segunda-feira, julho 08, 2024

CAMPEONATO DA 1.ª LIGA- ÉPOCA DE 2024/25 - CALENDÁRIO DE JOGOS DO DRAGÃO

                         No calendário de jogos da I Liga, O Futebol Clube do Porto joga na 1.ª jornada no Estádio do Dragão no dia 11 de agosto, recebendo o Gil Vicente da cidade de Barcelos; a 18 do referido mês, estará em Ponta Delgada a defrontar o Santa Clara, que regressa ao escalão principal depois de jogar um ano na segunda Liga; no terceiro jogo e último do mês, a equipa agora liderada por mister VÍTOR BRUNO, o qual inicia a sua carreira de treinador principal depois de mais de uma dezena de anos como adjunto do ex-treinador do FC do Porto SÉRGIO CONCEIÇÃO, vai enfrentar no Estádio mais lindo de Portugal o sempre lutador clube de Vila do Conde, Rio Ave FC.

                 Nenhum dos jogos referidos são, antecipadamente, "favas contadas" para os Dragões, quer os que serão jogados em casa quer o que vai ser disputado nos Açores. Mas será importante para a equipa do novel comandante do FC do Porto, arrecadar os nove pontos em jogo como garantia da capacidade coletiva de que necessita para enfrentar, em setembro, o Sporting CP, em Alvalade, o Farense, no Estádio do Dragão, o Vitória SC, em Guimarães e, por último, o FC Arouca, de novo em casa.

                 Força, Dragão, a vencer se alcança o título de campeão.

Remígio Costa

quarta-feira, junho 05, 2024

REI DEPOSTO, PRINCÍPE AO TRONO

 

                  VÍTOR BRUNO, que fez parte da equipa de trabalho do mister SÉRGIO CONCEIÇÃO como adjunto mais de dez anos, foi escolhido pelo atual presidente  André Villas-Boas para liderar nos próximos dois anos o plantel principal do Futebol Clube do Porto.

             Pelas qualidades demonstradas nas substituições pontuais do treinador principal e a vontade de iniciar uma carreira a solo na modalidade, a escolha de VÍTOR BRUNO para liderar a prestigiada equipa dos Dragões é uma esperançosa e fundamentada decisão do novo Presidente do Futebol Clube do Porto, com a qual, na qualidade de antigo e fervoroso adepto, respeito e assumo incondicionalmente.

             Bem-vindo príncipe dos treinadores, VÍTOR BRUNO.

Remígio Costa

 

segunda-feira, maio 13, 2024

EM PORTO INSEGURO ESTÁ O FC DO PORTO

           


            A uma jornada do fim da I Liga de 2023/2024, o Futebol Clube do Porto disputa ainda o lugar terceiro da classificação geral (!!!). Impensável num Clube da grandeza do Dragão, atendendo à História recheada de sucesso que o coloca entre os melhores clubes da Europa e do Mundo.

            O registo dos resultados da presente época dá uma explicação clara e inequívoca  sobre o que distancia o Clube da Invicta Cidade do campeão lagarto da corte alfacinha. A irregularidade do bom, do mau e do péssimo nas atuações da equipa no espaço dos adversários menos temíveis, mas, também a desastrosa e impensável perda de pontos na bela residência do Dragão, onde, normalmente os adversários teoricamente (muito) inferiores são trucidados, levaram à perda de pontos a que o FC do Porto há muito estava desabituado. 

           O derby da cidade do Porto, que ontem se disputou à noite no Estádio do Dragão, tendo como adversário o Boavista classificado em risco de descida à segunda Liga, constitui um bom exemplo do que foi esta época o desempenho depauperado e irregular da equipa azul  branca.

            Está, agora, em jogo na última jornada da prova maior da primeira Liga a realizar no Estádio Municipal de Braga, entre o SC Braga e o FC do Porto, a posse do terceiro lugar do podium, que confere ao triunfador o direito a participar de imediato na prova secundária da Europa. Presume-se uma partida intensamente disputada porque está em jogo a posse da terceira posição na tabela classificativa, e que, para a equipa do mister Sérgio Conceição só a vitória ou empate interessa. Para sair vencedor do duelo, o Dragão terá de superar um SC Braga forte e motivado, onde jogam atletas de alto nível que se superam a si próprios quando enfrentam equipas de igual nível ou superior.

