um árbitro condescendente até dizer chega, poupando pelo menos três expulsões aos desnorteados jogadores (???) lampiónicos.

    Foi um teste muito prometedor que AVB terá de fazer reverter no sentido de fortalecer a confiança e a ambição de todo o plantel para enfrentar todas as dificuldades que nos vão ser colocadas em todas as outras competições.

    Não vai ser fácil tendo em conta que, como de costume, lutaremos contra tudo e contra todos, como foi visível neste jogo.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. O agrado pelo comportamento do nosso Futebol Clube do Porto neste importante jogo de início de época está amplamente demonstrado na catadupa de comentários que aparecem na caixa dos blogues que nos são afectos.

    Esta onda de justificado optimismo, que resulta da constatação da melhoria, em todos os aspectos da nossa equipa, que augura um comportamento bem diferente, para melhor da época transacta.

    Continuando este excelente trabalho até agora desenvolvido pela equipa técnica estaremos prontos a vencer todas as batalhas, inclusive, a dos árbitros do bando de João Ferreira e outros assalariados de tarimba.

    Um abraço. FCP, sempre!

    ResponderEliminar