sábado, novembro 17, 2012

O QUE É PORTO É (UM) LUCHO!


Plano B vale vitória portista ao ritmo de Atsu

Taça de Portugal
Ilha da Madeira (Choupana)
2012.11.17

                              Nacional, 0 - FUTEBOL CLUBE DO PORTO, 3
                                              (0-1, AO INTERVALO)
                                           (Lucho, Mangala e Kléber)

                                  Um treinador cada vez mais decisor (Vítor Pereira), uma defesa com a consistência do aço (Otamendi), um  artista do tango de luxo a comandar a orquestra no centro da pista (Lucho González) e um africano especialista na arte do batuque (Atsu), e mais uns quantos "diabretes" a fazer das suas, merecem que deles se diga que "O QUE É PORTO É (UM) LUCHO.
   

7 comentários:

  1. Uma boa e importante vitória.Numa arriscada mas bem sucedida constituição efetuada por Vitor Pereira. A pontos que se tivesse corrido mal, como se costuma dizer, não faltariam críticas. Felizmente desta vez todos os que foram chamados a jogar, entre os que têm sido menos utilizados, tiveram atitude e querer. E assim sendo esta equipa é de Lucho!

    ResponderEliminar
  2. Fabiano, Miguel Lopes, Abdoulaye, Otamendi e Mangala, Castro, Defour e Lucho, Iturbe, Kléber e Atsu.
    Se olharmos para cima, para a equipa que entrou, rapidamente constatamos que apenas 2 jogadores, normalmente, titulares indiscutíveis, Otamendi e Lucho, entraram de início. Isso diz tudo das demasiadas alterações e alguns riscos que Vítor Pereira aceitou correr. Mas, mesmo com um conjunto muito diferente do habitual, a equipa portista fez uma primeira-parte muito agradável e chegou ao intervalo a vencer justamente por 1-0. Apesar de um ou outro lance de perigo, mais depois do golo de Lucho aos 27 minutos - fantástica a jogada de Atsu, circunstancialmente na direita, com um cruzamento para o 2º poste, onde apareceu El Comandante, de primeira e sem deixar cair no chão, a fazer um magnífico golo - e quase sempre através de lances de bola parada, livres, cantos e até lançamentos laterais, o F.C.Porto foi melhor. Com excepção de Mangala, com dificuldades naturais a atacar, mas também na cobertura ao jogador que lhe surgia por ali e Kléber, que não aproveitou duas belos ocasiões de golo, o resto da equipa movimentou-se e organizou-se bem, soube ter bola, fazê-la circular, foi capaz de pressionar e fez algumas jogadas interessantes. Atendendo à equipa utilizada, os primeiros 45 minutos portistas foram uma agradável surpresa e o resultado nem merecia discussão.

    A segunda-parte foi muito parecida com a primeira.
    Sendo o jogo de Taça de Portugal, a eliminar, era natural que o Nacional tenha saído para o jogo mais activo, mais atrevido, mais perigoso. Mas, a equipa portista, com a defesa, guarda-redes incluído - Fabiano, ainda tem coisas a melhorar, nomeadamente, nas saídas aos cruzamentos, mas tem tudo para vir a ser no futuro o nº1 -, aguentou e depois, com o 2-0 por Mangala e a entrada da qualidade que Moutinho e James, primeiro e Danilo depois, trouxeram, o F.C.Porto geriu bem, controlou melhor e ainda aumentou, num belo lance que Kléber concretizou - espero que seja o clique para que o nº11 portista, arrebite, definitivamente.
    Mais golo menos golo, ninguém colocará em causa ajustiça da vitória do bi-campeão. A lamentar a lesão de Mangala.

    Nota final:
    Atendendo aos condicionalismos que impediram o trabalho normal de preparação do jogo; atendendo à equipa que entrou, sem rotinas e com jogadores pouco rodados; podemos considerar que a vitória e a exibição do F.C.Porto foi uma belíssima surpresa. Vítor Pereira arriscou e deu uma oportunidade a quem tanto a tem reclamado e o F.C.Porto pode ter ganho jogadores para o futuro. Abdoulaye joga como um veterano e deve ser a luz que ilumina, Iturbe, Castro, Kelvin...
    Obviamente não referi C.Atsu, esse já é uma certeza e hoje demonstrou-o exuberantemente.

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Bom dia,

    Ontem não pude assistir ao desafio.

    Hoje quando foi ver a constituição da equipa, deparei-me com a completa surpresa.

    VP arriscou e rodou a equipa, colocando em campo jovens, que sob o comando de Lucho deram uma resposta positiva, angariando uma fantástica vitória num campo muito difícil.

    Pelo resumo que vi, o Nacional apenas criou perigo nas bolas paradas.

    A equipa está confiante e unida, e temos pérolas que estão a crescer e à procura da afirmação. Atsu foi brilhante no lance do primeiro golo, numa fantástica jogada colectiva, tem um pormenor magico individual que deixou colado ao relvado o opositor. No segundo golo novamente Atsu, ao invés de cair, parece um copo teimoso e cruza para uma excelente finalização de Mangala.

    Mangala, Abdoulaye e Atsu são jogadores de futuro no FC Porto.

    Kléber apesar do golo continua a falhar golos incríveis. Tem de trabalhar este capítulo.

    Foi uma passagem que a atitude e profissionalismo da equipa tornaram fácil.

    VP após uma época passada muito conturbada, em que foi criticado e olhado com desconfiança pelos adeptos, nos quais eu me incluo, esta época tem vindo a provar que Pinto da Costa mais uma vez deu um voto de confiança justo num treinador, que é humilde e bom profissional.
    Assim, VP conjuntamente com o apoio de Paulinho Santos e Lucho, tem um grupo unido, que joga com alegria, e tem vindo a lançar miúdos, que basta terem cabeça e a curto prazo poderão singrar no FC Porto.
    Por isso a figura da partida de ontem é VP!

    Abraço e boa semana

    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Amigo :

    Estou a gostar deste Porto !

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Amigo Remigio,

    já lhe tinha enviado um email, todavia como não tive feedback volto a perguntar-lhe se se importa de linkar o meu blog ao seu, abraço,

    http://ideaisleoninos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. pedro aleixo:

    Terei muito gosto em aceder ao seu pedido. Fá-lo-ei em breve. Obrigado.

    Remígio Costa.

    ResponderEliminar
  7. Este porto so nos da alegrias

    ResponderEliminar