           Vamos, Dragão! Serra os dentes e acorda a tua alma de campeão. 

Remígio Costa

           

COMPENSADA A RESILIÊNCIA DO UNIÃO DESPORTIVA DE LANHESES (UDL)

             

   

     UNIÃO DESPORTIVA DE LANHESES (UDL) 1 - GD CERVEIRA, 0

     A atravessar uma situação declaradamente difícil de ultrapassar, que se deve (segundo o que é público e notório), à herança de gestões passadas, o União Desportiva de Lanheses (UDL) venceu  in extremis mas com todo o mérito, o direito de se manter  na divisão maior do futebol distrital, onde está e esteve desde a sua fundação em 18 de setembro de 1973 sempre entre os melhores participantes da prova. Só a vitória na última jornada da presente época, defrontado um adversário fortíssimo com grande curriculo e traquejo na competição premiaria o esforço, a entrega, a determinação e a crença dos nossos atletas e competências da equipa técnica, do apoio dos fiéis dos adeptos, e necessariamente, do difícil mas constatável trabalho e entrega da atual Direção. 

              CONSEGUIRAM!! Glória aos heróis!!

              TODOS pelo UDL, sempre!

             

                                                        JORNADA 30

Classificação

domingo, maio 05, 2024

ANDRÉ VILLAS-BOAS OCUPA A PRESIDÊNCIA DE 42 ANOS DE JORGE NUNO PINTO DA COSTA NO FC DO PORTO.

 

                  Quarenta e dois anos da minha vida decorreram no mandato de Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa, na qualidade de Presidente do Futebol Clube do Porto. Na primeira metade da minha idade  antecederam Pinto da Costa na Direção outros presidentes que honraram o Clube e se empenharam devotadamente na criação das estruturas essenciais para a prática desportiva, designadamente, a edificação do Estádio das Antas, mas não viram premiada a sua meritória ação com a conquista de títulos nacionais relevantes nem participações vitoriosas nas competições europeias.

                 Aguardei dezanove anos pela conquista de um campeonato nacional da primeira divisão, assisti no Estádio  de Oeiras à conquista de uma Taça de Portugal (1958), estive na  inauguração e na ampliação do Estádio das Antas, na chegada do Senhor Pinto da Costa à liderança do Futebol Clube do Porto que haveria de promover a elevação do Clube a baluarte do norte e do país no no âmbito desportivo, no levantamento de um novo estádio a quem Pinto da Costa concedeu o título de Estádio do  Dragão, um Museu dos mais apreciados do mundo e o magnífico pavilhão Dragão Arena para as demais modalidades que o Clube sustenta.

               As vitórias do Futebol Clube do Porto nas provas europeias a que participou em sequência das conquistas internas não têm, até hoje, comparação no panorama dos clubes nacionais. O Presidente dos Presidentes, no seu mandato, obteve sete títulos internacionais, sendo duas taças da Liga dos Campeões, duas Ligas da Europa, uma Supertaça europeia, duas Taças Intercontinentais, e internamente, vinte e três campeonatos da primeira divisão, catorze Taças de Portugal, vinte e duas supertaças e uma Taça da Liga. Apenas no futebol! É obra.

              Não tem comparação com qualquer outro Presidente quer em Portugal quer mundial: Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa, Presidente dos Presidentes, há apenas um e mais nenhum.

              A partir de terça-feira, dia 7 de maio, o Senhor Pinto da Costa cede a "cadeira de sonho" do Clube a Luís André de Pina Cabral e Villas-Boas, um reconhecido fervoroso adepto do Futebol Clube do Porto, que venceu nas recentes eleições de sempre o Presidente por uma substancial margem de 80% de votos dos associados. André Villas-Boas, tem carreira de mérito indiscutível, tendo sido amigo e colaborador de de Bobby Robson, jogou futebol em clubes regionais na juventude, foi treinador da equipa principal do Futebol Clube do Porto com conquista de todos os títulos das competições em que o Clube participou no seu mandato, iniciando depois uma carreira internacional com sucesso por alguns anos na Europa e oriente.

