segunda-feira, abril 11, 2016

VERÍSSIMO ERRO ABATE DRAGÃO NA MATA REAL.



Liga NOS
29ª Jornada
Estádio da Mata Real, em Paços de Ferreira
2016.04.10 - 18:15H

     FC Paços de Ferreira, 1 - FC do PORTO, 0
                               (Ao intervalo: 0-0)

FCP: Casillas, Maxi, Chidozie, aos 76' André Silva,  Indi, Layún, aos 86' José Angel,  Herrera (C), Danilo, Sérgio Oliveira, Corona, Brahimi na 2ª parte, Suk e Varela
Treinador: José Peseiro

Árbitro: Fábio Veríssimo (AF Leiria)


GOLO: aos 80', por Diogo J num remate que teria morrido nas mãos de Casillas se não tivesse batido em Indi, em jogada perdida por Layún que entregou a bola a um adversário junto à área.

       Depois de "ter batido no fundo" com a derrota sofrida no estádio do Dragão contra o último da classificação geral, o menos que eu poderia esperar seria que o Futebol Clube do Porto vencesse o modesto Paços de Ferreira na Mata Real, dando deste modo um sinal por insignificante que fosse de que a equipa estava disposta a "mudar de vida" e interessada em recuperar o prestígio perdido. Todavia, a realidade que passou diante dos meus olhos foi a de que este Dragão está infetado por um virus altamente maligno a exigir medidas profiláticas de fundo que possam travar o avanço devastador do mal que o debilita.

       Apresentando-se em Paços de Ferreira com uma equipa onde apenas Aboubakar não mereceu entrar (Brahimi, habitual titular entrou para fazer a segunda parte), o Futebol Clube do Porto manteve o seu habitual modelo de jogo não sendo notada no desenrolar do encontro qualquer iniciativa diferente para desmontar o sistema defensivo montado pelo treinador do Paços de Ferreira. Mais do mesmo, era o comentário que me ocorria à medida que o tempo passava e o resultado a zero se mantinha. É certo que uma ou outra jogada gizada pela equipa portista poderia ter mudado o rumo das coisas, sobretudo nos últimos quinze/vinte minutos do tempo jogado, mas mesmo que a derrota pudesse ter sido evitada sempre teria deixado um sabor de insatisfação.

        É irrelevante dizer-se que o FC do Porto fez mais para merecer ganhar um jogo que o Paços de Ferreira venceu com o único remate que fez direcionado à baliza de Casillas em 90'+5'. Também o facto de ter estado mais vezes perto de bater Defendi e de o não ter conseguido por mérito deste ou falta de sorte muda o que quer que seja relativamente à "obrigação" que o Futebol Clube do Porto tinha em não ser derrotado nesta jornada.

       Embora com algumas melhorias todos os jogadores do Porto tiveram desempenho idêntico ao que vêm fazendo esta época. Layún, ainda pior. Herrera, Sérgio Oliveira, Chidozie, Suk e André Silva ainda tiveram apontamentos aceitáveis.

       Quando algo tem que correr mal corre necessariamente mal, segundo a conhecida teoria filosófica. Para além dos males próprios e azares  reconhecidos que nos atingem, ainda temos que "gramar" árbitros "programados" para lesar o esforço da equipa portista para sair do fundo do poço. Agora foi Fábio Veríssimo, vindo de Leiria para ver faltas e amarelar os jogadores do FC do Porto "porque sim" e permitir que aos 80' de jogo e antes do Paços marcar o golo que ditou a derrota portista, tivesse deixado que um defesa pacense andasse com SUK ao colo dentro da área num cena que ocorreu à frente do seu aguçado nariz.



         

1 comentário:

  1. Amigo :

    É como venho dizendo ... perderam-nos o respeito !

    Abraço

    ResponderEliminar