              André Villas-Boas tem curriculum, dinamismo, fervor clubístico, a idade adequada e capacidade de liderança e entusiasmo. E coragem, muita coragem.Tem qualidades notáveis, ama o Futebol Clube do Porto, é cidadão portuense e possui experiência bastante para assumir o cargo prestigiado no exercício do Presidente anterior. 

              OBRIGADO, Senhor eterno Presidente Honorário, Pinto da Costa

              SEJAS bem sucedido e feliz, PRESIDENTE efetivo do Glorioso Futebol Clube do Porto.

              Viva o Futebol Clube do Porto, para sempre.


Remígio Costa

              .

             

 

             

             


               

                

quinta-feira, abril 27, 2023

DRAGÃO VENCE EM FAMALICÃO NA PRIMEIRA MÃO DA MEIA FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL


 

TAÇA DE PORTUGAL

1/2 final

2023.04.26

     FC FAMALICÃO, 1 - FUTEBOL CLUBE DO PORTO, 2

                                      (Ao intervalo 1-1)

FC Famalicão alinhou com: Luís Junior, Francisco Moure, Ricell, Enea Miloj, Alexandre Pereira, Ivám Jaime, Santi Collombato, Zaidou Youssouf, Ivo Rodrigues, Jlonder Cadiz e Dobre.

Equipamento: branco

Treinador: João Pedro Sousa

FC PORTO alinhou com: Cláudio Ramos, Wendell, Iván Marcano, Pepe (C), Manafá (aos 74' M.Tahremi), Pepê, Grujic, (Mateus Uribe na 2.ª parte), Eustáquio, Otávio (André Franco aos 85') Namaso (Galeno na 2ª parte), Toni Martinez (Evanilson aos 74'). Não utilizados: Diogo Costa, Fábio Cardoso, Zaidu e Rodrigo Conceição. 

Equipamento: azul

Treinador: Sérgio Conceição.

Árbitro: Gustavo Correia (AFP)

              4.º árbitro: Bruno Costa

VAR: Hugo Miguel

GOLOS: 0-1, aos 16' por Iván Marcano; 1-1 aos 37', por Penetra e 1-2 aos 63' por Toni Martinez.

Iván Marcano passou a ser o defesa do FCP com mais golos apontados. 


 SINOPSE

            Triunfo incontestável da equipa comandada por Sérgio Conceição, contra uma formação que resistiu com determinação e bravura em todo o tempo de jogo à superior qualidade do Dragão. 

            O FC do Porto adiantou-se no marcador na sequência de um livre direto executado no flanco direito perto da linha de fundo, com a bola a passar sobre um aglomerado de jogadores em frente à baliza

aparecendo ao segundo poste Marcano a bater de cabeça para o golo.

Aos 37' o Famalicão empatou o resultado por intermédio de Penetra a desviar de Cláudio Ramos a bola vinda de uma assistência pelo centro da área. À vista desarmada o marcador partiu para a bola em clara posição de fora de jogo sancionado pelo árbitro e o seu auxiliar. Porém, o famigerado e polémico HUGO Miguel, chamou ao vídeo do relvado o árbitro Correia para que ele anulasse o lance por 3 cm do frame que ele escolheu, sem vergonha nem remorsos.

     Toni Martinez, aos 67' apontou o golo do triunfo portista na sequência de uma jogada de Galeno pelo flanco esquerdo, com desvio subtil do marcador para a baliza de L. Junior.

      A arbitragem em Portugal não tem qualidade suficiente para melhorar o nível dos jogos e a seriedade dos resultados. Há árbitros que se desorientam na aplicação das regras, agem sem critério e sem personalidade, deterioram o espetáculo assinalando faltas e faltinhas a esmo, quebrando o ritmo de jogo e a paciência dos atletas e espetadores. Está tão longe da praticada na Inglaterra como a verdade e isenção das ações praticadas pelos Hugos Migueis da portuguesa.

            Pepê, Otávio e Damaso, entre outros, foram o alvo preferido para apanhar a  "lenha" distribuída a rodos pelo relvado. Gustavo Correia deu roda livre aos lenhadores.

Remígio Costa


    

           

 



domingo, setembro 11, 2022

O QUE MEHDI TAREMI JOGA!!

 


Liga Portugal

6.ª jornada

Estádio do Dragão

Sábado, 20:30h - Noite de verão

44 109 espetadores

      Futebol Clube do Porto, 3 - Grupo Desportivo de Chaves, 0

                                           ao intervalo: 1-0

O FC Porto alinhou com: Diogo Costa, João Mário, Fábio Cardoso, David Carmo,Wendell, Pepê, Eustáquio, Matheus Uribe, Galeno, Taremi e Toni Martinez. Substituições: aos 60', João Mário, por Evanilson, Toni Martinez por André Franco e aos 75' Galeno por Veron; Pepê por Rodrigo Conceição e Taremi por Gonçalo Borges, aos 84' 84'. Não utilizados: Cláudio Ramos, gr., Pepe, Gruijc e Danny Damaso. Fábio Cardoso titular pela 1.ª vez no campeonato, e  André Franco ex-Estoril Prarai e Rodrigo Conceição (em estreia em competição interna).

Treinador: Sérgio Conceição

Disciplina. Uribe, aos 29', cartão amarelo.

Grupo Desportivo de Chaves alinhou com: Paulo Vítor, João Correia, Nelson Monte, Steven Vitória, Bruno Langa, Guima, João Menmdes, João Teixeira, Jonny Arriba, Hèctor Hernandez e Juninho. Substituições: Ricardo Guima por Hélder Morim, aos 54', Jonny Arriba por Luther Sing aos 65', Hernandez por Benny aos aos 83' e Juninho por Jô Baptista, aos 83'. Não utilizados: Gonçalo Pinto, gr-. Habib Sylla, Andro Cruz, Ponck e Queirós.

Treinador: Vítor Campos

Disciplina: Ricardo Guima, aos 28' e Nélson Monte aos 80', cartão amarelo.

Átbitros: António Nobre (AF Leiria); assistentes: Pedro Ribeiro e Sérgio Jesus. 4º árbitro, Anzhoni Rodrigues; VAR: André Narciso.

GOLOS: 1-0, aos 3' por Medhi TAREMI;

               2-0, aos 70' por Evanilson;

                3-0 aos 82' por André Franco.

 Figura do jogo: Medhi TAREMI.

                   

                    Sinopse da partida:

                    Atuação segura sem sobressaltos da equipa do Futebol Clube do Porto, que deixou no banco o central Pepe e estreou no campeonato Fábio Cardoso e André Franco,  não podendo  contar com Otávio por estar em recuperação de lesão contraída contra o Atlético de Madrid, perante um Desportivo de Chaves moralizado, confiante e ambicioso, lutador e muito apoiado por uma falange de apoio entusiasmada, disposto a discutir com o campeão em título o desfecho da partida, ao qual todavia a equipa de Sérgio Conceição não lhe concedeu uma única oportunidade inequívoca passível de bater Diogo Costa. Todos os jogadores do FCP utilizados como titulares conseguiram desempenhos de acordo com o seu valor não obstante ser notória a poupança de velocidade no ritmo de jogo para recuperar do esforço dado no jogo de Madrid, sendo que, com as substituições e com o jogo a caminho do termo, a bola ganhou velocidade no passe e na circulação.

                   Triunfo sem contestação nem sombras de condescendências estranhas ao futebol.

                   A arbitragem de António Nobre não contaminou a verdade do resultado. Pareceu, no entanto, conceder atenção personalizada excessiva quanto à forma de atuação de Taremi, quer no modo como disputava os lances quer na avaliação das faltas dos adversários sobre ele parecendo recorrer a dois pesos e duas medidas, sendo exemplo a "vista grossa" de um lance ocorrido aos 30' da partida quando Madhi TAREMI, foi claramente derrubado por João Teixeira quando conduzia a bola em direção à área do Chaves. Seria muito mau para a pobre arbitragem portuguesa que o honesto e pacífico artista da bola iraniano fosse objeto de um anátema sem sentido nem justificação, com vista a aliviar o terror que lhe votam os clubes rivais quando o veem pela frente.